31.10.15

FOLHA EM BRANCO PARTE X






Já era noite, quando Miguel estacionou o seu “carocha “ junto de casa. Enquanto recolhia as compras, olhou para a janela, e franziu o sobrolho ao ver a casa às escuras. Que teria acontecido? Teria a jovem ido embora sem lhe dizer nada? Apressado entrou em casa, acendeu a luz, e respirou aliviado ao vê-la a dormir no sofá com um livro aberto nas mãos.
“Deve ter adormecido de cansaço” pensou pousando os sacos em cima da mesa. Aproximou-se e tocou-lhe ao de leve no rosto. A jovem acordou assustada.
- Deixei-me dormir- disse, em voz baixa, como quem pede desculpa
- Eu vi,- disse ele sorrindo. E acrescentou:
-São horas de jantar, a pizza espera por nós. Separou dois sacos e estendeu-lhos.
- São para si. E pegando nos restantes dirigiu-se à cozinha sem esperar sequer um agradecimento. A jovem foi para o quarto e despejou os sacos em cima da cama. Olhou a roupa, e pela primeira vez esboçou um leve sorriso.
Depois dirigiu-se à cozinha onde Miguel acabara de pôr a mesa, e se preparava para abrir a caixa da pizza.
- Obrigado.
- Não vai passar a vida a agradecer-me pois não? Pense que eu sou seu pai, e como tal compete-me cuidar de si.
Foi ilusão sua, ou a jovem empalidecera? Preocupado perguntou:
-Que foi? Disse alguma coisa que não devia? Ou lembrou-se de algo? Parece que ficou perturbada.
- Não foi nada, disse a jovem sentando-se. Um leve arrepio, mas já passou.
 Miguel não insistiu. Limitou-se a partir e a servir a pizza, que comeram em silêncio. Terminado o jantar, a jovem lavou a loiça e Miguel enxugou-a e arrumou-a no sítio.
Depois, apontando um saco, junto à porta que dava para o quintal, disse:
-Nesse saco, está o detergente que pediu. E também um copo, uma escova e a pasta de dentes. Se precisar de algo mais, terá que me dizer, e amanhã compro. Nunca tive uma mulher em casa, não sei bem que coisas costumam usar. 
Calou-se. Se esperava algum comentário, não o recebeu. Retomou o monólogo. 
- Hoje é Segunda-feira, e às Segundas, é noite de tertúlia com os amigos. Quando quiser pode deitar-se. Não precisa esperar por mim, não sei a que horas, volto. O quarto tem chave, pode fechar a porta por dentro.  
A jovem mantinha-se calada, o que levou o homem a perguntar:
Ouviu o que eu disse?
Fez um aceno afirmativo.
-Então boa noite. Durma bem.
Boa noite Miguel- retorquiu docemente.


18 comentários:

Ane disse...

Oi Elvira! Estou realmente curiosa com o mistério que cerca a origem da personagem...Hum...

✿ chica disse...

Está maravilhoso e instigante! Adorando! bjs, chica

aluap Al disse...

Estive a ler os post's que não li durante a semana e reparo que a história ainda está muito misteriosa quanto à identidade da jovem.
Os pais são um dos pontos cardeais da vida e o desnorte dela poderá ter a ver com a figura paternal.

Bjo/bom fim de semana.

Ana S. disse...

a vida continua e o mistério também!
abraço e bom fim-de-semana

Edumanes disse...

Retorquiu docemente, pouco a pouco o silêncio será quebrado e o mistério será desvendado, de cujo esse encontro inesperado terá um final feliz. Espero bem que sim!

Tenha uma boa noite e um bom dia de domingo, amiga Elvira, um abraço.
Eduardo.

Isa Sá disse...

Mistério....

Isabel Sá
http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

Lilá(s) disse...

Parece-me bem interessante este enredo, vou ler lá mais para trás, devido a alguns contratempos tenho andado meio ausente...mas estou de volta
Bjs

Lilá(s) disse...

Acabei agora de colocar a escrita em dia, gosto muito Elvira!
Bjs

Vera Lúcia disse...


Olá Elvira,

Estranha a perturbação da jovem ao ouvir Miguel sugerir que ela pensasse nele como um pai.
O conto está ótimo.

Beijo e bom domingo.

Magia da Inês disse...


A história prende o leitor, parabéns!!!

Bom domingo! Ótima semana!
Beijinhos.
❀ه° ·.

Fátima Pereira Stocker disse...

Elvira

Estou a acompanhar com prazer, enquanto penso que a amnésia da jovem pode ser metáfora para a amnésia colectiva dos povos.

Beijo

Luis Eme disse...

tanto mistério.

feliz domingo Elvira.

abraço

Dorli Ramos disse...

Elvira, Quanto mistério...
Estou ansiosa
Beijos
Minicontista2

Laura Santos disse...

Estou a gostar!...Um homem que até limpa a loiça e a arruma no sítio!,-)) Mas até acho um pouco estranho ele deixá-la lá sozinha para ir a uma tertúlia. Ela poderia desaparecer outra vez, mas acho que não vai sair dali tão cedo!
Muito boa a história, Elvira!
Bom domingo!
xx

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

A história vai crescendo de emoção até o visual do blog mudou.
Um abraço e boa semana.

Zilani Célia disse...

OI ELVIRA!
ESTOU CURIOSÍSSIMA PARA SABER QUAL O MISTÉRIO E GOSTANDO MUITO.
ABRÇS
-http://zilanicelia.blogspot.com.br/

Rosemildo Sales Furtado disse...

E assim, a intimidade entre ambos, aos poucos, começa a aumentar.

Abraços,

Furtado.

Socorro Melo disse...


Desconfio que a menção ao pai perturbou a jovem, porque talvez tenha algo a ver com o seu mistério... Será?


Socorro Melo