24.10.11

ROSA - PARTE X

 Antiga  máquina, ou fogão a petróleo  - foto do Google



Continuar

PARA TODOS UMA BOA SEMANA

14 comentários:

Dulce disse...

Acompanho o desenrolar da história com muito interesse, torcendo pela felicidade dos noivos...

Severa Cabral(escritora) disse...

Menina eu tbm estou na torcida pela felicidade dos noivos e só quero ver agora o desfecho desse casamento...
bjsssssssssss

esteban lob disse...

Me estoy poniendo al día, Elvira, de las partes que no conocía.

Un abrazo desde Chile.

Celia disse...

Passei pra desejar uma boa semana. Bj

Isamar disse...

Muito, muito, interessante Elvira. Uma boa lição sobre o quotidiano das gentes que viviam nas zonas industriais do país nos séculos XIX E XX.Tantas dificuldades e tão conformados com o que a vida lhes oferecia! Certamente provindos de outras regiões bem piores davam graças a Deus por terem assegurado o pão de cada dia para si e para os filhos.
Um excelente episódio!

Bem-hajas, amiga!

Beijinhos

Emíliana disse...

Olha só que lindo!Estou curiosa para saber o desenrolar da vida da Rosa e o marido.A descrição da roupa foi perfeita,pude ver uma linda garota com os trajes que vc a vestiu.
Elvira,minha linda,uma ótima semana.
Bjka

Paulo Cesar PC disse...

Elvira, como diz uma música do passado aqui no Brasil, "E viva as Rosas, à todas as Rosas, cantadas em versos, cantadas em prozas". Aqui a Rosa é também protagonista. A história também nos remete a uma certa nostalgia. Não sei porque mas me ocorreu isso enquanto fazia a leitura desse texto. Aguardemos o próximo capítulo. Elvira, um beijo no seu coração.

São disse...

Está aqui a espelhada a dura realidade do Estado Novo...para onde , receio muito, estamos recuando.

Boa semana.

。♥ Smareis ♥。 disse...

Elvira,estou acompanhando e curiosa pelo próximo capitulo.Bonito a descrição, um trabalho justo e bonito a Seca do Bacalhau.Achei bacana ir pra igreja de carroça.Hoje os ricos estão imitando, usando charrete enfeitada de flores no casamentos em sítios.Beijos e ótima semana.

O Guardião disse...

Como as pessoas se contentam com pouco, e encontram felicidade em coisas que muitos nem sequer valorizam.
Cumps

Mariazita disse...

Os tempos mudaram muito. E, se nalgumas coisas estamos melhor, não se pode dizer o mesmo de tudo.
Neste capítulo o que mais chamou a minha atençõ, e me agradou sobremaneira, foi a solidariedade manifestada por gente tão simples, tão humilde, tão pobre, que conseguiu todos esses tesouros para oferecer. Tesouros, sim, porque recheados de muito amor ao próximo.
Aguardo a continuação.

Uma boa semana. Um abraço.

Graça Pereira disse...

Uma página de história vivida não há muito tempo atrás...Difícil a vida mas por certo Rosa e o marido tinham maior noção do que era a felicidade e como esta se construia com tão pouco... Os banhos, fizeram-me lembrar os que o meu pai contava, passados no interior do mato, em África!
Um beijo
Graça

BlueShell disse...

Ora...como ando "atrapalhada" e não tenho vindo, vou recomeçar aqui por baixo...

BlueShell disse...

Gostei!
os preparativos para o casament e como, com pouco, se consegu ser feliz.