11.6.07

AS MINHAS MÃOS

Vê as minhas mãos
pardacentas
de cavarem na lama;
com estas unhas sangrentas
de arranharem a vida.

as minhas mãos calosas
de carregarem a arma
que alimentam a guerra
e matam sem piedade.

Vê as minhas mãos
pardacentas
de cavarem a lama;
são contudo as mais puras
quando te acariciam...
................meu filho!