8.10.11

COISAS QUE ME IRRITAM



Há coisas que me irritam e me fazem “saltar dos carretos”. E é claro que não estou a falar de novos impostos, nem do novo preço dos medicamentos que é diferente cada vez que vou à farmácia, nem da falta de empregos nem do aumento dos transportes, ou de outras “gracinhas” do governo, e da tão famosa troika.
Não que isso não me irrite. Irrita e de que maneira. Mas como isso é mal de todos, não é disso que quero falar hoje.
Do que quero falar hoje é das pessoas que fazem do passeio um escarrador, lançando para ele as suas secreções salivares. Que é como quem diz, cospem e escarram para o passeio com a mesma naturalidade com que falam ou riem.
Irrita-me as outras que gostam muito de animais, têm às vezes mais do que um em casa, e na hora de irem passear o/s canito/s, vão para o parque, ou mesmo para a rua de trás, ou da frente para que os animais se aliviem longe da sua porta, sem se preocuparem em levar o saquinho para efectuar a recolha dos dejectos dos animais, conspurcando assim a rua.
Irritam-me os “cavalheiros” que se sentam a meu lado no autocarro e que abrem as pernas como se fossem um pavão a exibir o rabo, e me entalam de encontro à janela para não ficar num roça-roça  promíscuo.
Irritam-me os meus vizinhos de cima. Não que eu tenha alguma coisa contra o facto de se lembrarem de fazer amor às três, quatro, ou cinco horas da manhã. Nada disso. Eles são jovens, devem estar apaixonados. Aceito que não possam trocar de cama. Afinal de contas estamos em tempo de crise e a vida não está nada fácil. O que me irrita é a falta de criatividade deles. Porque raios têm que fazer sempre amor, numa cama que range tanto, mas tanto que mais parece comboio antes de travar na estação? Porque raio os vizinhos têm sempre que testemunhar o acto? E garanto-vos que eu tenho o sono pesado e não acordo assim por dá cá aquela palha. Porque é que não vão para o sofá? Para o chão, ou para a mesa da cozinha. Que diabo no meu tempo os jovens tinham mais imaginação.


NÃO ESQUEÇA SE AINDA NÃO LEU QUE ESTÁ AÍ EM BAIXO O ÚLTIMO CAPITULO DA HISTÓRIA DE ISABEL.
BOM FIM DE SEMANA E BOAS LEITURAS

16 comentários:

BRANCAMAR disse...

Querida Elvira,

Tudo que a irrita, também me irrita a mim, excepto a vizinha de cima que é sózinha, :)

Não me esqueço da história da Isabel não, sei que me falta recuperar mais de metade, mas prometo que passarei por estes dias.

Um bom fim de semana e beijinhos.

Odele Souza disse...

Querida Elvira,

Assim como a amiga Brancamar, também a mim irritam-me as mesmas coisas que aqui mencionas. A única diferença é que minha vizinha do andar de cima anda com seu sapato de salto durante a madrugada, provavelmente quando retorna de seus passeios.

Escarrar nas ruas e não recolher os dejetos dos animais é de uma falta de educação e cidadania sem tamanho. Que irritante!

Beijos amiga e bom fim de semana.

BlueShell disse...

hahaha...Ó Elvira, minha querida...concordo contigo: essas coisas irritam, essas e outrs....mas a forma adorável como exoões "a coisa" é hilariante!!!

Beijos meus de imenso carinho.

Isamar disse...

Já cá estive, deixei comentário mas não entrou. Vamos ver se é desta. Escrevi eu que concordo absolutamente contigo embora não tenha quaisquer queixas da vizinha de cima. Não a ouço em circunstância alguma embora uma outra vizinha, de outro andar, se queixe da sua vizinha de cima.
Fartei-me de rir com a forma como expões o caso dos " cavalheiros" sem cavalheirismo.

Beijinhos

Bem-hajas!

De Amor e de Terra disse...

Olá Elvira. Compreendo muito bem a sua irritação Amiga, nem sabe quanto...por todos esses e mais alguns.
Venho lê-la e agradecer a publicidade ao meu evento no seu Blog.
Um beijo de muita Amizade.
Maria Mamede

Fátima Pereira Stocker disse...

Elvira

Fez-me rir! Mas pense nos seus vizinhos de outra forma: se calhar é com boa intenção que escolhem horas tão tardias... não querem incomodar!

Também me fez lembrar de uma canção do Sérgio Godinho (2.º andar direito)que conta uma história muito bonita, com aquela enorme capacidade poética que ele tem:

(...)
E agora, da cama
vem uma voz que diz sussurrando: És tu?
e a luz acende-se sobre um braço nu
e a mulher pergunta: a que vens agora?
é que não sei se reparaste na hora
deixa dormir quem quer dormir, vai-te embora
amanhã tenho de ir trabalhar.

(...)
E assim se ouviu
pela noite fora os dois amantes falar
e o que não vi só tive de imaginar
é preciso explicar que sou o vizinho
e à noite vivo neste quarto sozinho
corpo cansado e cabeça em desalinho
e o prédio inteiro nos meus ouvidos

Um abraço

esteban lob disse...

Paso a leerte y a desearte un feliz fin de semana.

Nilson Barcelli disse...

Essas coisas também me irritam.
Mas há muitas mais que não...
Enfim, é a vida...
Querida amiga Elvira, tem um bom fim de semana.
Beijos.

JOSÉ ROBERTO BALESTRA disse...

Bendita ira, Elvira! Parabéns! De fato viver em sociedade também requer um pouco de discrição, não é mesmo?

Quanto aos (des-)cavalheiros maliciosos nos auto-carros, os donos de animais "passeantes" indevidamente, o flagrante hilarioso é sempre uma boa solução; deixá-los constrangidos inteligentemente bem na horinha-agá de suas falhas é a lição ideal. O fator surpresa desmonta qualquer um. Ajo dessa forma por aqui diante de semelhantes situações.

Quanto aos "jovens apaixonados", o mesmo remédio: ao casual encontro com qualquer deles, uma palavrinha irônica acerca de ter sido acordada pelo ato "madrugadino" deles, costuma corrigir a "falha" deles na discrição.

Elvira, tenha um ótimo final de semana, apesar dos "vizinhos indiscretos", dos "homens asnos" dos autocarros, ou dos "animais falantes" que puxam coleiras ruas afora...

bjs

Lu Cavichioli disse...

kkkkkkkkkkkk Ai Elvira, você é muito divertida, muito mesmo!

Adorei ler esse teu desabafo a coisas que te irritam. Temos que jogar pra fora tudo que nos incomoda. Mas essa da cama ranger kkkkk foi o melhor!

Verdade, em meu tempo a criatividade corria solta. O sofá é uma boa pedida! rs

Beijão querida e um lindo fim de semana!

Adorei essa blog
xau linda!!

Fátima Pereira Stocker disse...

Elvira

Queira desculpar-me, mas o meu comentário saiu truncado, fruto do hábito de escrver em word e depois copiar.

Ficou por dizer que o vizinho a que se refere o Sérgio Godinho me representa a mim. Também eu tenho "o prédio inteiro nos meus ouvidos" e, confesso, comovo-me por ouvir o vizinho de baixo a ensinar o filho a marchar porque foi incorporado no exército (um! dois!...um! dois!); sensibilizo-me com o cão dos vizinhos de cima que desata em correria esfusiante, feliz porque os donos chegaram a casa; alegro-me com as gargalhadas de outra vizinha, satisfeita por ter a casa cheia dos filhos e dos netos... Enfim, são gente que é tão feliz como eu gostaria de ser.

Mas fora isso, há muitas coisas que me irritam, além daquelas que enumera (ter de ouvir a música dos outros, por exemplo)

Um abraço

lourdes disse...

O problema é que há muitos casais em que o prato é só o "arroz com feijão" e por isso não se pode tentar nada diferente.
Ou então pensam que a casa tem um bom isolamento!!!!!!!!!!!!!!

Ana Martins disse...

Elvira,
E mesmo assim, penso que os menos irritantes são mesmo os vizinhos de cima, já que o que me tira mesmo do sério são as questões que a Elvira abordou primeiro, e de uma forma tão engraçada, que me deixou a rir a mim e ao meu marido, já que fiz questão de lhe mostrar.

Beijinho,
Ana Martins

BlueShell disse...

Vim do Blog da "São" e dizias "Decididamente não posso acreditar no que aparece lá no Sexta.
..."

Que é que aconteceu???

Fiquei aprrensiva...

BShell

Luma Rosa disse...

Todas as coisas que te irritam também me irritam.
Ah, os animais não escarram ou cospem e fazem suas necessidades publicamente porque os homens assim os ensinam.
Esse casal nessa barulheira durante a madrugada se mostrando para as pessoas... deve ser fetiche (rs*) e quem se concentra com tanto barulho de cama rangendo?
Tenha um ótimo domingo!

Pitanga Doce disse...

Falta de criatividade????? hehehe Quem se lembra disso nessa hora, Elvirinha?