31.10.16

ESTRANHO CONTRATO - PARTE VIII





 - Demoraste tanto. Os miúdos estão fartos de perguntar por ti, - disse a mãe mal ela entrou em casa.
- Estava muita gente no registo, acabei por perder o autocarro das onze. Onde estão eles?
- Lá atrás no quintal. O teu pai está com eles. E então, já estavam prontos os documentos?
-Já, -respondeu saindo para o quintal.
-Mãe, mãe, - gritaram os dois catraios correndo para ela.
 Baixou-se e abriu os braços para os receber. Eram dois meninos morenos de cabelo escuro, quase do mesmo tamanho, apesar de Simão ser quase dois anos mais velho que o irmão. Enquanto os apertava ao peito, não deixava de pensar na proposta da amiga.
- Ainda bem que chegaste. Vê tu que o Simão me perguntou se tinhas ido viajar como o pai. Não era melhor dizer-lhes logo a verdade?
- Quando chegar a hora eu conto, pai.
- Vão crescer enganados. No meu tempo não se escondiam essas coisas.
- Está bem pai. Mas agora é diferente.
O pai entrou em casa sem responder.
-Mãe, sabes que os coelhinhos já saíram do ninho? São tão "pequininos". Queres ver? – Perguntou o filho mais novo.
-Mais logo filho. Agora vamos para dentro. Está quase na hora do almoço e vocês estão todos sujos. Vamos para a casa de banho.
Pegou nele ao colo e com o outro pela mão entrou em casa.
Depois de os lavar, deixou-os na sala a ver os desenhos animados e foi para a cozinha ajudar a mãe a acabar a pôr a mesa. Aproveitando que o pai tinha saído de novo para o quintal e as crianças estavam a ver TV, Francisca perguntou à mãe o que ela pensava se voltasse a casar. Ao contrário do que esperava a mãe não se escandalizou.
-Penso que isso era o melhor que podias fazer por ti e pelos miúdos. Eles precisam de um pai e tu estás viúva, quase há um ano. Mas é preciso cuidado. Nem todos os homens aceitam criar os filhos dos outros com carinho. Por outro lado, não podes estar toda a vida dependente de nós. Um dia destes dá-nos uma “macacoa” qualquer e lá vamos nós. Já dizia a tua avó. “Quem de novo não vai, de velho não escapa.” Mas porque me fazes essa pergunta hoje? Tens algum pretendente?
Não se atreveu a contar à mãe a proposta da amiga.
-Não mãe. Foi só uma coisa que me passou pela cabeça
- Então vai desligar a televisão e trás os miúdos para a mesa que eu vou chamar o teu pai.  



16 comentários:

lua singular disse...

Oi Elvira, Acompanhando
Vamos ver no que da.
Beijos
Lua Singular

Pedro Coimbra disse...

Na fase da dúvida...
Um abraço

✿ chica disse...

A sementinha da dúvida já estava dentro dela! Vamos esperar! bjs, chica

As Mulheres 4estacoes disse...

Acompanhando e curiosa pelos próximos capítulos, torcendo para que nasça um amor verdadeiro dessa união.
Abraço,
Sônia

Isa Sá disse...

Acompanhando a história.
aproveito para desejar um bom feriado!

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Prata da casa disse...

Já fui ler os capítulos que perdi, pois ausentei-me no fim de semana. Continuo a gostar.
Bjn
Márcia

São disse...

Interessante até agora.

Bom feriado e abraços

Flor de Maracujá disse...

Muito giro :)
Beijinhos**

Janita disse...

É preciso não esquecermos que esta retrospectiva toda passou pela mente da Francisca enquanto tomava o seu duche...já que ela casar, casou!
Aguardando com entusiasmo e atenção, como pode constatar, Elvira.
Um abraço e bom feriado.

aluap Al disse...

Sabendo nós que casou (ou celebrou um contrato) com o irmão da amiga, não vai custar muito apaixonarem-se. Digo eu!

Beijinhos e cont. de boa semana+bom novembro.

José Lopes disse...

A vida dá tantas voltas que o desconhecido até parece ser nosso vizinho...
Cumps

Edumanes disse...

Francisca precisa de pensar na proposta da amiga, e se possível não falhar na decisão a tomar. A qual deverá ser tomada de acordo com a vontade do seu coração. Se o não for, não dará frutos?
Boa noite amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Elisa Bernardo disse...

Passando por aqui para acompanhar e para lhe deixar um grande beijinho.
elisaumarapariganormal.blogspot.pt

Rosemildo Sales Furtado disse...

Pelo visto, a proposta da amiga não foi descartada. Continuo gostando.

Abraços,

Furtado

Smareis disse...

Estou amando cada capitulo Elvira. Adoro esses amores inesperados que cai de paraquedas sem esperar.
Beijos!

maria disse...

Não é uma decisão fácil... mas o apoio da mãe, talvez ajude...