17.12.15

DOCES TENTAÇÕES - FILHOSES




                         Esta foto, tirei da net. As minhas nunca ficam tão redondinhas.



Como eu disse noutro post, a minha mãe não sabia fazer filhoses, pelo que eu não aprendi a fazê-las. No Natal de 70, em Nampula, o primeiro que passava longe da família, eu queria fazer filhoses para o marido mas não sabia fazê-las. Naquela altura, não havia net para se ir em busca de uma receita.
Uma vizinha, mulher de um camarada do marido, senhora mais velha, natural de Setúbal, me deu esta receita, que faço até hoje.
 A receita, é muito simples, não envolve esforço de amassar, pois a massa é feita com a batedeira como se fora um bolo. E não levam aguardente. Nem açúcar. A não ser claro para polvilhar.
Então lá vai

1 Kg de abóbora
20 gr de fermento de padeiro
400 gr de farinha sem fermento
4 ovos
Raspa e sumo de 1 laranja
1 pitada de sal.
Açúcar e canela qb



Corta-se a abóbora em pedaços e coze-se. Depois de cozida, esmaga-se, escorrendo a água em seguida. Junta-se-lhe o fermento, enquanto está quente para que o derreta. Depois da pasta de abóbora com o fermento estar frio, junta-se a farinha, os ovos, a raspa de laranja e o sal. Bate-se bem.
Junta-se-lhe de seguida o sumo da laranja e bate-se mais um pouco.Tapa-se o recipiente da massa com um pano de cozinha, envolve-se num cobertor ou edredon, e aguarda-se três horas. Findo esse tempo, retiram-se com um colher, pequenas porções de massa e fritam-se em óleo. Escorrem-se sobre papel absorvente e polvilham-se com a mistura de açúcar com canela.

Para as de cenoura, só se troca a abóbora por cenoura. De resto é tudo igual.

Estas filhoses mantêm-se  macias mesmo passados dias do Natal.


17 comentários:

Isa Sá disse...

Não sou grande apreciadora de doces de Natal.

Isabel Sá
http://brihos-da-moda.blogspot.pt

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

O meu colesterol com tanta coisa deliciosa, nesta altura vai disparar de certeza absoluta.
Um abraço e continuação de uma boa semana.

Blog da Gigi disse...

Abençoado dia!!!!!!!!!! Beijos

Jaime Portela disse...

Doce tentação... és a minha perdição...
Elvira, minha querida amiga, tem um bom resto de semana.
E um NATAL MUITO FELIZ, extensivo aos que te são mais queridos.
Beijo.

Aflores _ disse...

Com tanta coisa boa, nem sei por onde começar.
Mas a quadra é de festa, por isso... alinho em tudo!

Tudo de bom.

António Querido disse...

Até há cinco anos atrás era uma tia da minha Maria, que se encarregava de trazer uma taça delas, bem boas, agora é tarefa para a minha filha mais velha, que as faz muito fofinhas, assim como as merendeiras de Natal, o cabrito e perú assados no forno é para a minha Maria Celeste no dia de Natal, para a noite de Natal o fiel amigo com as couves, os camarões grelhados e as sapateiras é tarefa para a minha cunhada há muitos anos, como manda a tradição familiar! Esperando que assim continue por mais uns aninhos.

FELIZ NATAL

Ana S. disse...

ai que bom! natal é isso mesmo. Desencantamos as receitas que são só usadas nesta época e por isso mesmo lembram mais a natal.
Abraço

Anete disse...

Não conheço este tipo de doce, Filhoses! Um dia ainda vou provar e me deliciar!!
Um abraço, querida Elvira. Gosto de saber das novidades de Portugal.

Fernando Santos (Chana) disse...

Muito bom...Espectacular....
Votos de Boas Festas....
Cumprimentos

Laura Santos disse...

Filhoses, só quando a minha mãe era viva, e como faleceu em 1985, desde essa altura nunca mais consegui comê-las. Embora saiba fazê-las, deixei de apreciá-las.
xx

lua singular disse...

Oi Elvira, fiquei com vontade
Deve ser uma delícia.
Beijos
Lua Singular

Pedro Coimbra disse...

Comi aqui há dias feitas pela mãe de uma colega.
Já marchavam outra vez!
Bfds

Elisa Bernardo disse...

A minha todos os anos faz madrugada dentro. Natal sem filhoses la em casa já nao é natal :)
Aqui também conhecidas como "orelhas de abade" . Beijinhos

elisaumarapariganormal.blogspot.com

Ana Freire disse...

Este é que é o doce, que me tira do sério pelo Natal!...
Quando começo a comê-las... fica difícil parar... :-D
Adorei a sua receita, Elvira, por não ser necessário amassá-las.
Também costumo comê-las com calda... mas prefiro esta versão com açúcar e canela, também... as minhas, também nunca ficam redondas...
Beijinhos! E obrigada, por esta partilha maravilhosa, que certamente, irei experimentar, nesta versão, sem amassar...
Ana

LopesCa Blog disse...

Ai que maravilha.
Aguardo ansiosa pelas da minha mãe :)

Vieira Calado disse...

Gosto muito de filhozes com mel...
Mas hoje vinha expressamente para desejar-lhe, e aos seus, uma excelente quadra natalícia!

*E poderá ver o meu cinepoema Natal dos sem Abrigo em
http://vieiracaladolivrosvideo.blogspot.com

Portuguesinha disse...

Ora bolas!
Só agora vi esta receita, rsss.
Na minha família as avós faziam... mas a receita nunca foi passada. Não é tanto os ingredientes mas a forma como lidar com eles, que era o truque! :D
Beijinhos