30.10.16

ESTRANHO CONTRATO - PARTE VII



- Que queres que diga? É a coisa mais disparatada que já ouvi. Se não te considerasse minha  amiga diria que estás a divertir-te à minha custa.
- É claro que não. Estou a falar muito a sério. Tenho que me ir embora e queria ficar descansada com respeito às minhas sobrinhas. Eu falo com o meu irmão. Tenho a certeza que ele vai aceitar, se eu lhe disser que és minha amiga e que pode confiar em ti como confia em mim. Só preciso que me digas que aceitas.
Francisca escondeu a cara entre as mãos. A proposta da amiga, era a coisa mais estúpida que ouvira na vida. Como podia ela aceitar casar com um homem que nunca vira? Por outro lado supondo que as coisas fossem como a amiga dizia, tinha o futuro dos filhos assegurado. Mas e se tudo desse certo e depois de casados um deles se apaixonasse por outra pessoa? Como iam resolver isso? Não sabia que fazer, nem dizer.
-Então Francisca? Não dizes nada?
- Não sei que dizer. Continuo a achar a proposta descabida e irreal. Mesmo que tudo acontecesse como dizes. Supõe que casamos e depois de casados nos apaixonamos…
-Ó isso é que era, ouro sobre azul, - interrompeu Graça
- Não me interrompas. Eu perguntava se depois de casados, ele ou eu nos apaixonamos por outra pessoa. É possível, ou não?
-É possível mas improvável. Meu irmão era muito apaixonado pela mulher. Não será fácil esquecê-la. Tu pelo que contaste, sofreste demais para que estejas a pensar em novas experiências. O mais provável é que com o tempo, a convivência e o conhecimento mutuo, vocês se apaixonem um pelo outro. Mas para isso será preciso que ambos consigam esquecer a experiência anterior. Acredita, por muito descabida que te pareça hoje esta proposta é a tua tábua de salvação. Olha, tenho que ir. Tens aqui o meu telefone. Pensa bem e depois telefona-me.
Francisca guardou o número que a amiga lhe estendera, enquanto esta pagava a conta. Na rua Graça perguntou:
-Queres que te leve a algum lado?
- Não. Tenho ali a paragem do autocarro.
- Então não te esqueças. Espero a tua resposta esta tarde.
Despediram-se com um beijo. Depois Graça entrou no carro e arrancou. Francisca ficou parada no passeio até vê-lo desaparecer no fundo da rua. Lentamente dirigiu-se à paragem do autocarro.


14 comentários:

Os olhares da Gracinha! disse...

Elvira...ansiosa para ver o resultado de tão curiosa proposta!
Bj

Edumanes disse...

Casamento à vista,pode mesmo acontecer,proposta da Graça, sua amiga. Esperamos pelos próximos capítulos, para saber o que irá Francisca resolver!

Boa noite amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Bea Simpson disse...

Olá Elvira, sigo con atención e interese a túa historia, mais a vezes non entro no seu día e tenho que voltar atrás para coller o fio de novo. Está bem este clima de suspense que nos deixa agardando cómo se resolverán os problemas. Sinto o do seu cunhado. Grazas por entrar no meu Halloween! Por certo, esta festa que agora nos ven de América, foi levada alá por irlandeses xa que era antigamente unha festa celta chamada Samaín. Agora é festa de consumismo. Grande aperta.

Ana S. disse...

Olá Elvira. Mais uma boa história que terei de acompanhar desde o começo!
Abraço e boa semana

✿ chica disse...

Estou também curiosa e adorando, imaginando o que virá! bjs, chica

Rui Espírito Santo disse...

Creio que as previsões da Graça têm uma certa razão de ser ! Julgo que se virão a confirmar.
As dúvidas da Francisca, também são dúvidas possíveis, mas pouco prováveis nas futuras condições !
O "namoro", se tentado entre o casal, poderá resultar num final feliz, quem sabe se com um novo casamento de confirmação ! rsrs

Beijinhos, Elvira.

Pedro Coimbra disse...

E entre agora uma casamenteira em cena.
Boa semana

Janita disse...

Já com três episódios em atraso, aproveito o fds prolongado para pôr a leitura em dia.
Já sabemos que foi a amiga Graça que levou Francisca a tomar a decisão deste casamento de conveniência mútua.
Com esta parte esclarecida, fico a aguardar os próximos capítulos.

Um abraço.

Isa Sá disse...

Passando para acompanhar a história!


Isabel Sá
Brilhos da Moda

Anete disse...

Uma proposta muito arriscada, mas quem sabe dará certo?!? Já vi coisas desse tipo funcionarem muito bem!!
Aguardar p ver...
Um abraço

O meu pensamento viaja disse...

Bom feriado, Elvira e muita inspiração para continuar a tão bem tecer a teia deste enredo.
Beijo

lua singular disse...

Oi Elvira,
Eu conheço casais nessa situações que se deram muito bem, o amor a gente vai conquistando aos poucos.
Beijos
Lua Singular

Rosemildo Sales Furtado disse...

Por mais descabida que seja a proposta, não deixa de ser uma solução mutua.

Abraços,

Furtado

Smareis disse...

Resultado desse casamento arranjado, vai ser amor e paixão. Família feliz!
Beijos!