12.4.16

MANEL DA LENHA -PARTE XLVIII


                                               foto do google


Em Agosto toma posse o novo governo de Salazar que haveria de ser o último do ditador, pois poucos dias depois cai de uma cadeira, no forte de Santo António da Barra no Estoril e isso é o início do fim de Salazar.
No princípio de Setembro, dá os primeiros sinais de que mentalmente não está bem, e dias depois é operado de urgência ao cérebro. As notícias dizem que tudo está bem mas a 16 desse mesmo mês, sofre uma trombose.
No dia seguinte há reunião de Conselho de Estado, onde se discute a nomeação imediata de um novo Presidente do Conselho, e Américo Thomaz inicia conversações que terminam com a nomeação de Marcelo Caetano para o lugar.
Enchem-se de esperanças os corações dos trabalhadores. Confiam em que vai haver mudanças e a vida vai melhorar para o povo. 
Toma posse no dia 27 desse mesmo mês de Setembro mas para quem esperava uma mudança de política, foi uma decepção. Marcelo opta pela continuidade e apenas muda dois ou três ministros.
E chegou Outubro, voltaram os barcos carregados de bacalhau, voltaram do norte os amigos do Manuel para a Safra.
Por essa altura, ele andava triste pois o seu irmão João estava cada vez pior da asma que o acompanhara toda a vida. Como já referi várias vezes, João fora sempre um apoio moral, e em alguns casos de maior aflição, também material, para o Manuel. A irmã Laurinda a viver no Fogueteiro, raramente vinha à Seca, ver os irmãos, e Manuel, talvez pela diferença de idades, ou por ser rapariga, nunca tivera uma grande ligação afectiva à irmã.
Dias depois, o ti Abel trouxe uma má notícia para o Manuel. Uma carta do cunhado, dizia-lhe que o filho, que tinha ido para a guerra em Angola, zona de Cabinda, sofrera uma emboscada, tinha uma bala na coluna, estava no hospital de Luanda à espera de ser evacuado para Lisboa, onde iria ser operado.

12 comentários:

Rogerio G. V. Pereira disse...

Em certo sentido
só este texto
daria um livro

E quanto à esperança em Marcelo, sabe que mais?
tal esperança foi forjada pelos jornais
é que, não sei se sabia
muito pouca gente o conhecia

Andre Mansim disse...

Parece uma crônica, de tão bem escrito.
Acho que você é a melhor contista da blogosfera.

Muito bom.
Pena que não posso vir aqui todo dia.

Pedro Coimbra disse...

Marcello Caetano, ainda hoje uns dos melhores administrativas portugueses, foi um excelente académico.
Já como político todos sabemos no que deu.

Isa Sá disse...

Por aqui escreve-se muito bem!


Isabel Sá
http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Um belo resumo histórico, só é pena o senhor não ter caído da cadeira vinte anos antes.
Um abraço e óptima Quarta-Feira.

✿ chica disse...

Te acompanhando, seguindo contigo e gostando muito! bjs, chica

Renata Maria disse...

Muito bom esse apanhado histórico, amiga.
Beijo e bom dia*

Blog da Gigi disse...

Lindo dia!!!!!! Beijos

Bell disse...

Aprendi mais por aqui hoje.

bjokas =)

Bea Simpson disse...

Obrigada pela sua visita. Eu também gosto de ler seus escritos moito interesantes que como, este, ofrecen uma lembranza histórica.
Parabéms polos libros e polo trabalho tan exquisito que nos amosa aquí. Aperta.

Gaja Maria disse...

E a vida lá vai continuando com seus altos e baixos :)

Laura Santos disse...

E os soldados a continuar numa guerra sem sentido. Salazar deveria ter caído da cadeira há muito mais tempo.
xx