9.10.17

A RODA DO DESTINO - PARTE XXII


                                                     foto daqui


- E agora? O que vamos fazer?
- Agora, vamos contar a verdade aos teus irmãos. Tu contarás à Ana Clara. Diz-lhe que não pensámos separar-vos. Foram as circunstâncias da vida que levaram Antónia a separar-vos, - disse o pai abraçando-a.
-Regressas hoje, ou ficas alguns dias?- Perguntou a mãe, limpando as lágrimas.
- Vou esta tarde. Arranjei trabalho como rececionista numa clínica de exames médicos. Começo a trabalhar amanhã.
- Então, vou tratar do almoço.
- E eu vou ajudar-te.
Passou a mão pelo rosto triste do pai, num gesto de carinho, e sussurrou antes de seguir a mãe.
- Não fiques assim. Nada mudou nos meus sentimentos. Amo-vos.
 - Queres contar-me como conheceste Ana Clara? – Perguntou a mãe, enquanto metia o tabuleiro com a perna de borrego e as batatas no forno.
- Na verdade, só ontem à noite a conheci. Tudo começou com a visita que o Luís me fez. Ana Clara é casada e tem dois filhos. É professora. Quis o destino que o seu cunhado, passasse pela porta do prédio onde vivo, quando eu e o meu irmão íamos entrar.
Para ele, era a cunhada entrando num prédio, abraçada com outro homem que não o irmão. Pensou que a cunhada tinha um amante.
- Santo Deus, filha. E depois?
- Podia ter sido uma tragédia, se ele contasse ao irmão, mas felizmente Salvador pensou nas crianças, e por elas decidiu abordar a cunhada e fazer-lhe um ultimato para que largasse o amante. Para isso esperou ver a cunhada sair ou entrar do prédio e quando eu saí, abordou-me. A princípio pensei que era um truque para meter conversa, mas quando me ameaçou de que ia telefonar para o “meu” marido, e que eu podia ficar sem “os meus” filhos, pensei que havia alguma coisa estranha. Vi-me obrigada a mostrar-lhe a minha identificação. E mesmo assim estava incrédulo. E quando lhe disse, onde e quando tinha nascido, a coincidência tornou-se ainda mais inacreditável. Eu mostrei desejo de conhecer a sua cunhada, e ele deve ter-lhes falado de mim, pois me convidaram para jantar ontem. E quando nos abraçámos foi inacreditável mãe. Foi como se de repente nos encontrássemos com uma parte de nós mesmas, que andava perdida. Os dois irmãos, falaram até de fazer um teste de ADN, uma vez que Ana Clara, foi adotada, e segundo os seus pais, ela foi entregue à instituição porque a mãe estava muito mal, e ela não falou em mais nenhuma filha. Pareceu-me claro que vocês saberiam de alguma coisa, e disse-lhes que só faria o teste, se aqui não encontrasse uma resposta.
- E ela, é feliz?
-Pelo que me foi dado observar, sim. O amor entre ela e o marido, e bem evidente, e os meninos, que devem ser mais ou menos da idade dos teus netos, são encantadores.
-Ainda bem, filha. Onde quer que esteja, Antónia pode finalmente descansar em paz. Mas disseste que vieste com um amigo?- Perguntou mudando de assunto
- Com o Salvador, mãe. É o cunhado da Ana Clara. Ele sentia-se responsável por toda esta confusão, e decidiu trazer-me.
- E onde está agora? Porque não lhe telefonas e o convidas para almoçar?
- Posso fazê-lo? Vocês não se vão sentir constrangidos?
- Porquê? O que fizemos só te afetou a ti, e tu perdoaste-nos não é verdade?
- Claro, mãe. Vou telefonar.



16 comentários:

✿ chica disse...

Tudo sendo encaminhado para um belo e feliz final! Muito legal! bjs, linda semana! chica

noname disse...

2 irmãos vs 2 irmãs - adivinha um casório entre os manos solteiros mas, isso não fará o irmão de Salvador pensar que este terá gostado sempre da sua mulher? Ganda confusão :-))

Beijo de boa noite

Cantinho da Gaiata disse...

Está mesmo a chegar ao final ao meu jeito, obrigada amiga Elvira por mais uma excelente história.
Vou esperar pelo regresso, a Anete contar tudo à Maria Clara.Finalmente juntas.
Bjs

Rui disse...

E desta vez, a "roda do destino" parece ter sido grata para as duas irmãs ! :)
Tudo indica que sim se o conto não se estender muito mais.
Se sim, quem sabe se surgirão novidades !?... :)

Abraço, Elvira.

Pedro Coimbra disse...

O conto tem sido tão sinuoso que nem me atrevo a adivinhar o que virá a seguir.

Isa Sá disse...

A passar por cá para acompanhar a história. Mas só de olhar para aquela imagem até já fiquei com fome!

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Roaquim Rosa disse...

bom dia
É impressionante como a autora tem uma capacidade enorme para estas coisas , que nos deixa sempre á espera de um novo capitulo.
JAFR

O meu pensamento viaja disse...

Aproxima-se o final. Aguardemos. Beijo

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Estou a acompanhar e a ilustração deixou-me água na boca.
Um abraço e boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

Edumanes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Edumanes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Edumanes disse...

Depois de tudo bem esclarecido. As expectativas indicam que terá um fim feliz?

Tenha uma bom dia amiga Elvira.

Os olhares da Gracinha! disse...

É bom que tudo fique bem esclarecido!!!bj

redonda disse...

Uma boa ideia almoçarem todos

Smareis disse...

Adiantei alguns capítulos e o trama esta desvendado e o titulo foi bem escolhido. Tem tudo com a estória. Vamos ver os próximos capítulos!

Rosemildo Sales Furtado disse...

Uma ótima oportunidade de conhecer Salvador, o futuro genro que foi, realmente, o salvador da pátria, pois por sua causa, tudo foi esclarecido. Continuo gostando e aguardando.

Abraços,

Furtado