3.12.15

AMANHECER TARDIO - PARTE IV



Santuário do Sameiro     

Imersa nas suas memórias, Isabel reviu o dia do seu casamento. Sentia-se a mulher mais feliz do mundo. E a mais bela, envolta no longo vestido branco de renda e cetim, meio escondida atrás do véu de tule, tudo confeccionado com muito amor e carinho pela sua mãe com a ajuda da madrinha. Isabel era filha única, nascera quando a mãe já passara os quarenta, e os pais casados há mais de 20 anos já se tinham conformado com o facto de não terem descendência. Fora assim uma menina muito amada, a quem os pais tentavam dar tudo o que podiam.
E às vezes até com sacrifício das suas próprias necessidades.
Reviu a igreja enfeitada, o choro nervoso da mãe, e o brilho no olhar de Fernando que a esperava junto ao altar enquanto ela avançava pelo braço do pai, e por fim o abraço emocionado dos pais após a cerimónia que a uniu a Fernando.
A partida para a lua-de-mel em Braga, as noites de louca paixão, os dias de descoberta, os passeios pela cidade, a ida ao Bom Jesus, em agradecimento pela felicidade partilhada, as fotos tiradas na Senhora do Sameiro, o regresso a casa, a volta do marido ao emprego, os seus primeiros dias como dona de casa, a sua decisão de arranjar um trabalho fora de casa, que lhe ocupasse não só parte do tempo morto que passava sozinha, mas que também desse para ajudar no orçamento, tudo passou pela sua memória como se fora um filme.
A manhã ia avançando e embora o sol ainda não se tivesse feito presente, o dia estava agora muito melhor e a praia começava a encher-se de gente. Isabel olhou para trás e viu que estava já tão longe que a cidade mal se via ao longe. Resolveu voltar e deu meia volta percorrendo agora o caminho inverso.
O telemóvel voltou a tocar e de novo era a sua assistente. Depois de uma breve conversa, desligou o aparelho e sentindo sede, lembrou-se que deixara a garrafa de água na bolsa. A poucos metros nas dunas avistou um pequeno restaurante e dirigiu-se para lá.


14 comentários:

Anete disse...

... Voltei para ver mais dos passos da Isabel!
Lembrando, olhando p trás com determinação...

Vamos Adiante... Na caminhada os pensamentos vêm e podemos ordená-los c firmeza! Além de relaxar... Rsss!

(Venha Cirandar comigo no Ciranda de Frases)
Abraços e Boa Niite, Elvira...

São disse...

Continuando a ler, aguardo a continuação.

Bom serão e abraços

Edumanes disse...

Isabel recordando o passado, de férias em Laços, aproveitando na praia o calor sol. Sonhando com o futuro. Poderá no presente encontrar o amor da sua vida!

Tenha uma boa noite amiga Elvira, um abraço.
Eduardo.

Laura Santos disse...

Só espero que ela não tenha deixado os documentos na bolsa... e afastar-se assim.
xx

Rogerio G. V. Pereira disse...

Comecei a ler agora...

Vera Lúcia disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Vera Lúcia disse...


Olá Elvira,

Estou curiosa para saber mais sobre a vida de Isabel e conhecer os motivos que a abalaram a ponto de quase perder a sua sanidade mental.

Aguardemos...

Beijo.

maria mestre disse...

Quero saber o que vem depois... Quero muito saber o que vem depois!!

maria mestre disse...

Quero saber o que vem depois... Quero muito saber o que vem depois!!

Pedro Coimbra disse...

E dentro do restaurante encontrou....
Bfds

Isa Sá disse...

Voltando para acompanhar a história.

Isabel Sá
http://brilhos-da-moda.blogspot.pt

Dorli Ramos disse...

Oi Elvira
E a curiosidade a toda a prova
Beijos
Minicontista2

Socorro Melo disse...


A caminhada sempre nos favorece oportunidade de estarmos a sós com nós mesmos. Sempre fazemos uma retrospectiva, ou projetos para o futuro...

E essa bolsa que ela deixou tão longe? Se fosse aqui no Brasil, com certeza não a encontraria mais...

Rosemildo Sales Furtado disse...

Continuo gostando e aguardando os acontecimentos.

Abraços,

Furtado.