25.5.16

MANEL DA LENHA - PARTE LXXVII

           As duas filhas do Manuel, na última foto antes da saída para a Igreja em 1975


Em Julho, numa nova carta, a filha dizia que o pedido do marido tinha sido deferido, e por isso já não saía da Marinha. O Manuel suspirou de alívio, pois começavam a chegar os navios carregados de gente , anteriormente residente nas colónias e que fugiam da guerra civil que se avizinhava, com os vários partidos de libertação a lutarem todos pelo mesmo objectivo. A cadeira do poder, pós independência.
O resto do ano e os primeiros meses do seguinte, foram de grande preocupação para o Manuel e mulher. Por um lado, tinham a filha mais nova, entusiasmada com os preparativos do casamento, que se realizaria logo que a irmã chegasse. É que em princípio a filha ficará a viver lá em casa após o casamento, e é preciso fazer algumas alterações, porque uma coisa é um casal a viver com os filhos numa casa  e outra bem diferente, são dois casais a viver na mesma casa, mesmo esta sendo bastante espaçosa como a que eles habitavam.
Por outro, todos os dias os retornados traziam novas de histórias de horror e guerra, muitos chegavam apenas com a roupa que tinham vestida, tal a pressa com que fugiram, apenas interessados em salvar a vida. 
As cartas da filha, iam chegando regularmente, mas  se havia um atraso, já eles ficavam numa aflição.
A falar verdade, eles só ficaram descansados, quando em Março de 75, foram ao aeroporto e viram a filha e o genro, saírem do Boeing  707, recém chegado de Angola.
Poucos dias mais tarde, a família está toda reunida para assistir ao casamento da segunda filha do Manuel, que se realizará em Lisboa.
Entretanto a filha mais velha já alugou casa, por sinal a poucos metros da casa paterna. 
Finalmente o casal, tem os filhos todos perto, e pode viver agora um pouco mais descansado.
Quase no final de 75, a filha mais nova anuncia que está grávida. O Manuel e a mulher ficam radiantes com a notícia do primeiro neto. Agora eles já sabem que a filha mais velha, tem mantido ao longo dos seis anos de casada uma luta árdua contra a esterilidade, sem sucesso até à data.


17 comentários:

Crocheteando...momentos! disse...

Também casei em 75...em
Angola!
É bom recordar...mesmo o menos bom!
Bj

Crocheteando...momentos! disse...

Também casei em 75...em
Angola!
É bom recordar...mesmo o menos bom!
Bj

Ana S. disse...

É bom ver a família reunida! Os anos passam e cada vez mais queremos ter por perto quem amamos.
Abraço Elvira

Zé Povinho disse...

O regresso para muitos foi uma tragédia, para outros foi uma luta para se reerguerem de novo. As famílias nem sempre foram uma grande ajuda, a política tinha envenenado as relações e as culpas eram sempre de quem chegava.
Abraço do Zé

Gaja Maria disse...

Reunidos de novo, que alegria :)

O meu pensamento viaja disse...

Uma história feliz!

paideleo disse...

Foron tempos complicados pero as pequeñas noticias como a vinda dun netiño sempre axudan a pasar os malos tragos.

Rogerio G. V. Pereira disse...

Ter a família toda reunida
é o melhor que se pode ter na vida

Anete disse...

Um neto vem a caminho... Tomara que a outra também consiga engravidar brevemente...
Torcendo pelas próximas novidades!
Uma boa 5a feira, Elvira. Beijinhos

Pedro Coimbra disse...

Uma vida que nasce no meio do turbilhão.

Isa Sá disse...

Passando para acompanhar a história e desejar um ótimo feriado!

Isabel Sá
Brilhos da Moda

✿ chica disse...

Linda e marcante foto e que bom os momentos de felicidades chegando, família junta e ainda a gravidez desejada! beijos, lindo dia! chica( obrigadão pelos votos para o Kiko)

Portuguesinha disse...

É a vida...
Sem tirar nem por.

Um à parte sobre a foto: antigamente parece que todas as fotos tinham o mesmo cenário, os vestidos eram todos parecidos, os ramos também :) É curioso existir assim um fio comum que marca uma época.

Berço do Mundo disse...

Os meus pais estiveram entre essa multidão de desgraçados, que chegaram a Portugal praticamente só com a roupa do corpo. E aqui estamos nós, vivos e saudáveis.
É preciso ter coragem para recomeçar.
Abraço
Ruthia d'O Berço do Mundo

Odete Ferreira disse...

Lindas as meninas!!!
Bjinho(s) :) :)

Elisa Bernardo disse...

Já ando novamente por aqui. Há dias tão atarefados e eu gosto de vir aqui com muita calma e usufruir bem deste momento.
Beijinhos
e bom fim de semana querida Elvira

LopesCa Blog disse...

Adorei a foto :)