17.10.11

ROSA - Parte V


Foto da Av. Da Liberdade nos anos 40. Da net


Continua


7 comentários:

Sofá Amarelo disse...

Interessante e empolgante até ao momento e de certeza até ao fim.

Um beijinhoooo

Severa Cabral(escritora) disse...

Boa noite minha querida !
Vc esteve no meu cantinho e derramou palavras lindas...venho te agradecer e dizer que escreves muito bem ...seu conto é magnifico,com essa história encantadora,nos comove ...quero ver o final,kkkkkkkkk
Bjssssssssssssss

Isamar disse...

Há sempre uma alma boa nos momentos mais difíceis da nossa vida.Vamos ver se assim continua!
Continuo a ler-te com muito interesse apesar de sentir um arrepio cada vez que penso que estas vidas existiam. Não me digam que antigamente as pessoas eram mais felizes. Eram mais ignorantes, muito pobres mas mais solidárias.

Beijinhos

Bem-hajas!

Dulce disse...

Pobre menina... parece que vai meter-se outra vez em confusão... Tomara que não, mas parece...

Cissa Romeu disse...

Elvira,
vi teu comentário interessantíssimo no blog de meu amigo Paulo César, tenho alguns amigos portugueses, acabei vindo parar aqui...,
e encontro além da: Mariazita, a Severa, o Paulo César, também te texto. Um conto muito bom, instigante que deixa a gente pensando e com vontade de ler mais, e continua... pois, quero ler o restante! :)

Estou seguindo teu blog e te convido a conhecer o meu.
Grande abraço e ótimos dias!

lis disse...

Oi Elvira
Li os dois capítulos num folego só rs
E como tristeza nunca vem pouco teve que perder a avozinha que se nao podia lhe dar bens materiais dava-lhe o que melhor que possuimos, o amor .
E ela corajosa bravamente foi procurar novos horizontes, tomara que se dê bem no novo lar que a acolheu.
estou torcendo Elvira rsrs
espera-me , se chegar atrasada leio tudo , está empolgante... rs
abraços de uma boa noite.

BlueShell disse...

Ai...agora fiquei curiosa; será um "anjo" em forma de mulher? Será que a sorte de Rosa muda para melhor?...Ou será que a espera outro "inferno"?


....abertas estão as possibilddaes e o suspense inatalou-se.

(vou subir)