13.10.17

A RODA DO DESTINO - PARTE XXVI


Anete não conseguia concentrar-se no programa televisivo, pelo que desligou o aparelho. Recostou a cabeça no sofá, fechou os olhos, e ficou a pensar em tudo o que lhe tinha acontecido ultimamente, e na volta que a sua vida dera. E pensar que se tivesse continuado a viver em Coimbra, provavelmente nunca em toda a vida ia descobrir a verdade, nem conhecer a irmã. Nem teria conhecido… Salvador.
Pensar nele acelerou o seu coração. Jamais conhecera um homem como ele. Bom a verdade é que ela não tivera hipótese de lidar com outro homem que não fossem os  seus irmãos, ou o Afonso, que para o caso era praticamente o mesmo.  Essa foi uma das razões que a trouxera para Lisboa. Fugir da influência dos irmãos. Na cidade, podia dar-se o caso de conhecer um homem interessante, por quem se apaixonasse e que lhe correspondesse. E nem que andasse procurando com um radar, podia ter encontrado homem mais interessante que Salvador. Porém ele não contava. Interessante, bonito, rico, seguro de si, e com uma carreira de sucesso, era areia demais para a sua camioneta. Nunca se ia interessar por ela. Quando muito se ela o deixasse, era mais um para lhe infernizar a vida, com os seus conselhos e proteção. Não fora assim que ele procedera até agora? Claro que sim. Mesmo o beijo que lhe dera na véspera, e que lhe acelerara o sangue nas veias, não continha paixão nem desejo. Fora mais um beijo de amigo. Só que o seu coração, não conseguia vê-lo como amigo. Então, só podia tomar uma decisão. Restringir ao máximo, os encontros com ele, já que evitá-los na totalidade seria impossível, dado o grau de parentesco com a sua irmã. O telemóvel começou a tocar. Era Ricardo.
 - Estou
- Mana como estás? Os pais acabaram de nos contar. Estamos preocupados contigo.
- Eu estou bem, não se preocupem.
- Não é preciso dizer que não mudou nada, entre nós, pois não?. Continuas a ser a nossa irmãzinha querida.
- Eu sei, Ricardo. Para mim também não mudou nada. Ou sim mudou. Agora tenho mais uma irmã e uma nova família, o que quer dizer que nesta história toda, sou a grande beneficiada. Amo-vos muito. A todos. E como está a minha cunhada e os meus sobrinhos?
-Estamos bem. Mas o importante agora és tu. Juras que estás bem? Não nos estás a enganar?
-Juro. Não se preocupem.
- Olha o Luís está aqui, a querer tirar-me o telefone das mãos. Vou passar-lhe a chamada. Cuida-te Princesa.
- Anete, querida, estamos tão preocupados contigo. Deves estar arrasada. Penso que é melhor tirar uns dias de férias para te dar apoio.
- Não – quase gritou endireitando-se no sofá. Eu estou bem, comecei hoje a trabalhar, sinto-me ótima.
-Olha querida, os pais estão a pensar, darem um almoço no domingo, para juntarem as duas famílias. Dizem que tu lhes perdoaste, mas precisam pedir perdão à Ana Clara. Penso que a mãe te vai ligar amanhã. Cuida-te, Princesa. E se precisares não hesites em me telefonar. 
-A sério?  A única coisa que preciso agora é de ir para a cama. Amanhã tenho que me levantar cedo. Amo-vos.
-Amamos-te mais, maninha.
                                              

13 comentários:

Roaquim Rosa disse...

bom dia
para já está tudo a correr nos conformes .
vamos ver se vai surgir algo de novo nesta historia.
uma boa sexta feira que está a chegar o fim de semana com previsões de chuva que bem precisamos.
JAFR

Tintinaine disse...

Neste dia 13 de Outubro que por mero acaso é sexta-feira, estou a ler a última publicação do blog «Sexta-Feira». Isto quer dizer alguma coisa? Tem algum significado?
Há quem tenha a mania de encontrar explicações para tudo!
Quanto à novela só falta abrir o coração do Salvador para o amor e os olhos para a gémea do seu primeiro amor. Depois disso vai rolar tudo sobre esferas.

✿ chica disse...

Agora todos sabendo de tudo e nada mudou com os sentimentos entre os irmãos. Agora vamos esperando mais e mais! beijos, lindo dia! chica

António Querido disse...

Acho que Anete encontrou o seu Salvador! Mas também pode vir até Coimbra almoçar com o resto da família, são só 200 Kms, eu vou lá muita vez e ainda não a encontrei, nem em Lisboa a vejo, gostaria de a conhecer, mas acho que agora é tarde.

Abraço.

Anete disse...

Adaptações e impactos na vida da Anete, aliás, nos dias desses seus personagens. A rotina foi bastante modificada e agora vêm passos diferentes...
Torço com carinho pela Anete, rsss, indentifico-me c ela e, desejo desde o início, que seja feliz e resiliente...
Tchau, tchau... Bjs

Os olhares da Gracinha! disse...

Que boa essa relação entre eles!!!bj

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

Quanto amor e carinho! Anete é muito feliz e ainda vais ser muito mais, beijinhos no coração querida amiga Elvira.

Lucia Silva disse...

Amor e carinho são sentimentos pulsantes em Anete. Linda história!
Beijos!

Teresa Isabel Silva disse...

Cada vez gosto mais!

Bjxxx
Ontem é só Memória | Facebook | Instagram

Edumanes disse...

De facto é mesmo o destino,
ninguém dele consegue fugir
sempre nos indica o caminho
para a gente por ele seguir!

Tenha uma boa tarde amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Ailime disse...

Boa tarde Elvira,
Que bom que há harmonia e amor entre todos.
Vamos aguardar o desenvolvimento.
Beijinhos e bom fim de semana.
Ailime

Cantinho da Gaiata disse...

Mais um pouco da história que está a correr às mil maravilhas.
Bjs

redonda disse...

Os irmãos dela são muito queridos