21.12.17

A LENDA DA FONTE DA PEDRA




(Curiosa esta lenda, que põe Portugal no caminho da Sagrada Família na fuga para o Egito. Mas lendas são isso mesmo, lendas)


Reza a História que, quando Herodes perseguiu São José, Nossa Senhora e o Menino Jesus, eles fugiram para o Egipto. No seu percurso, passaram pela Serra da Avoaça e N. Senhora quis descansar porque estava muito cansada. Todos tinham sede  mas não se via nenhuma nascente por perto. S. José, vendo uma pedra ao pé deles, virou-se para o burro e ordenou:
– Dá um coice na pedra!
O burro obedeceu  mas a pedra não tugiu!
S. José ordenou novamente:
– Dá um coice na pedra!
O burro obedeceu e desta vez a pedra gemeu!
S. José ordenou pela terceira vez:
– Dá um coice na pedra!
O burro obedeceu e a pedra chorou!
E desta forma puderam os três matar a sede. A partir daí, a nascente passou a chamar-se Fonte da Pedra e possui propriedades terapêuticas; nomeadamente, a água cura os cravos, isto é, as verrugas das mãos.
Ainda lá estão as três marcas na pedra:
A primeira está seca (não tugiu).
A segunda deita um fio de água (gemeu).
A terceira é a nascente (chorou).
Enquanto descansavam, Nossa Senhora resolveu estender a toalha sobre uma pedra para comerem algo, que a fome apertava. Pois desde então nunca mais o musgo cresceu nessa pedra, como ainda hoje se pode comprovar!
Porém, chegou a hora de continuarem a viagem e arrumaram tudo. Quando começaram a andar, Nossa Senhora prendeu o manto no mato que crescia na zona e rasgou-o. Como castigo de tal atitude, decidiu que nunca o mato cresceria, seria sempre pequeno. E assim é, visto que ainda hoje se diz que o mato é como o da Fonte da Pedra, quando se pretende explicar que é de pequena estatura.
Tinha a Sagrada Família retomado a sua marcha, quando chegaram a um terreno onde várias pessoas semeavam a terra. E pergunta S. José:
– Então que semeais aqui?
– Semeamos centeio
– Pois voltai amanhã, que pão colhereis!
E assim aconteceu: no dia seguinte, as pessoas voltaram e encontraram o terreno repleto de centeio maduro, pronto para a ceifa.
Mais à frente, Nossa Senhora e S. José encontraram outro grupo de pessoas que semeavam igualmente um terreno. E, de igual forma, pergunta S. José:
-Então, que semeais vós aqui?
Sendo estas pessoas de má índole, responderam:
– Semeamos pedras!
– Pois voltai amanhã, que pedras colhereis!
E no dia seguinte, quando as pessoas tornaram ao terreno, encontraram-no cheio de pedregulhos. Diz-se que foi na Pedriça de Unhais, onde ainda se podem ver as pedras.
Entretanto, o rei Herodes não se conformou com a fuga da Sagrada Família e mandou soldados no seu encalço. Estes seguiram o mesmo percurso da Fonte da Pedra e chegaram ao local onde o primeiro grupo de homens ceifava o terreno de centeio. Os soldados resolveram informar-se e perguntaram às pessoas:
– Viram passar um homem a conduzir um burro, onde ia uma mulher com um menino ao colo?
– Vimos, sim senhor! – responderam os ceifeiros. – Passaram aqui quando estavámos a semear este terreno!
Ao ouvir tal, exclamaram os soldados:
– Oh! Estavam a semear?! Então já passaraam há muito tempo! Já não os vamos conseguir apanhar!
E voltaram para trás, desistindo da perseguição.
Lenda popular de Alvoco da Serra, concelho de Seia

11 comentários:

Roaquim Rosa disse...

bom dia
Lendas são lendas , mas em algo se baseiam .
esta tem muito muito sentido !!
JAFR

Isa Sá disse...

Não conhecia esta lenda.


Isabel Sá
Brilhos da Moda

✿ chica disse...

Linda essa lenda! Gosto delas! Feliz Natal pra ti e teus e que 2018 seja lindo e cheio de realizações! beijos, chica

Os olhares da Gracinha! disse...

Gosto da lenda!!!bj

As Mulheres 4estacoes disse...

Não conhecia essa lenda, gostei de ler.
Um abraço e desejo de um feliz Natal.
Sônia

Gil António disse...

As LENDAS deixam ou têm sempre algo que nos leva a equipar a alguma coisa que existe. São são LENDAS por mero acaso.
.
hoje: *Teus lábios, de amor, queimando*
.
Votos de um dia feliz
FELIZ NATAL, extensivo a todos os familiares e amigos/as.
.

António Querido disse...

Mais uma lenda muito bem pensada e contada!
FELIZ NATAL.

Olinda Melo disse...


Olá, Elvira

Muito interessante esta lenda. Gosto muito de lendas e de
mitos. Penso que é um dos fios condutores daquilo em
que se baseia a tradição.

Trago-lhe um link do Youtube que uma visita minha, no
Xaile de Seda, me pediu para dar aos amigos. Vá ouvir e
comentar se puder.

Bom Natal!

Bj

Olinda

Berço do Mundo disse...

Caramba, no concelho de Seia... Que grande volta veio dar a família de Cristo. A crendice popular é qualquer coisa de extraordinário. Adorei a lenda, que desconhecia totalmente.
Boas Festas para a Elvira e sua família. Muito obrigada pela sua "companhia" e amizade virtual ao longo deste ano.
Beijinho
Ruthia d'O Berço do Mundo

Edumanes disse...

Então foi assim que se livraram da perseguição dos soldados. Os quais pensaram que já estariam muito longe daquele local. Só o sacrificado burro é que se fartou de dar coices na pedra. Essa fez-me lembrar aquela do alentejano. Ó! Maria traz lá a candeia. A nula deu um coice não sei se foi em mim ou se foi na parede!

Tenha uma boa noite amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Pedro Luso disse...

Olá, Elvira!
Uma bela postagem, muito própria para as Festa que se aproximam. Parabéns.
Aproveito o ensejo, querida amiga, para desejar-te um FELIZ NATAL e um ANO NOVO com muita alegria, paz, amor, saúde e muitos trabalhos literários.
Meu grande abraço.
Pedro

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...