12.12.16

O PRIMEIRO PRESÉPIO VIVO


Foto de um presépio vivo feito pelos escuteiros de S, Francisco de Assis, em Cabo Verde, ano 2013. Foto Daqui







Em Itália, na aldeia de Grecchio, há séculos que os habitantes vêm contando de pais para filhos esta linda história:
«Francisco de Assis e os seus amigos tinham escolhido uma gruta próxima da aldeia para viverem uma vida de pobreza. Assim fora decidido entre eles. Afastados dos demais, os quatro jovens companheiros aproveitavam o isolamento para rezar.
Uma bela manhã, ao aproximar-se o Natal, Francisco resolveu que não iriam passar a festa sozinhos.
— Gostava que celebrássemos aqui o Natal — anunciou ele aos outros irmãos.
— Na gruta? — perguntou, admirado, o Irmão Rufino.
— Então Jesus não nasceu na pobreza? — respondeu Francisco. — O presépio de Belém não é semelhante à nossa gruta?
— Que óptima ideia! — aplaudiu o Irmão Leão .
— Então, mãos à obra! — exclamou Francisco, dirigindo-se de imediato para a aldeia.
Horas depois, ouvem-se mugidos na serra. Era o Irmão Leão que tentava trazer um boi para a gruta. Não era tarefa fácil! Atrás, vinham o Irmão Ângelo e o Irmão Rufino com um burro carregado com uma manjedoura que um morador emprestara. Durante todo aquele tempo, Francisco encarregara-se de encontrar figurantes para o presépio: uma rapariga para fazer de Maria e um rapaz, de José, um ou dois pastores e, claro, um recém-nascido!
Ao cair da noite, tudo estava pronto.
A jovem Maria foi a primeira a chegar. Estava muito comovida. Vieram depois os pastores, cada um com um borrego às costas. Mas José nunca mais chegava! De facto era tão tímido que receava não estar à altura do papel. Por fim, uma mulher pousou uma criança na manjedoura. Tinha-a agasalhado muito bem, com os bracinhos bem apertados ao longo do corpo para não apanhar frio ! A missa podia começar!»
Conta-se que este primeiro presépio vivo tocou profundamente os aldeãos que assistiram a esta missa tão admirável. Um acontecimento em particular marcou os espíritos: quando os sinos da aldeia bateram, ao longe, as doze badaladas da meia-noite, o recém-nascido acordou, abriu os olhos e sorriu!
E, não se sabe como, dos agasalhos bem enfaixados tirou os bracinhos para os estender na direcção dos habitantes da aldeia… Um autêntico milagre de Natal!


Christine Pedotti
24 histoires de Noël pour attendre Jésus
Paris, Mame, 2007
(Tradução e adaptação)


11 comentários:

Isa Sá disse...

Já fiquei mais informada por aqui.


Isabel Sá
Brilhos da Moda

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Muito interessante esta história dos presépios vivos.
Um abraço e boa semana.
Andarilhar

rendadebilros disse...

As lendas são maravilhosas. Trazem sempre muito mistério associado e é muito saudável relê-las. Bem haja pela partilha. Boa semana para si também! Beijinhos.

Edumanes disse...

Vivendo e aprendendo, o saber não ocupa lugar. Mais uma lenda que fiquei sabendo!
Continuação de boa semana amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Rui Espírito Santo disse...

Fez-me lembrar aquela miúda que chegou a casa a chorar copiosamente !
Os pais perguntaram-lhe o que se tinha passado e ela disse : "Já não sou virgem ! Sou uma vaca !!! ... e chora, chora.
Os pais procuram inteirar-se da situação, com profunda preocupação sobre a possível violação da sua filha ! :(
Depois de uma troca de palavras e de muita preocupação, a quererem levar a miúda à polícia e ao hospital, lá conseguiram entender que ela era para ser a Virgem Maria no presépio ao vivo, mas "uma cunha" de última hora de uma mãe muito influente na escola, fez com que ela passasse a vaca em vez de Virgem Maria.

Abraço, Elvira ! :)

lua singular disse...

Oi Elvira
Linoi demais
Eu não irei escrever muito sobre o Natal,pois ele virou uma boa ceia com peru, árvores de Natais com lindos presentes e o principal sentido do Natal a maioria das pessoas não está nem aí
Beijos
Lua Singular

© Piedade Araújo Sol disse...

Elvira

que história tão linda, e eu não conhecia

muito obrigada por a partilhar aqui.

boa semana.

beijinho

:)

maria disse...

Gostei!

Majo Dutra disse...

Uma lenda muito interessante e amorosa.
Abraço, Elvira.
~~~~~~~~~

Pedro Coimbra disse...

Não conhecia e achei lindíssimo.
Quem é que não acredita em milagres??

Odete Ferreira disse...

Sempre a encantar, Elvira!
Bjinho