25.4.17

DIA DA LIBERDADE - 25 DE ABRIL - SEMPRE







LIBERDADE


Ontem
Olhavas e fingias que não vias.
Os órfãos e viúvas de guerras inglórias
O desespero dos emigrantes clandestinos
As terras abandonadas pelo terror da fome
A força sacrifício dos ideais feitos homens
Encerrados e torturados nas prisões do meu país

Acordaste numa manhã de Abril
Espantado
Porque nas nossas mãos
A revolta era cravo rubro
Nas nossas gargantas
O medo era um hino à Liberdade
Nos nossos braços enlaçados
A força da esperança no futuro.
Acordaste...
E como quem muda de camisa
Puseste-te ao nosso lado.

Era o tempo
de fingires ser democrata...

Com a Liberdade por companheira
Entre avanços e recuos
Fomos fazendo a nossa história
Mas como joio insidioso, 
Abafando o trigo
Ias minando a caminhada
Encerrando escolas, 
Fechando fábricas.
Cortando subsídios
Aumentando o desemprego
Empurrando-nos para a emigração
Aprisionando os nossos sonhos, 
No desespero e desencanto.
Fomentavas a descrença
Para desunir o Povo


Podes continuar a tentar.
Tal como a noite tenta todos os dias
apagar o esplendor do sol
Porque hoje
O povo tem mais
Do que o sonho e a esperança
Conhece o sabor da Liberdade
Reconhece o sabor a sal
Das lágrimas
O odor do sangue derramado
Daqueles que por ela, deram a vida.

E não se deixa enganar!

elvira carvalho


E agora deixo aqui o poeminha feito pela minha neta de 8 anos pelo mesmo tema, trabalho feito para a escola.

Portugal, o 25 de Abril, a Liberdade

Portugal é um país
À beira do oceano
Onde o céu é mais azul
E o sol mais brilhante.
As pessoas são alegres
Porque são livres.
Mas nem sempre foi assim.

No século passado
O povo vivia
Em permanente tristeza
Gente sem pão
Sem paz
Sem liberdade.
Os homens
Partiam para a guerra
Ou emigravam
As mulheres esperavam-nos
Saudosas
Ou choravam-lhes a morte.
E as crianças cresciam
Sem pai.
E muitos acabavam presos
Pois não tinham liberdade
Para protestar
Da vida que tinham.

Até que numa madrugada
De Abril
Os militares cansados
Da guerra
Fizeram a revolução
Derrubaram o governo
Acabaram com a guerra
Abriram as prisões
Fizeram novas leis
E o povo soube enfim
O que era a liberdade.



Mariana Carvalho  


Bom Feriado

39 comentários:

✿ chica disse...

Puxa, que lindas as poesias!" A tua sempre vejo e são lindas,agora a da tua neta, ficou maravilhosa e pensar que é ainda uma menina! beijos,tudo de bom,chica

AvoGi disse...

Tão giro a da Mariana..
Kis :=}

Socorro Melo disse...

Oi, Elvira!

Belos poemas à liberdade! É super importante o memorial da história de um povo, suas lutas, dissabores, sofrimentos, mas,por fim, a vitória, sobre a tirania e a injustiça.

Parabéns! Mariana é uma poetisa, saiu à avó. Amei.

Anete disse...

Bem sei o valor do feriado de 25/Abril para vocês! Linda homenagem!!!
Vó e neta escrevem com muita sensibilidade!... Aplausos de cá...
Bjs

Odete Ferreira disse...

O maior legado de Abril é o de um permanente de alerta para tudo o que possa ameaçar, irremediavelmente, o que Abril abriu. O teu poema é um belo exemplo: não calar e alertar!
Quanto à tua neta, amiga, louvo esse espírito que já está entranhado e que o poema bem revela. Digna neta de Abril! Um bjinho especial para ela.
Feliz dia, Elvira :)

Odete Ferreira disse...

Corrijo: o de um permanente alerta

Pedro Coimbra disse...

Quem sai aos seus não é de Genebra, não é? :))
O poema da menina é um doce!!
Abraços

Paula Lima disse...

Bom dia da liberdade! Para ambas e para todos!

AFlores disse...

Quarenta anos depois... tanto que há para dizer (e tanto para fazer), mas fico-me só por desejar um bom dia!
25 de Abril, sempre.
Tudo de bom.

Isa Sá disse...

Parabéns...a neta tem jeito!
Bom feriado!

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Majo Dutra disse...

A neta tem a quem sair e «quem sai aos seus não degenera»
Expressivo e abrangente, realmente um poema admirável neste nível etário!
Muito bom! Parabéns!
Mais uma vez, revemos a emoção do 25 de Abril de 1974...
Beijos e abraços para ambas.
~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

Luis Eme disse...

SEMPRE!

abraço Elvira

Edumanes disse...

Parabéns à sua netinha,
escreveu um lindo poema
lá na Costa Vicentina
terra de gente morena!

Para lá da Cidade Sadina,
capital do distrito de Setúbal
mas, antes da Costa Vicentina
pode visitar Tróia na Costa Azul!

Onde o céu é mais azul,
é verdade, não mentira
sendo eu sou oriundo do sul
nascido no Concelho de Odemira!

Adoro a liberdade,
viva o 25 de Abril
tenha uma boa tarde
de sol primaveril!

Um abraço amiga Elvira!
Eduardo.

AC disse...

Há uma luz que refulge, sulcando as trevas
Há um gesto que renasce, fazendo o dia
Há um canto que se ouve, quase em murmúrio
Há um despontar de vozes, quase melodia.

Abraço

Bell disse...

Uma linda homenagem, a netinha indo pelo mesmo caminho escrevendo.
Que orgulho amiga!!

bjokas =)

Catarina H. disse...

Dois belos poemas, representativos do que foi e é Abril. Parabéns às duas autoras e uma especial referência à neta, que de tão tenra idade, já se exprime tão bem em poema. Sai mesmo à avó Elvira, pelo menos no talento para a escrita!
Beijinhos para as duas e bom feriado!

aluap Al disse...

Olá Elvira e bom dia de 25 Abril.
Para a nova geração este dia pouco poderá dizer, pensava eu assim até ler o poema da sua neta que vem contradizer o meu pensamento. Gostei muito. Parabéns.
Abraço.

Olinda Melo disse...

Belos poemas, da avó e da netinha, grande homenagem ao Dia da Liberdade.

Beijinhos.

Olinda

Olinda Melo disse...

Belos poemas, da avó e da netinha, grande homenagem ao Dia da Liberdade.

Beijinhos.

Olinda

Tintinaine disse...

Ora cá estou também para prestar homenagem à conquista da liberdade! Com cravos ou sem eles, ser livre é outra coisa!

Ana S. disse...

bonitos poemas. A miuda sai à avó :)
Abraço

Mar Arável disse...

Sempre presente nas memórias vivas

Ana Freire disse...

O talento para a escrita, corre na família... para uma criança de 8 anos, está formidável, o poema... com uma lucidez e um entendimento incrível, do significado desta data!...
Parabéns, para a neta... e para a avó... pois certamente também lhe caberá uma parte do mérito por tal...
Adorei o seu poema, Elvira! Uma forma belíssima de assinalar esta data com tanto significado, para os portugueses... principalmente, para os que viveram, os anos da ditadura...
Parabéns a ambas! E um beijinho para as duas!
Bom resto de feriado! Continuação de uma boa semana!...
Ana

Graça Sampaio disse...

Lindo! Lindo! A tua Mariana é artista!! Será que sai à avó? Penso que vai ser ainda melhor...

Beijinhos para ambas.

Prata da casa disse...

Oh Elvira: o poema da sua neta está maravilhoso! Tão novinha e já com veia artística. Não há dúvida de que quem sai aos seus não degenera.
Bjn
Márcia

Berço do Mundo disse...

A neta demonstra um talento promissor. Que idade tem e como pode ter já esta consciência social? Estamos a precisar de forjar um novo futuro para este país.
Beijinho
Ruthia d'O Berço do Mundo

esteban lob disse...

Impactante visión, la tuya Elvira y felicitaciones a tu nieta.
Es emocionante.





Janita disse...

E não é que a Mariana já dá mostra de sair à avó. Bela veia poética.
Um belo dueto em beleza e talento.

Parabéns, Elvira. Adorei os poemas.

Um grande abraço e um beijinho para a neta.

lua singular disse...

Oi Elvira,
As duas poesias são lindas
Um sonho que se tornou realidade.
Êta garotinha porreta, saiu a avó.kk
Beijos
Lua Singular

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

Bom dia Elvira!
A emoção tomou conta de mim, que poesias lindas e com que maturidade sua neta poetou a liberdade.
Que nunca mais haja sequestros da liberdade.
E viva o povo português que amo tanto, sou neta de porutuguês,com muito orgulho.
Parabéns querida Elvira e espero em Deus e por nossa luta que fiquemos livres aqui de tanta opressão, beijinhos.

Beatriz Pin disse...

Gosto dos dous poemas. O seu, mais maduro e reflexionado, o da sua neta, mais espontaneo, ainda que non menos profundo. Aquel 25 de abril que cambiou a historia en Portugal. Qué capacidade de resposta dun povo que soubo unirse e perder o medo. Eu visitara Porto aos poucos días e aquelo foi increíble de ver. Parecía o país mais ceibe do mundo porque a liberdade estaba nas mentes. Non era ficticio. A gente estaba preparada e madura. Moitos parabems por estes recordatorios! A netiña promete na escrita, como a sua avóa!!!! Aperta fonda.

Duarte disse...

Que maravilha!!! Claro que sim, tem raízes de escritora e manifesta-o.
Gostei imenso do teu poema: Quanta sensibilidade a TUA!.
Seguimos com a leitura da Maria Paula e está a gustar muito.
Um abraço bem grande de todos.

© Piedade Araújo Sol disse...

Evira

e que se cumpra Abril em liberdade

duas poemas muito oportunos.

a Marina tem talento como a avó.

beijinhos às duas.

:)

manuela barroso disse...

A sementeira está feita. Uns já vão colhendo, outros preparam o terreno e jogam palavras para colher cravos na memória de educação já fornecida.
Tal avò, tal netinha que tanto engenho e arte já tem. Parabéns!
Beijinhos , Elvira

Os olhares da Gracinha! disse...

A neta vai seguir as pegadas da avó na arte de expressar_se com alma!
Belíssimas homenagens...bj

maria disse...

Bem o que dizer, quando vemos o talento confirmadíssimo de uma avó, a ter continuidade numa neta!? Simplesmente maravilhoso!
Parabéns às duas e em especial à Mariana e que ela continue a seguir o exemplo da avó, porque talento parece não lhe faltar; Beijinho às duas!

lis disse...

Que lindo os poemas Evira
Talento de família, com certeza!

São disse...

"Quem sai aos seus, não degenera"

Beijinhos a ambas

Rosemildo Sales Furtado disse...

A liberdade é um dos nossos direitos que jamais deverá ser confiscada. Belos poemas, o teu e, principalmente, o da tua netinha com apenas oito anos.

Abraços,

Furtado