12.12.15

AMANHECER TARDIO - PARTE XV




Foto minha


Acabou de se vestir e olhou-se no espelho do roupeiro. Por momentos ficou indecisa entre um ténis brancos e uns sapatos rasos, azuis, tipo sabrina. Acabou por escolher estes e juntou o ténis ao restante calçado, num saco de lona azul com riscas brancas.
Fechou a mala e colocou o saco com os sapatos em cima.
O telemóvel tocou de novo.
- Bom dia. Está tudo bem? – Perguntou Amélia
- Bom dia. Sim, está. E contigo? Alguma coisa urgente? Vi que ligaste quando estava no banho.
- Queria saber a que horas chegas. O Paulo esteve cá. Quer que vamos a um jantar de despedida esta noite em sua casa.
- Está bem. Chego cedo. E ele? Disse se já tem substituto?
- Diz que sim, mas ainda não chegou. Parece que é um filho de um amigo do Paulo.  Segundo ele não vivia em Lisboa.
- Está bem. Logo falamos. Estou a acabar de arrumar as coisas. Dentro de uma hora mais ou menos, estou a caminho.
- Então até logo. Boa viagem.
-Obrigado.
Terminada a chamada dirigiu-se à casa de banho com uma pequena bolsa, na qual guardou os objectos de higiene pessoal.
Depois de transportar tudo para o carro, percorreu a casa a ver se tinha esquecido alguma coisa,  colocou os óculos escuros, guardou o telemóvel na bolsa que colocou a tiracolo, pegou  nas chaves e saiu. Tocou a campainha do lado e entregou à senhora as chaves da casa. Esta desejou-lhe boa viagem e deu-lhe um cartão com o número do telefone. “ Pode precisar quando voltar para estes lados” disse.
Isabel agradeceu e finalmente meteu-se no carro e subiu a rua em direcção à parte alta da cidade. Aí poderia seguir para a A 22 a chamada “via do Infante”, mas Isabel pretendia tomar o rumo contrário e seguir em direcção à marginal. Queria olhar a baixa e o mar pela última vez.  Sairia da cidade pela marginal,  na direcção do Chinicato, e aí entraria na "via do Infante".
  . E foi o que fez. Passou pelo parque de campismo, viu a estátua de S. Gonçalo, passou pelo forte Pau da Bandeira, pelas muralhas de castelo sempre procurando um sítio para estacionar. Conseguiu o tão precioso lugar bem em frente do mercado municipal quase por trás do banco onde estivera sentada no dia anterior.








Amigos/as.  O site Maria Capaz, acaba de publicar um pequeno conto meu.
Se puderem passem por lá. O tema do conto é a violência a que muitas mulheres estão sujeitas. AQUI o link  para o conto. Muito obrigado a todos.

16 comentários:

AC disse...

Elvira,
Paira no ar, como se de aroma se tratasse, o prazer que sente no forjar destes enredos. Espero que a escrita lhe continue a dar prazer, os seus leitores é que ficam a ganhar.

Um beijinho :)

Ane disse...

Oi Elvira! Depois de lidos os capítulos que não tinha lido ainda,me parece que Isabel vai encontrar o marido novamente,acho que ele não morreu...Vamos ver se acertei!Beijos!

Vera Lúcia disse...


Olá Elvira,

Fui lá no link indicado ler o seu conto e deixei meu comentário à respectiva postagem.
Li o atual capítulo, muito bem escrito, e aguardo a continuação.

Ótimo final de semana.

Beijo.

Edumanes disse...

Estou aqui a pensar de que nesse jantar de despedida. Isabel vai ter uma surpresa agradável?

Tenha amiga Elvira, uma boa noite e um bom dia de domingo. Segundo as provisões dos meteorologistas será chuvoso!

Janita disse...

Antes que suspenda a continuação desta interessante história, apressei-me a ler os episódios em falta e, deixe que lhe diga, Elvira: A sua inspiração é uma fonte inesgotável!! Impressionante!
Fico a aguardar que até dia 15 a vida da Isabel dê uma reviravolta e nos traga agradáveis surpresas!

Um abraço e bom Domingo.

aluap Al disse...

Li agora os vários episódios e das duas uma: ou o marido dela não morreu, ou o substituto do Paulo também vai ser o substituto do Fernando. Estou mais inclinada para um novo amor na vida de Isabel.
Abraço e bom domingo!

Andre Mansim disse...

Olá Elvira, como sempre, estou a ler picado, feito galinha catando milho no quintal. Infelizmente só apareço na blogosfera aos finais de semana. Mas sabe de uma coisa, seus capítulos são tão belos, que cada um dá uma postagem independentemente da história em sí!

Vou lá no outro blog!

Maria do Mundo disse...

Parabéns pela publicação do conto. Contínuo a seguir este.

Odete Ferreira disse...

Parabéns, Elvira. Deixei no Maria Capaz uma breve nota.
Bjo, amiga :)

Odete Ferreira disse...

Sobre este conto: continuo a seguir com curiosidade. Em breve, a vida de Isabel vai mudar. Já se percebem alguns indícios!
Bjo, amiga :)

Isa Sá disse...

Que seja um ótimo domingo!

Isabel Sá
http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

Muito bom seu jeito de escrever, você nos deixa curiosos, um abraço querida Elvira e bom domingo.

Laura Santos disse...

Esse vai ser com certeza um jantar importante. Que m sabe se com uns olhos cinzentos à mesa?...
xx

Rosemildo Sales Furtado disse...

Filho de um amigo do Paulo. Será ele o felizardo?

Abraços,

Furtado.

Dorli Ramos disse...

Oi Elvira ,ontem você esteve no meu blog, obrigada.
Estou gostando do enredo.beijos
Minicontista2

Ana Freire disse...

Mais um capitulo lido...
Gosto imenso da forma como escreve, Elvira! De leitura clara, detalhada, e sempre mantendo o interesse da narrativa...
Beijinho
Ana