14.10.11

ROSA Parte II



Continua

8 comentários:

Dulce disse...

Este conto promete. Não quero perder nem uma linha...

Beijos

São disse...

Está recordando-me Júlio Dinis.

Um resto de noite sereno, o mais possível.

MARILENE disse...

Seu conto cresce, enquanto nos coloca no local descrito, sentindo as emoções da jovem. Isso é encantador em uma leitura, pois vamos sendo envolvidos de tal maneira que desejamos chegar ao fim (rss). E ainda não acabou.

Bjs.

Isamar disse...

Ainda há pouco mais de uma semana, estive numa desfolhada e quase todos os anos participo neste "folguedo" que me faz recuar a tempos muito felizes onde estavam presentes os avós, pais, tios e primos.
Felizmente, tenho um vizinho que ainda semeia uma boa seara e esta "festa" repete-se todos os anos por três ou quatro noites.
Quanto à Rosa, a história vai-se desenvolvendo para deleite de quem gosta dos teus escritos e eu faço-o com muito gosto. Uma história de vida que, infelizmente, embora rara aqui no sul, ainda existe no mundo rural de hoje.

Beijinhos

Bem-hajas!

BlueShell disse...

Conseguiste captar o ambiente humano: a eira, as cantigas ao desafio...tudo...
Uma maravilha de narração.
Faz-me lembrar quando era miúda...

Aguardo impaciente.

Bj
BS

BlueShell disse...

Conseguiste captar o ambiente humano: a eira, as cantigas ao desafio...tudo...
Uma maravilha de narração.
Faz-me lembrar quando era miúda...

Aguardo impaciente.

Bj
BS

Mariazita disse...

Eu é que peço desculpa de não me ter lembrado que a Elvira não gosta de selos.
Depois que falou nisso lembrei-me de já ter lido a respeito.
Desculpe.

Voltarei para ler estes dois posts e comentar. Estou com problemas de saúde a nível familiar (meu marido) e a disposição não é das melhores... Mas melhores dias virão.

Noite feliz. Um abraço

Lilá(s) disse...

Vim colocar a leitura em dia, um estillo bem diferente do outro mas que também muito me agrada, não vou perder pitada...
Bjs