25.8.16

DESTINO DE FÉRIAS - SETÚBAL


Setúbal existe desde 1514, com foral concedido por D. Manuel I. Embora não haja, registo de nenhum outro foral, sabe-se que esta zona foi habitada pelos Fenícios, Gregos e Cartagineses, que vinham à Ibéria em busca do sal,  e mais tarde pelos Romanos, que se fixaram na margem sul do Sado (hoje Tróia) e lhe deram o nome de Cetóbriga. Data dessa data a recolha de sal como o demonstram as salgadeiras aí encontradas.

A exemplo de outras cidades ibéricas e do sul da Europa, o topónimo 'Setúbal' pode estar relacionado com o topónimo do rio que banha a povoação, referido pelo geógrafo árabe Edrisi (Muhammad Al-Idrisi), como denominar-se Xetubre (sendo esta a tese do Prof. José Hermano Saraiva). Seja como for, o topónimo ‘Setúbal’ e a cidade perdem-se no rasto dos tempos.
Porém os movimentos de areia, forçaram os habitantes a procurarem outro local para se fixarem. Escolheram uma área, hoje chamada o Bairro do Troino, situada na margem oposta à primitiva fixação, e aí se desenvolveu o núcleo gerador da actual cidade.
Com a nova localização e o desenvolvimento crescente, Setúbal  tornou-se no reinado de D. Afonso III, um dos principais portos do País a par de Lisboa, Porto e Faro. Como a povoação se ia tornando cada vez mais importante. é necessário criar mecanismos que a defendessem. Assim se iniciou, no reinado de D. Afonso IV,  a construção de muralhas, das quais ainda existem na cidade  alguns pedaços que delas, dão testemunho.

Ao longo do século XV, a vila desenvolveu actividades económicas, ligadas sobretudo, à indústria e ao comércio, tirando rendimentos elevados com os direitos cobrados pela entrada no porto.
Os primeiros conventos franciscanos, um deles o Convento de Jesus, foram construídos em Setúbal durante esse século.


A época dos Descobrimentos trouxe um grande desenvolvimento, tendo D. Afonso V, em
1458, partido do porto de Setúbal à conquista de Alcácer Ceguer.
 A construção de um aqueduto, em 1487, que conduzia a água à vila, iniciada por D. João II, (que era um apaixonado por Setúbal e que escolheu esta cidade para casr com D. Leonor em 1471) e terminou no reinado de D. Manuel. Este monarca reformou o foral da vila, em 1514, devido ao progresso e aumento demográfico que Setúbal tinha registado ao longo do último século.

Aqueduto e Igreja de Santa Maria, onde se realizou o casamento real.
Hoje é a Sé Catedral de Setúbal



O título de “notável villa” é concedido, em 1525, por D. João III. Foi este título que proporcionou a criação, em 1553, por carta do arcebispo de Lisboa, D. Fernando, de duas novas freguesias, a de S. Sebastião e a da Anunciada, que se juntaram às já existentes S. Julião e Santa Maria.
A cerca de dois quilómetros do centro de Setúbal, o Rei D. Filipe II mandou edificar uma fortaleza – de S. Filipe –, cujos trabalhos foram iniciados em 1582.
No início do século XVIII, a população setubalense solicitou que S. Francisco Xavier fosse eleito padroeiro da cidade.




O terramoto de 1755 destruiu e danificou muitos edifícios, tendo as freguesias localizadas na zona mais baixa de Setúbal sido as mais afectadas.
Ao longo do século XIX, o desenvolvimento económico e social transformou a vila num dos mais importantes centros comerciais e industriais do País. A elevação a cidade deu-se em 1860, por carta régia, após solicitação da Câmara, dois anos antes, ao Rei D. Pedro V.
Nessa altura, foi inaugurada a via-férrea Barreiro/Setúbal e, em 1863, a iluminação a gás.
 As obras de aterro sobre o rio iniciaram-se, fazendo nascer a Avenida Luísa Todi.



Setúbal foi elevada, em 1926, a sede de distrito e, em 1975, a cabeça de 
diocese.
 Na actualidade Setúbal oferece uma grande diversidade de interesses para quem nela quiser passar férias.
Desde os passeios pela serra da Arrábida, donde se pode ter uma magnifica panorâmica sobre a cidade e o rio, uma visita aos monumentos, dos quais destaco além do já citado Convento de Cristo, a casa-museu do Bocage, o poeta sadino, cujo monumento de encontra num largo com o seu nome


o museu do trabalho, a casa-museu do Corpo Santo

                                           
Fotos da casa-museu Corpo Santo


A praia do Portinho da Arrábida,



 o forte de S. Filipe, os golfinhos, Tróia, na outra margem do Sado, onde além das ruínas da vila românica, tem uma magnífica praia
Na gastronomia, a rainha de Setúbal é sem duvida a sardinha assada, mas outros pratos como o choco frito, o polvo, as ostras são pratos que não encontram igual em mais nenhuma parte do país. 
E depois temos as tortas e o queijo de Azeitão, e os vinhos da região de Setúbal

E então, vamos até Setúbal? 




Nota A primeira e ultima foto não são minhas.


Fonte Wikipédia e apontamentos de visita deestudo

21 comentários:

Anete disse...

Boa noite, Elvira...
Novas fotos muito bonitas! A última é mesmo um show!!
Vejo que aproveitou imensamente as férias...
Abraços

Pedro Coimbra disse...

Tenho andado a passear por aí com o blogue Andarilhar

✿ chica disse...

Muito lindo tudo por lá e gostei do aqueduto! beijos, lindo dia! chica

Elisa Bernardo disse...

Só fui uma vez na minha vida e adorei. Sem dúvida um destino para voltar e espero que em breve. Os seus posts "abrem o apetite":)
Beijinhos
elisaumarapariganormal.blogspot.pt

Edumanes disse...

A amiga Elvira já está,
a caminho da terra de Bocage,
pela Costa Azul caminhará
antes de chegar ao Algarve
caminhará pela Costa Vicentina
talvez, lá para o fim da tarde?
Disso não se arrependerá
porque ela é muito linda!

Um abraço e continuação de boas férias!

Tintinaine disse...

Já lá fui no mês passado!
Saboreei os choquinhos e vi as vistas da Arrábida. Isso eu não perdoo cada vez que por lá passo.

Silenciosamente ouvindo... disse...

Eu vou muita vez a Setúbal.
A amiga detalhou muito bem sobre Setúbal.
Merece sempre ser visitada.
Bjs. amiga.
Irene Alves

Graça Sampaio disse...

Ui, o Portinho da Arrábida, que lindo é!!! Ontem saiu um texto belíssimo de Viriato Soromenho Marques no DN.

Belos locais de férias, Elvira! Beijinhos. E... pode trazer mais...

Majo Dutra disse...

Gosto muito da Serra da Arrábida, da restinga e das praias.
Ótima sugestão, Elvira.
Abraço.
~~~

Rogerio G. V. Pereira disse...

Mais uma viagem
e estadia
sem perder tempo
nem dinheiro

Valeu o passeio

Emília Pinto disse...

Terei sim de ir a Setubal e passar uns dias para apreciar todas essas belezas Já lá passei , mas não conheci nada. Foi interessante conhecer com detalhes a origem dessa cidade, muitos deles desconhecidos para mim. Obrigada, Elvira por tanta informação e desejo que as férias continuem boas. Um beijinhom querida amiga.
Emilia

Liberdade. disse...

Boa noite1

nossa amei tudo,e as imagem estão ótimas
um lugar tem tanto pra contar

um abraço!

Os olhares da Gracinha! disse...

Adoro esta região e espero regressar em breve!
Bj

Os olhares da Gracinha! disse...

Olhares lindos...bj

Os olhares da Gracinha! disse...

Olhares lindos...bj

O meu pensamento viaja disse...

Não conheço Setubal! Uma vergonha! Passo sempre ao largo a caminho do Algarve.
Beijo

homem do leme disse...

De férias, não. Mas vou lá muitas vezes almoçar e dar um passeio a pé pelo porto de pesca e de carro pela Arrábida.
Se calhar amanhã estou lá caído... :)

Duarte disse...

Passamos por lá, quando estivemos contigo em Lisboa, ao vir de Évora, e regressamos pelo Portinhola: que paisagens!!!
Abraços de vida, querida amiga

Evanir disse...

Como muito carinho estou passando
para deixar meu carinho ,
também desejar um abençoado e feliz final de semana.
Peço perdão pela minha ausência ,
acredite não foi por falta de amor,
mas para tratar de mim mesma .
Deus esta comigo .. contigo ..e com todos q nele crê...
Te carinho com um doce e afetuoso abraço.
Que , Deus cuide de você dando sempre
saúde pois sem ela nada somos nada seremos.
Um beijo carinhoso.
Evanir.

Berço do Mundo disse...

As tortas de Azeitão são desses lados, certo?
Abraço

Zilani Célia disse...

OI ELVIRA!
QUE FÉRIAS MARAVILHOSAS, AMIGA.
ADOREI AS FOTOS.
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/