7.4.14

MARIA - XII - FINALMENTE A PAZ



Finalmente a Paz.

- Você sabe o que fazer minha amiga. Depois de tudo o que passou, não pode tomar a decisão da sua vida por aconselhamento alheio. Tenho a certeza que já se decidiu, e se veio aqui, foi exactamente para se encontrar e ganhar coragem para pôr em prática essa decisão.
- É verdade. Decidi dar a mim mesmo uma nova oportunidade de ser feliz. Mas apesar disso de vez em quando sou assaltada por pensamentos e receios negativos. Será que vai dar certo? Às vezes, penso que devia ficar quieta no meu canto, e deixar a vida correr até ao fim. Outras penso que se a Vida me dá uma nova oportunidade tenho mais é que agarrá-la com ambas as mãos e fazer tudo para que dê certo.
Nesse momento meu marido entrou e as confidências acabaram. Maria ficou para jantar e quando se despediu disse que daria noticias.


 ******************************************************************************************


“Minha querida amiga.
Um ano se passou desde que estive em sua casa e deve pensar que desapareci de novo. Estou muito feliz. E como sabe, quando a felicidade entra as histórias acabam, como nos contos infantis. “Casaram e foram felizes para sempre” lembra? Pois é mais ou menos isso. Não casei com o Américo, talvez porque o medo não deixou, mas vivemos juntos e somos muitos felizes. É claro que gostaríamos de ser pais. Mas dados os antecedentes e a minha idade, resolvemos não arriscar. Pensamos fazer uma adopção, mas o psiquiatra disse que não ia dar certo pelos meus antecedentes de instabilidade psíquica. Apadrinhamos o bebé de uma vizinha com quem fiz amizade e que preenche um pouco do vazio que me ia na alma. Diogo, o meu afilhado é para mim o filho que não tive. Continuo com as consultas mas já quase não tomo medicamentos. Estou em paz comigo e com o mundo. Já consigo pensar na minha mãe sem sofrimento nem rancores. E até já fui ao cemitério levar flores e orações. Em breve faremos uma visita. Quero que conheçam o Américo. Um grande abraço de nós para vós.
Maria”

 Fim


Maria Elvira Carvalho



Agora a pergunta do costume.  Gostaram? Acharam a história credível?  Imaginaram a possibilidade de um final feliz, ou esperavam uma recaída da Maria?

(direitos reservados)

35 comentários:

São disse...

Penso que é sempre possível as pessoas , na maior parte das vezes, conseguirem ultrapassar as suas mágoas e dificuldades - ainda que não completamente. Mas desde que consigam conviver com o que sempre fica,
e bom!

Boa semana

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

O futuro, a gente até imagina, sonha mas... é mesmo imprevisível.Gostei do final,foi um final possível:Maria feliz! Todos nós temos o direito de sermos felizes. Até a próxima, Elvira. Ótima semana. Um abraço.

eduardo maria nunes disse...


Que assim seja feliz toda a sua vida também!
Porque conseguiu superar e vencer na vida
Sem o sofrimento do passado, em paz vive bem
Final feliz, segue o caminho em frente, Maria!

Desejo uma boa noite para você, amiga Elvira, um abraço.
Eduardo.

eduardo maria nunes disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lis disse...

Gostei muito Elvira
E a superação venceu o medo e as desarmonia foram vencidas,em parte.
Sempre prefiro os finais felizes.
E a história é totalmente crível Elvira , pega a gente de jeito , boa de ler entender e querer ler o próximo capítulo.
Parabéns
Quando sai o livro ? já merece!
boa semana , abraços

RENATA MARIA PARREIRA CORDEIRO disse...

Creio na superação dos infortúnios da vida, e sua história é muito verossímil. Poderia acontecer.
"Tudo está bem quando bem termina", e tudo bem terminou.
Gostei muito.
Beijos e bom dia,
Renata

Nilson Barcelli disse...

Gostei da tua história.
Tem um final feliz, mas há muitas histórias reais com finais felizes...
Elvira, tem uma óptima semana.
Beijo.

Anne Lieri disse...

Elvira,eu gostei do seu final perfeitamente realista,pois acredito que as pessoas possam reformular suas vidas e foi o que Maria fez porque era uma lutadora! Lindo conto,parabéns! bjs e boa semana,

Anne Lieri disse...

Elvira,eu gostei do seu final perfeitamente realista,pois acredito que as pessoas possam reformular suas vidas e foi o que Maria fez porque era uma lutadora! Lindo conto,parabéns! bjs e boa semana,

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Olá, Elvira!
Estive aqui ontem (veja meu comentário, acima) e apreciei muito o final da história.Gosto muito do que você escreve.Até parece novela, que a gente não quer perder nenhum capítulo...
Desejo-lhe uma excelente semana e deixo o meu abraço.

Dorli disse...

Oi Elvira,
Adorei o seu conto em capítulos, esse seu conto deu tudo certo no final, tenho no rascunho um conto em capítulo que ainda não decidi como fazer o final, às vezes ele poderá não ser muito bom.
Gostei demais
Beijos no coração
Lua Singular

Lilá(s) disse...

Vim ler os últimos capítulos. Gostei bastante do final, a vida anda tão pesada que sabe bem uma leitura suave e um final feliz.
Beijinhos

Lu Nogfer disse...

Maria uma lutadora e vencedora enfim...
Belíssima historia, Elvira. Parabéns
pelo sabor de prazerosa leitura que deu a cada capitulo.

Beijos no coração!

Silenciosamente ouvindo... disse...

Eu gostei muito do final da
História. Tudo acabou de uma forma
muito positiva.
Maravilhosamente bem escrita,amiga.
Bj.
Irene Alves

LUZ disse...

Olá, estimada elvira!

Como estão?

Gostei imenso deste conto e das "peripécias", que a autora foi criando.

Achei-o muito real, porque há casos iguais ou muito semelhantes, nos nossos dias.

Não esparva ser este o desfecho, mas a escritora é quem decide.

Beijos para todos, com estima.

LUZ disse...

Retificando: Elvira (nome próprio, que, por enquanto, ainda se escreve, com letra maiúscula). Escritores há, e de grande "envergadura", que já não usam maiúsculas, nem a seguir a um ponto final, por exemplo.

Sou, inteiramente, a favor do AO (Acordo Ortográfico), mas mais acordos irão surgir, nas próximas décadas. A Língua/Idioma não é uma entidade morta, portanto está em mutação quase constante, e recebe influência de outras culturas.

Beijinhos.

Maria disse...

Gostei muito e neste caso ia pelo final feliz!!!!
beijinhos amiga!!!
Maria

Maria disse...

Gostei muito e neste caso ia pelo final feliz!!!!
beijinhos amiga!!!
Maria

Maria disse...

Gostei muito e neste caso ia pelo final feliz!!!!
beijinhos amiga!!!
Maria

Maria disse...

Gostei muito e neste caso ia pelo final feliz!!!!
beijinhos amiga!!!
Maria

António Querido disse...

Sempre gostei dos filmes com finais felizes!

Luma Rosa disse...

Oi, Elvira!
Eu estava torcendo por Maria. Acredito em finais felizes quando existe força de vontade para tal. Seu texto serve como exemplo de como a fraqueza do pensamento pode nos levar para o buraco, no entanto, basta se esforçar que é passível dar a volta por cima.
Como para sempre não existe, não vou apostar que foram felizes para sempre, mas que estão vivendo um tempo bom!
Beijus,

Duarte disse...

Claro que sim, gostei imenso.
A vida está cheia de tropeços que, mitas vezes, só se podem superar com grande mestria na solução dos mesmos. Neste caso a mestra foste tu, pelo modo como levaste o conto, como conseguiste criar a ansiedade no leitor, o interesse pela leitura: os meus parabéns.
Dás-me autorização para que o leamos na Aula de Cultura Portuguesa? Já acabamos com a leitura da "ROSA", gostaram muito.
Querida amiga, um grande abraço

Emília Pinto disse...

Elvira, tive que rever a história desde o começo, pois há muito não vinha aqui. Gostei muito da maneira como nos relataste esta vida sofrida de Maria.sabes colocar emoção nas palavras e, como diz a nossa amiga, Lúcia, parece que estamos a seguir uma novela, sempre ansiosas que o horário chegue para vermos o desenrolar dos acontecimentos. Creio que agora Maria vai ser feliz e os fantasmas do passado desaparecerão aos poucos. cada vez mais me convenço que a vida nos dá sempre uma nova oportunidade; temos é que saber esperar e não deixar que se nos escape. Tentar o amor é sempre válido; se vamos pensar que de novo não dará certo,nunca o teremos. Espero, amiga, que continues com os teus contos, pois tens uma maneira muito emotiva e simples de os contar e, pelo que vejo, agradam a muita gente. Cá fico à espera do próximo. Até lá, fica o meu agradecimento e um beijinho grande de amizade.
Emília

Fátima Pereira Stocker disse...

Cara Elvira

Não me posso pronunciar porque não pude acompanhar bem esta história que nos contou.

Mas quero deixar-lhe os meus desejos de uma Páscoa feliz

Beijos

Vitor Chuva disse...

Olá, Elvira!

Tudo está bem quando acaba bem, e o final feliz desta história é inteiramente crível - e também mais agradável como desfecho duma história tão atribulada.
E também muito bem contada:A Elvira domina muito bem este género de escrita, sendo muito convincente na forma como desenvolve o tema.Parabéns!

Um abraço e bom fim de semana.
Vitor

Evanir disse...

Elvira..
Que tudo esteja bem contigo
gostei do seu texto onde o que vale é a sua opinião .
E cordoei com tudo ninguém vive por nós.
Um feliz final de semana beijos,,Evanir

aflores disse...

Todos podemos e devemos lutar por uma vida melhor, nem que isso seja sinónimo de mudar aquilo que nunca pensamos ser possível mudar.

Cada um deverá encontrar a sua forma de viver e ser feliz, e ás vezes só está mesmo nas nossas mãos e vontade.

Gostei como sempre, de passar por aqui e sentir esta partilha de histórias afinal tão comuns, seja qual for o "The End" escolhido.

Tudo de bom.

Bem-haja.

Nilson Barcelli disse...

Vim à procura de mais...
Elvira, tem um bom fim-de-semana.
Beijo.

Duarte disse...

As tuas narrações captam a atenção, porque estão em convivencia directa, em grande parte, com a realidade da vida que nos toca viver.
Conheces a Corín Tellado? Una escritora espanhola de romances. Escreveu muito e até se diz que foi a mais lida, mais do que Cervantes. Vão reeditar toda a sua obra em digital. Quando possas dá uma olhadela.
Um grande abraço e um bom Domingo

rosa-branca disse...

Amiga, adorei, mais esta linda história e com um final feliz. Beijos com carinho

Olinda Melo disse...



Cara Elvira

Fui recuperar a leitura no VIII episódio, onde tinha ficado da última vez que aqui vim.

Gostei muito da história, é perfeitamente credível. Felizmente a Maria conseguiu agarrar a vida que quase lhe ia fugindo.

É um incentivo para as pessoas em dificuldades emocionais, que seguiram por caminhos que as levaram para situações-limite.

Nunca é tarde para começar de novo.


Obrigada.

Olinda

Luis Eme disse...

bastante real.

abraço Elvira

Graça Pereira disse...

Uma história credível porque as pessoas quando querem, têm mais força do que imaginam.
Hoje passo para desejar uma santa e feliz Páscoa.
bj
Graça

Zé Povinho disse...

Enfim a paz de quem fez por a merecer. Gostei, mas isso nem é novidade, nesta altura precisamos de finais felizes.
Abraço do Zé