27.10.15

FOLHA EM BRANCO PARTE V



                                                                                               Foto do museu de Loulé

Miguel dirigiu-se à porta e encontraram-se num quintal. De um lado do muro, uma espécie  de arrecadação com duas portas.
Do outro lado, um tanque e um estendal.
Miguel abriu a primeira porta dizendo;
- Aqui é a casa de banho.
E afastando-se deixou ver os azulejos cor de terra, que contrastavam com as loiças brancas. O lavatório, embutido num armário branco, encimado por um espelho e uma prateleira onde pontificavam alguns objectos de higiene pessoal, e num canto, um cortinado de riscas coloridas, servia para ocultar o chuveiro.
- Foi construído pouco antes da morte da avó. Como vê a casa tem mais de cem anos, e nessa altura, uma casa de banho era um luxo que poucas casas tinham. Quando herdei a casa podia fazer obras, mas venho aqui muito raramente, quase sempre nesta altura do ano, porque a luminosidade e os tons são mais belos nesta época.
A jovem fez um movimento de assentimento com a cabeça, mas não pronunciou uma palavra, sabe-se lá perdida em que labirintos interiores.
O homem abriu a outra porta e deixou à mostra duas grandes arcas.
-Contém o “enxoval” da avó. Toalhas, lençóis e outras coisas da casa. As roupas de vestir,  doei tudo para um lar, depois da sua morte. Também não creio que alguma coisa lhe servisse – disse sorrindo.
A jovem continuava aparentemente ausente, e o homem interrogou-se sobre se seria capaz de levar a cabo, o que se tinha proposto, quando resolveu acolher a jovem.
- Agora que já conhece a casa, fique à vontade, eu vou comprar alguma coisa para o nosso almoço. Não quero deixá-la fechada, por isso prometa-me que vai esperar por mim.
A jovem não respondeu.
Miguel aproximou-se, e levantando-lhe o queixo, forçou-a a olhar para ele.
- Promete que me espera, enquanto eu vou comprar o nosso almoço?
Posso confiar em si?
A jovem olhou-o com os olhos rasos de água e fez um movimento de assentimento com a cabeça.
Sentindo um nó na garganta, Miguel pegou nas chaves e na carteira e saiu batendo a porta, como se quisesse com esse gesto, afastar a emoção que teimava em assalta-lo.


16 comentários:

Zilani Célia disse...

OI ELVIRA!
ESTOU DEVERAS CURIOSA PARA SABER QUAL O MOTIVO DE UMA MENINA TENTAR O SUICÍDIO, MAS DEVE SER ALGO TRISTE. BEM, AGORA ESTOU EM DIA COM A LEITURA E A ESPERA DA CONTINUAÇÃO.
ABRÇS
-http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Vera Lúcia disse...


Olá Elvira,

Miguel já está completamente envolvido pela jovem.
A cada capítulo o conto se torna mais envolvente.
Aguardo a continuação.

Beijo.

Pedro Coimbra disse...

Posso tentar adivinhar?
Esta casa é a chave para a memória da jovem.
Ando perto??

✿ chica disse...

Fiquei curiosa... Bem lindo e nos colocas ideias acerca do enredo, fazendo suposições. Vamos esperar! bjs, chica

Mariangela do Lago Vieira disse...

O amor já tomou do coração de Miguel!
Tomara dar certo!!
Fico aguardando.
Abraços!
Mariangela

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

magnifico o texto minha amiga deixando-nos na expectativa para o que se segue.
Um abraço e continuação de uma boa semana.

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

Desculpa minha ausência querida Elvira, estava viajando, mas agora voltei e virei por aqui ler seus escritos que amo.
Um abraço e agradecida por sua doce visita.

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

Desculpa minha ausência querida Elvira, estava viajando, mas agora voltei e virei por aqui ler seus escritos que amo.
Um abraço e agradecida por sua doce visita.

São disse...

Esperando a continuação...

Beijinhos

Rosemildo Sales Furtado disse...

A coisa começou a vislumbrar um final romântico. A minha curiosidade sempre aumentando.

Abraços,

Furtado.

Olinda Melo disse...


Isto está no caminho certo para uma grande história de amor.
Por enquanto, aguardemos. Deixemo-la desenredar as voltas deste
que se adivinha ser um grande conto.
Bjs
Olinda

Isa Sá disse...

Qualquer dia há um livro!

Isabel Sá
http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

Edumanes disse...

Para mais tarde ou mais cedo,
dentro desse baú, se calhar
está guardado algum segredo
esperando alguém o desvendar!

Tenha uma boa tarde amiga Elvira, um abraço.
Eduardo.

Dorli Ramos disse...

Oi Elvira.
O cupido já pegou Miguel
Amanhã volto, tive um dia daqueles.
Beijos
minicontista

Laura Santos disse...

Estranho tê-la deixado lá em casa sozinha...! Mas acho que ela ficará à espera.
xx

Socorro Melo disse...


Grande responsabilidade a do Miguel, diante do mistério que é essa mulher...


E vamos lá

Socorro Melo