30.9.14

CRISTINA

                                           


18 comentários:

luís rodrigues coelho Coelho disse...

Quantas destas sombras destroem os sonhos mais belos e agradáveis.
Uma entre muitos que vamos conhecendo.
Ninguém está livre e quando menos se espera acontecem estes desaires.

Laura Santos disse...

Não sei se a história é real, se inventada, de qualquer das formas retrata muito bem uma doença que é um verdadeiro tormento, e de como pode afectar irremediavelmente o futuro de uma jovem que teria tudo para dar certo.
para além da qualidade da escrita, um post muito informativo acerca da esclerose múltipla.
xx

São disse...

A filha de uma minha amiga enfrenta corajosamente esta doença desde os doze anos...

Beijinhos

Bell disse...

A história é triste.
Mas a sabedoria permite que ela viva um dia de cada vez.

bjokas =)

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

História em que a tristeza segue de par com a perseverança.
Gostei muito.
Beijo*

Existe Sempre Um Lugar disse...

Boa tarde, nunca temos a certeza do futuro, muitos menos dizer que vamos ser felizes, quando menos se espera, o mal pode-nos bater à porta e entrar sem pedir licença .
AG
http://momentosagomes-ag.blogspot.pt/

Edumanes disse...

Apesar de todas as provações,
que a vida lhe não deu,
doenças fazem sofrer corações
Cristina, a beleza não perdeu!

Sorrindo com facilidade,
vive um dia de cada vez
mas foi essa doença talvez
que lhe roubou a felicidade?

Bem escreveu, a amiga Elvira,
no final deixou esclarecimento
sobre aquela doença maldita
na vida de Cristina, o sofrimento!

Desejo uma boa tarde soalheira para você amiga Elvira, um abraço.
Eduardo.

Olinda Melo disse...


Uma história que descreve o drama de tanta e tanta gente, na pessoa de Cristina. Uma forma também de chamar a atenção para esta doença incapacitante.

Obrigada, Elvira.

Bjs

Olinda


Dorli disse...

Oi Euvira, aqui na minha cidade só tem um caso com essa doença. Deu numa jovem de 16 anos que namorava firme um rapaz. Devido a doença,mão enxerga quase nada, para atravessar a rua precisa de ajuda. O rapaz que a amava muito deu-lhe um chute no seu..... ela vive fazendo bombons e todo mundo compra de dó.
Um dia perguntei ao meu filho:Você a abandonaria? Sabe o que ele respondeu? Jamais.
Ela era linda, hoje parece um balãozinho de tão gorda.
É a vida, cada um com o seu pedaço.
Beijos
Lua Singular

Mariangela disse...

Quantas pessoas vivem dramas assim... Com perseverança, fé, e esperança de melhoras e cura no amanhã!
Gostei da postagem Elvira!
Uma ótima tarde!
Abraços,
Mariangela

vendedor de ilusão disse...

Elvira, teu Conto é fascinante, mas aqui entre nós, que vida levou essa pobre jovem que desde muito nova era refratária à felicidade evitando tudo e à todos. A beleza dela, ao que pareceu, não foi suficiente para que alguém a fizesse cair arrebatada, e por fim, caiu enganada por médicos. Um estória triste e nada animadora...

© Piedade Araújo Sol disse...

uma história de vida muito triste...

:)

Andre Mansim disse...

Apesar da doença da Cristina, o tom da história não é de todo triste, e no final ainda fica uma pontinha de felicidade pela vida da bela mulher com a sua familia!

Mais um belo texto minha amiga!

Berço do Mundo disse...

Que pena que a Cristina não foi capaz de arriscar mais. Ser feliz.
Fiquei aqui a pensar no que escreveu sobre filhos únicos. Apesar de sempre ter planeado pelo menos dois filhos, o Pedrinho acabou por ficar sozinho...
Excelente post, Elvira.
Beijinhos
Ruthia d'O Berço do Mundo

Vitor Chuva disse...

Olá, Elvira!

Vida triste,a exigir muita coragem para quem tem de a ir vivendo, sem saber até quando.E certamente que também muita revolta e desgosto, quando se está ainda na flor da vida.Porque há de ser assim a vida de tanta gente...?

Um abraço
Vitor

lis disse...

OI Elvira
Um conto triste , quisera todos os contos fossem só ficcionais ma sabemos que muitas Cristinas por aí sofrem do mesmo mal.
E a cada década mais uma doença surge ceifando vidas _ não deveria se r a melhor forma de cumprir os ciclos.
Poderíamos ser como as flores _ que apenas murcham, devagarinho.
Um abraço amiga

lourdes disse...

A medicina evolui, evolui....mas parece que cada vez surgem mais casos de doenças raras, algumas autoimunes, umas mais incapacitantes que outras, mas todas elas graves.
E ninguem está livre de ter uma.
Bjs

Duarte disse...

Exemplos de vida, que narras maravilhosamente.
Um abraço bem grande