2.10.15

REFLECTINDO



No último dia de campanha eleitoral, apetece-me falar de eleições. Não, não venho falar de partidos políticos, nem daquilo que este ou aquele candidato representa. Vivemos todos no mesmo país, sabemos bem como vivemos, e eu não vou passar atestado de burrice a ninguém, que esse é o papel dos políticos, não o meu. Venho falar-vos de que nunca em campanha alguma, eu ouvi tantos amigos e vizinhos dizerem que não vou votar. Espero que não seja o vosso caso, família e amigos. Queria só deixar aqui o mesmo que sempre digo a quem me diz que não vai votar.
A democracia não se fez só para exigirmos os nossos direitos. Ela também tem direitos, que são simultaneamente deveres. Um deles é o dever de irmos às urnas, porque só exercendo-o temos o direito de escolha, e o direito de apoiar ou reclamar de quem no futuro exerce o cargo.
Quando os militares de Abril fizeram a revolução, eles queriam essencialmente duas coisas. O fim da guerra nas colónias, e o sagrado direito de o povo se expressar e escolher quem iria representar no governo os seus direitos.
É uma falta de respeito enorme por quem lutou para nos dar esse direito a abstenção.
Se precisamos de um médico, de um advogado, de um engenheiro, escolhemos um e vamos lá falar com ele. Então se precisamos de um governo ou presidente, porque nos abstemos de ir lá?
O voto é a voz do povo. Algum de vós quer ser mudo? Eu não.

Desejo-vos um bom fim de semana

10 comentários:

Observador disse...

Não, não quero ser mudo.
Demonstra-lo-ei dia 4.

Bom fim de semana, abraço.

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Estou completamente de acordo com o seu texto minha amiga, pois a maioria dos descontentes são aqueles que não vão votar por isso deviam estar caladinhos.
Um abraço e bom fim de semana.

Edumanes disse...

Há muito tempo que eu percebi,
por isso não preciso mais de reflectir
em quem vou votar também já decidi
por mim, à vontade podem mentir!

De saber a cor deles não preciso,
castanhos, da cor do céu ou do mar
já decidi, de quem são eles não digo
nuns olhos bonitos pretendo votar!

Bom fim de semana amiga Elvira,
exerça o direito cívico de acordo com a vontade do seu coração. Assim eu farei também! Um abraço.

Fátima Pereira Stocker disse...

Cara Elvira

Falemos dia 4 e falemos sempre. E que a voz nunca nos doa, apesar de já nos ter feito doer!

Um grande abraço

aluap Al disse...

Eu vou votar!
Gostei do seu apelo ao cumprimento desse dever e usufruir desse direito.
Bjo e bom fds.

Majo disse...

~~~
~ Tem toda a razão, Elvira.

~~~~ Abraço amigo. ~~~~
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Rogerio G. V. Pereira disse...

Não comento
passa já da meia-noite
neste momento
(mas vou votar
nesse em que estás a pensar)

Graça Sampaio disse...

O voto além de ser um direito é um dever!!

Eu vou!!

Beijinhos gratos pela reflexão.

Silenciosamente ouvindo... disse...

Concordo comsigo amiga e até às 16 h. parece que tinham ido votar
mais pessoas que há 4 anos, mas não um número muito significativo.
Não entendo porque as pessoas não vão votar.
Bom domingo para si.
Bj.
Irene Alves

Andre Mansim disse...

Votar é uma atitude de cidadania, de consciência e de livre expressão da escolha. Todos deveriam votar! Mas apoio que o voto não seja obrigatório.