19.11.16

ESTRANHO CONTRATO - PARTE XXX





Aquele Natal seria memorável para todos, naquela casa, onde para além dos moradores, se encontravam os pais de Francisca. E esperavam a qualquer momento a chegada de Graça e do marido. A felicidade do casal, era por demais evidente. Tão evidente que os pais de Francisca acreditaram finalmente no grande amor que a filha lhes descrevera como razão para um casamento tão rápido. 
Afonso tinha encomendado o serviço do mesmo restaurante que os tinha servido no dia do casamento e esperava-se a sua chegada com o jantar. Mais tarde viria o Pai Natal com os presentes para as crianças, que estavam excitadíssimas com a festa.
Pouco antes das oito Graça chegou. E protagonizou a maior surpresa da noite, ao trazer com ela duas meninas de seis anos, que apresentou como suas filhas. Eram-no legalmente desde o início do mês.
Perante o espanto da família, Eduardo contou que devido a uma anomalia  genética, ele não podia ter filhos. Sabendo como a mulher adorava crianças, e de como se sentia frustrada, nos seus anseios maternos, tinha-se decidido pela adopção. As duas meninas eram gémeas, estavam há muito tempo na instituição, porque ninguém se atrevia a adoptar as duas de uma só vez, e era cruel demais separá-las. Para eles não era problema, e foi por isso mais rápida a adopção,não precisaram ficar em lista de espera. Tinham guardado segredo, pois tinham receio de que alguma coisa não corresse bem, durante o processo. Elas eram amorosas e eles nunca estiveram tão felizes.
- Deviam ter-nos contado. Elas vão sentir-se excluídas, quando o Pai Natal chegar com os presentes.
- E porque é que pensas que te pedi o nome da empresa que contrataste? - Disse a irmã. - Entrei em contacto com eles, e no dia em que aqui estive, fiz as compras e fui lá entregá-las.
- Pensaram em tudo. Mas que surpresa!
Entretanto as crianças já brincavam juntas. A princípio as meninas pareciam pouco à vontade, mas logo Marta, com a sua natural espontaneidade  tratou de fazer com que se integrassem na brincadeira.
Jantaram às nove, primeiro porque os mais pequenos tinham que jantar cedo, depois porque o serviço de restaurante por ser noite de Natal, encerrava às dez e meia, e os empregados teriam que sair a essa hora.
Pouco passava das dez, quando o Pai Natal chegou, carregado de presentes para alegria dos miúdos.
No meio da confusão, Afonso notou que Simão estava pensativo. Ele tinha recebido uma mala de pintor, um cavalete, tintas acrílicas e três telas. Adorava pintar e na sua carta ao Pai Natal, apenas pedira, material de pintura.



14 comentários:

A Nossa Travessa disse...

Querida Elvirinhamiga

NA NOSSA TRAVESSA
UM FUNERAL Á MANEIRA
Publico hoje mais um artigo – o quarto – da SAGA DA ALZIRA com o título acima. Convido todas/os à sua leitura e comentários. Obrigado.
Agradeço igualmente a divulgação desta informação.
Henrique, o Leãozão


cesar farias disse...

Atraído pelo presépio, eis-me aqui novamente. Antecipadamente, um ótimo e iluminado Natal pra ti e família.
Sucesso.

Olinda Melo disse...


Perdi-me completamente, cara Elvira. Os meus bons propósitos foram água abaixo. A malvada gripe, agora, parece já estar disposta a ir incomodar outras freguesias. Por isso, vou terminar de ler este conto e esperar pelo seguinte.

Pois bem, vemos aqui um ambiente natalício bem ao meu gosto e criançada que se quer feliz. As adopções quando bem conseguidas podem fazer a felicidade de quem não pode ter filhos e a das crianças que precisam de amor.

Bom fim de semana.

Bj

Olinda

rendadebilros disse...

Cheirinho a Natal com a beleza da criançada! Beijinhos.

São disse...

O Natal vale pela alegria das crianças...

Espero que esteja bem e desejo bom fim de semana

Anete disse...

Bonito capítulo da família reunida no Natal... O contrato agora está sem "estranheza"... Rsss... O amor e a sinceridade estão no ar e nos corações...
Bom sábado... Bj

Edumanes disse...

Todas as crianças muito animou,
mostrando as suas barbas brancas
é Natal, o Papai Noel já chegou,
com as prendas para as crianças!

Bom fim de semana amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Rui Espírito Santo disse...

E, pelos vistos, um verdadeiro e feliz Natal à porta ! :))

Beijinhos e um Bom Domingo, Elvira ! :)

aluap Al disse...

Boa noite Elvira
Gostei do que li e como estamos não tarda no Natal fez já um excelente destaque à família reunida.
Beijinhos e tudo de bom.

Emília Pinto disse...

Ė um contrato estranho, Elvira, mas que deu certo e fez duas familias felizes. O resto, com paciência e amor " entra nos eixos" ; penso que a única coisa que falta é o filho mais velho entender a situação, mas conseguirá. Beijinhos, amiga e desejo-te muita saúde e serenidade.
Emilia

maria disse...

Graça é realmente uma mulher surpreendente... e o Natal uma verdadeira festa de família... muito bom!

Prata da casa disse...

Um Natal feliz para uma família que se ama.
Bjn
Márcia

Rosemildo Sales Furtado disse...

Noite de Natal e a felicidade reinando no lar. Só que o melhor poderá vir depois, quando as crianças forem dormir e os convidados se recolherem. Fogo!

Abraços,

Furtado

Dorli Ramos disse...

ô Natal que será muito gostoso
As famílias juntas, crianças crescidas.
Uma maravilha
Adorei
Beijos
Minicontista2