30.11.11

REQUIEM

REQUIEM


No silêncio deste dia, de nevoeiro
Em que o orçamento de estado
(assim mesmo em letra minúscula
que mais não merece)
foi aprovado
senti em mim uma enorme tristeza.
Como pensamento esquecido a oração surgiu nos lábios
e como palavra proibida aí ficou amordaçada.
Era um sonho, um pouco quase nada
que um rei no passado foi alargando
e que um Infante levou até aos confins da terra.
Hoje não passa dum sonho morto
um mundo de gente moribunda
no agravamento das condições de vida
na agonia estridente do desemprego
na fome e na doença que alastra todos os dias
na loucura dos impostos crescentes
como cogumelos venenosos
amassados no pão do povo.
Sob uma máscara fascinante de belas praias
radioso sol, céu sem nuvens,
mulheres de helénica formosura,
mares calmos, véus de espuma.
serras de onde brota água límpida e fresca
( que contudo não mata a sede de justiça ),
brisa quente como fruta madura,
vibrante de cor e desejo
definha o país real,
o verdadeiro Portugal.
E não há pedidos de desculpa
nem lágrimas nos olhos hipócritas
daqueles que o ajudaram a enterrar.

Elvira Carvalho

34 comentários:

Agulheta disse...

Amiga Elvira.Partilho consigo toda esta angustia que fala aqui,voltamos ao tempo da outra senhora,e como não bastasse a Europa foi um sonho de tantos e está a ser gerida por dois maníacos.O resto é pau mandado,eles põe e dispõem.E vai ver o sonho lindo para muitos está abater no fundo,nada vai salvar os países que eles querem abater.Quero saúde o resto se virá daqui para a frente.
Abraço

AC disse...

Dói, dói muito...

Beijo :)

Zé Povinho disse...

Gente sem escrúpulos não pede desculpa nem tem perdão. No passado os traidores a mando de reinos estrangeiros foram mandados janela abaixo no 1º de Dezembro, que pode voltar a ser relembrado quando nós castigarmos os traidores e vendilhões dos nossos dias.
Abraço do Zé

Pitanga Doce disse...

Elvira, eu não reconheço mais o "meu país."

Severa Cabral(escritora) disse...

Que pena minha amiga,seu País tão rico...
Bjsssssssssssss

Dulce disse...

Infinitamente triste...

beijos

Fátima Pereira Stocker disse...

Elvira

Silenciar a memória dos heróis não é bom sinal; não pode ser bom sinal, sobretudo quando se alega que já não faz sentido.

Fez bem em expor a sua indignação.

Beijos

Olinda Melo disse...

Querida Elvira

Quanta verdade nas suas palavras! Os sacrifícios que nos são pedidos, em nome de uma dívida que todos os dias aumenta, nem sei se servirão para alguma coisa. Não sei se conseguiremos sair deste sufoco...
Haja esperança!

Bj

Olinda

Je Vois La Vie en Vert disse...

Junto-me a ti na tua tristeza.

Beijinhos da
Verdinha

Kim disse...

Pois não Elvira!
Não há pedidos de desculpa nem vai haver. A vergonha morreu de velha.
O texto está muito elegante e bem elaborado, ora batendo na realidade, ora na poesia.
Beijinho para ti!

Emíliana disse...

Que texto forte e intenso.Creio que vc está falando sobre a situação de sua terra,mas vejo muito tbm daqui.Triste realidade que só da vergonha.
Elvira,minha querida,vc foi um presente a mais em minha vida.
Quero te agradecer por tua ajuda no blog,tua presença querida,e teus comentários tão sábios.Não vou sumir,estamos no Face,estou aqui com vc,e ate o dia 15,quando fecho o blog, posto os últimos capítulos de Rosana que falta poucos,senão vou arranjar inimizade com muita gente que já me acompanha ha anos,me lê e não comenta.Então se quiser acompanhar fique a vontade.
No mais,carrego vc no meu coração,querida.
Bjcas

Pascoalita disse...

Muito tem sido dito e escrito sobre a CRISE que o País e a Europa atravessam. Apodera-se de mim Uma enorem tristeza Tentei manter a esperança, ms aos poucos a tristeza tomou conta de mim e já sinto náuseas qdo ligo a TV e invariavelmente o tema é sempre o mesmo. Isto porque embora concordando que a austeridade é necessária para sairmos do fosso em que nos meteram, continuo a ver esbanjar e acima de tudo, duvido que estejamos no bom caminho para solucionar o problema.

Infelizmente acredito que o pior ainda está por vir.

Resta-nos ter Fé


Bom Fim de Semana


Jinhos

João Celorico disse...

Olá,Elvira!
Perdoe-me o alongar do comentário!

Fartinhos do domínio espanhol,
uns conjurados, sem paciência,
buscam para si um lugar ao sol
e para Portugal, independência!

Junta, o João Pinto Ribeiro,
alguns mais da sua opinião
e, de pronto, vão ao Terreiro,
procurando a Restauração!

Prontos e cientes do seu papel
que a missão era já, era agora,
procuraram no Paço, o Miguel,
e lá foi, o traidor, janela fora!

Disseram à de Mântua, duquesa,
que se mantivesse com juizinho
pois, de contrário, teria a certeza
de seguir o mesmíssimo caminho!

Então, o povo, de espanhol já farto
e pensando da sua vida ser senhor,
na rua aclamou Dom João, o quarto,
a quem foi chamando, Restaurador!

Tudo isto, agora, parece cómico.
Parece ter sido tudo sem sentido
pois o nosso tecido, económico,
vai estando dia a dia mais falido!

Arrancaram-se as oliveiras,
num Alentejo desertificado,
e abateram-se as traineiras.
Já, só, comemos importado!

Corremos com os castelhanos?
Ficou limpo o solo português?
Se não há “nuestros hermanos”,
certo e sabido, lá temos o chinês!

E se é tudo isto bem verdade,
e tudo o que resta é sem razão,
pergunto eu, com curiosidade,
para que foi essa Restauração?

E se por efeito da globalização
o país já não se sente libertado,
esqueçamos nós a Restauração,
e acabemos com este feriado!


Abraço,
João Celorico

Isamar disse...

Um poema em jeito de desabafo sobre a situação difícil em que nos encontramos. Nunca deixemos silenciar a amargura que nos vai na alma, a injustiça que sentimos nestes momentos pois quem nos conduziu ao precipício não é incriminado e circula impunemente como se não fosse culpado da miséria em que muitos Portugueses vivem.
Gostei, Elvira! Continua/ continuemos a fazer da palavra uma arma.

Beijinhos

Bem-hajas!

Isamar disse...

Voltei para te dar os parabéns pelo novo visual do blogue. Por aqui sente-se o Natal. Vivamo-lo sem consumismos desnecessários mas em paz, harmonia, união familiar, alegria e com algum pão na mesa para festejar o Nascimento do Menino Jesus.

Beijinhosss

São disse...

Minha amiga, o meu coração partilha essa sua tristeza.

Mas não tenhamos ilusões: estas criaturas irão fazer pior ainda!

Um abraço grande

Georgia disse...

Querida amiga, essas coisas já sao comuns no Brasil.

Uma pena que o povo trabalha tanto para governos que nao correspondem.

Te desejo um fim de semana abencoado

Um grande beijo

Green Knight disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Green Knight disse...

Quem me dera poder contestar tanta amargura,desilusão e pessimismo.
Também pelo que outrora me fora incutido, relembro com nostalgia o que não pensava repetir:"Honra,Bandeira, Pátria, Família".
De modo nenhum quero ser saudosista,mas qual vai ser o futuro das novas gerações? A que patamar vão pertencer?
Bom fim de semana
Bjs Elvira
jrom

tulipa disse...

Obrigada pela sua visita e comentários e por estar sempre atenta ao meu blog.

Um abraço

tulipa

Luma Rosa disse...

Pungente!! E essa tristeza confirmada também nos comentários, junto-me aos demais nos desejos de que a velha nação retorne aos seus anos dourados. Boa semana!! Beijus,

aflores disse...

A crise e este País à beira mar plantado, são neste momento grandes causadores de mau estar e sofrimento. Por isso decidi esquecer, tentar sobreviver e seguir em frente.

Tudo de bom.

Excelente semana.

Mar Arável disse...

Uma coisa é certa
sem luta não se vence

Um dia renasceremos das cinzas

manuela barroso disse...

E nesta bruma, nem os mais cautelosos enxergam para além do imediatamente palpável!
Dói, de tanta revolta...
Boa semana, Elvira
Bjis

Paulo Cesar PC disse...

Parabéns, querida Elvira pela bela publicação que aqui faz. Um beijo no seu coração.

BlueShell disse...

"A palavra é a arma da Revolução"!
Sem dúvida temos aqui um poema de intervenção! E como precisamos que pessoas assim nos alertem para uma realidade que está em vias de se tornar irreversível naquilo que contém de negativo!
Os meus parabéns , querida!

Ah, e parabéns pela foto: evoca o espírito natalício que já se faz sentir um pouco por todo o lado!

Bom sempre vir aqui!
Um beijo de ternura e admiração.
BShell

AFRICA EM POESIA disse...

Amiga
envio o livro amanhã...custa 9.90--
um beijinho grande e obrigada

AFRICA EM POESIA disse...

Amiga
envio o livro amanhã...custa 9.90--
um beijinho grande e obrigada

AFRICA EM POESIA disse...

Manda-me a direcção e o nome da neta

paideleo disse...

Síntoo muito polo país irmán.
Creo que Galiza vai seguir ese mesmo camiño.

Lilá(s) disse...

Partilho consigo esta angustia, custa a creditar que este é o nosso país, em poucos meses tanta reviravolta!!!
Bjs

Severa Cabral(escritora) disse...

Hoje vim trazer um convite especial.
vá no meu cantinho comungar comigo da minha vitória da qual vc tbm faz parte.
bjssssssssssss

Graça Pereira disse...

Radiografia real de um país que foi grande, apesar da sua pequenez física e que hoje se definha porque já não sonhadores que queiram alargar o reino e os que há, são os "abocanhadores" dos restos que perduram em esqueletos ambulantes...
Esperança? Acho que é flor que foi extinta em Portugal.
Beijo
Graça

nacasadorau disse...

Maria Elvira, amiga

Contestação é palavra esquecida neste povo que estagnou e vive de cochichos e de queixumes.
De lamúrias não vamos a lado algum.
É urgente que se faça algo mais, que se haja já, porque já é tarde demais.

Bem haja por este grito de revolta e REVOLTA é a palavra de ordem.

Abraço