26.10.16

ESTRANHO CONTRATO - PARTE III






-Tudo o que está estipulado no contrato que fizemos antes do casamento mantém-se. Porém há mais umas coisas que não estão no contrato e gostaria de te dizer. Como deves saber o trabalho de um advogado não é fácil. Às vezes aparecem casos complicados que exigem muito estudo e concentração. Por vezes trago casos para estudar em casa. Este é o meu espaço. Quando aqui estou não gosto de ser interrompido por ninguém e agradeço que mantenhas as crianças longe daqui.
-A minha irmã, vai-se embora no fim-de-semana, também tem a casa dela, da qual já está afastada há bastante tempo por minha causa. O meu cunhado tem sido muito compreensivo, há quase um ano que só tem a mulher aos fins-de-semana, mas agora quando for já não volta. Até sexta ela ajuda-te a apanhar a rotina da casa. 
Pensei melhor relativamente ao que tínhamos combinado de quartos separados.
A mulher estremeceu e ele notou-o.
-Não te preocupes. O casamento mantém-se como está no contrato. Sem intimidade que nem tu nem eu desejamos. Troquei a cama de casal por duas de solteiro. Pensei que era mais natural, as crianças vão crescer e podiam achar estranho, dormirmos em quartos separados. De resto mantenho o que está escrito. Adoptarei os teus filhos, e como meus filhos os tratarei, e confio em que farás o mesmo com as minhas filhas.
Calou-se. Como a mulher mantinha os olhos fixos no chão, ele pegou-lhe delicadamente no queixo, forçando-a a olhar para ele.
Reparou que tinha os olhos rasos de água e inquiriu:
- Que se passa? Estás arrependida?
Ela abanou vigorosamente a cabeça, as palavras sufocadas na garganta.
A voz dele suavizou-se.
- Bem sei que isto não é o casamento com que as mulheres sonham. Mas ambos sabemos que ele não passa de um contrato. Tu não podes criar e educar os teus filhos, sozinha. Eles precisam de um pai. Eu não posso, nem sei cuidar das minhas filhas sem ajuda. Elas precisam de uma mãe. É troca por troca. Parece-me um contrato justo. Vou mostrar-te o quarto. Disse à Olga para levar para lá as tuas coisas. Podes tomar um duche e mudar de roupa. Mais tarde, iremos ver os quartos das crianças. Tu me dirás  se queres fazer alguma alteração. Pensa que a partir de hoje, esta é a tua casa.


23 comentários:

Pedro Coimbra disse...

E a paixão chegará quando menos se esperar

✿ chica disse...

Estou gostando e acho que teremos um lindo amor já dando marcas por aí...bjs, chica

Os olhares da Gracinha! disse...

Estranho contrato!!! ou não?
bj

Conhece este poema?
http://mgpl1957.blogspot.pt/2016/10/charles-chaplin.html

Tintinaine disse...

O amor anda no ar! Adivinha-se!

Existe Sempre Um Lugar disse...

Bom dia, por agora é um contrato de prestação de serviços que avançara para um forte amor, mais uma bela historia cativante.
Resto de boa semana,
AG

Bell disse...

Complicado, espero que vire amor.

bjokas =)

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

HUm! Tem que virar amor este contrato um tanto maluco.
Estou a gostar querida Elvira, beijinhos.

Silenciosamente ouvindo... disse...

Pois esse estranho contrato acabará
(espero) ter um fim feliz.
Amiga já regressei, mas vim doente,
a apetência para estar no computador
para já é pouca. Preciso de recuperar
primeiro.
Desejo que se encontre bem.
Bjs.
Irene Alves

Odete Ferreira disse...

Sim, estranho contrato. Por isso mais aguça a curiosidade.
Bjo, Elvira

Prata da casa disse...

Um contrato que é favorável a ambas as partes e que ,espero, se irá transformar em amor.
Bjn
Márcia

Edumanes disse...

Afinal é Troca por troca,
dela se receber o ordenado
no escritório de advogado
não há trabalho sem batota?

Boa noite amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

José Lopes disse...

Que raio de contrato. É bom que mude porque assim é uma aberração...
Cumps

Janita disse...

Enterneci-me! Neste momento, já não vejo um 'contrato', vejo dois seres que precisam um do outro e...o futuro dirá!
A Elvira sabe como nos tocar o coração. Estou a gostar muitíssimo deste conto.
Um beijinho.

Rogerio G. V. Pereira disse...

Conheço personagens assim
mas são mais subtis
mais... gentis

se fosse eu
rasgava
o contrato
e vamos à vida
no mesmo quarto

Boa?

manuela barroso disse...

Será um contrato feliz? Irá durar muito tempo? Troca por troca? Onde ficam os afetos?
Vamos esperando !

lua singular disse...

Oi Elvira,
Eu não aceitaria essa situação. Casamento tem que ser real do contrário vira uma guerrinha entre famílias.
Beijos
Lua Singular

Isa Sá disse...

Acompanhando a história!


Isabel Sá
Brilhos da Moda

Luis Coelho disse...

li quase de corrida. Queria saber tudo em pouco tempo.
Uma história que terá muitas coisas para acompanhar.

Bom fim-de-semana

Olinda Melo disse...


Então...um casamento de conveniência!

Bj

Olinda

© Piedade Araújo Sol disse...

que estranho contrato, para os dias de hoje....mas vamos aguardar

:)

Emília Pinto disse...

Querida Elvira, estive uns dias sem cá vir e....cá está mais um conto, Tenho cá o meu irmão ( mora no Brasil ) e o tempo tem sido mais curto para as minhas visitas; por isso, voltarei com mais tempo para ler a nova estória que, como sempre, será intetessante. Tudo de bom, querida amiga. Um beijinho
Emilia

Rosemildo Sales Furtado disse...

Espero que a cama de casal não tenha sido destruída e volte a ser usada, só que, pelo casal.

Abraços,

Furtado

Smareis disse...

A paixão daqui a pouco mostra a cara. Assim caminha teu conto.
Beijos!