11.4.13

VIDAS CRUZADAS - PARTE VIII




Amigos estou de volta e hoje mesmo retomarei as visitas. Mas infelizmente o pc, não  está ainda bem. Parece que o mal será da memória que como está dentro da garantia terá que ir para a fábrica. Entretanto o técnico pôs-lhe uma memória que tinha lá mas que não é nova e que é inferior à que eu tinha. Dá para entrar nos blogues, espero que dê para entrar e comentar nos vossos, mas é muito lento. No entanto é melhor do que estar uma ou duas semanas sem pc.

20 comentários:

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Ao descrever a casa da tia recordei os tempos da minha infância na aldeia onde nasci. Esses lavatórios com o jarro e a toalha de linho pendurada eram muito comuns,aliás demorou muito ate que houvesse casas de banho.Espero que o Pedro se recupere naquela calma e ares saudáveis. Sabes, Elvira, hoje o meu velho computador também teve de ir ao " médico " e obrigou-me a usar este portátil do meu marido; não gosto muito, mas tem que ser. Como sempre, estás de parabéns, pela bela escrita e pelas histórias sempre interessantes que connosco partilhas. Cá estarei para o próximo capítulo. Um beijinho, amiga e um bom fim de semana, de preferência com sol e calorzinho de Primavera
Emília

Luma Rosa disse...

Descreveu uma casa bastante acolhedora e tranquila para Pedro passar os seus últimos dias...

Espero que consiga sanar os problemas com o seu pc. Antes de levar para o técnico, costumo pegar uma borracha branca e com ele desligado, fazer uma limpeza - como quem apaga a poeira - em suas peças. Muitas vezes a poeira deixa a máquina sem condutividade e faz as partes trabalharem em demasiado, resultando em estragos.

Beijus,

tinta permanente disse...

Dá a parecer que a casa da tia do Pedro é bem mais capaz do que o tremelicante pêcê...
E, ainda por cima, leio de soslaio as explicações do 'doutor'.
De qualquer forma... as melhoras!
E volto, para saber do Pedro.
abraço.

Vitor Chuva disse...

Olá, Elvira!

A casa da tia do Pedro é aqui descrita com tanto detalhe e minúcia, que é quase como se entrássemos dento dela. Agora falta saber o que aí irá acontecer com o personagem da história. E oxalá que esse PC de fraca memória não atrapalhe...

Abraço amigo; bom fim de semana.
Vitor

Severa Cabral(escritora) disse...

FELIZ DIA DO BEIJO !!!!!!!!!!!!!!
BOM DIA !!!!!!!!!!!
ARQUITETA DE BONS PENSAMENTOS !
PARABÉNS PELO TALENTO EXPRESSO DE FORMA MAGISTRAL EM CADA PENSAMENTO...
BEIJOS !

Celina disse...

Oi querida amiga , obrigada pela visita e o comentário, pelo que lí o seu conto promete ser muito interessante.Um abraço fraterno. Celina.

Fátima Pereira Stocker disse...

Elvira

A casa da tia Palmira é parecida com aquilo que, para mim, deve ser o paraíso: cheirinho a lavado, ar puro, vista desafogada para o jardim das delícias que é atravessado por um rio calmo. Além de nós, o paraíso é habitado por quem nos quer bem e nos sabe ler os pensamentos. Nesses lugares a vida é possível porque os milagres acontecem.

Como vê, está-me a saber bem ler a sua história.

Beijos

Kim disse...

Elvira!
Farto de problemas parecidos (com o computador) adquiri um onde isso não acontece, da Aplle!
Mas a vida não está para brincadeiras e se nos recordarmos dos tempos da odisseia do bacalhau, então o bom senso diz-nos que se deve levar tudo até à exaustão. Assim fazem os cubanos, já que a necessidade aguça o engenho. Mas lá que é muito chato ficar sem PC, isso é.
Beijinho

MARILENE disse...

Que bom que seu pc ressuscitou!
Você descreve em riqueza de detalhes a casa da tia. Até podemos imaginar tudo. Como ele acabou de chegar, esperemos o caminho que vai dar ao conto. Bjs.

LopesCa disse...

As melhoras do pc... e quem sabe a cura do personagem ;)

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Andei junto, pela casa da tia e quando o lavatório foi descrito, lembrei-me do lá de casa, que era de ferro, bem torneado, com aquela bacia e jarro de ágata. Bateu saudade!

Torcendo aqui, para o Pedro se recuperar, nesses novos e saudáveis ares. Eu volto! Um abraço!

E que tudo se resolva, com o PC!

Silenciosamente ouvindo... disse...

Gostei muito de ler este texto.
Fez-me recordar algumas coisas
de há uns anos atrás. Está
muito bem escrito.
Bj.
Irene Alves

Silenciosamente ouvindo... disse...

Gostei muito de ler este texto.
Fez-me recordar algumas coisas
de há uns anos atrás. Está
muito bem escrito.
Bj.
Irene Alves

Mariazita Azevedo disse...

E assim a história do Pedro vai continuando...
Aguardemos pelo próximo capítulo.

As máquinas avariam-se (até nós nos avariamos...) mas quando os computadores começam a dar problemas...é mau sinal.
E parece que já não podemos passar sem eles, não é? Eu vejo por mim, quando o meu filho (que é o meu assistente informático...) resolve dar uma faxina geral, fico desejando que ele acabe depressa a limpeza :)))
Oxalá com o seu não haja nada de muito problemático.

Beijinhos

ana costa disse...

Minha amiga li com muita atenção tudo aquilo que escreveste pois sei que aí "vem bomba"!!!
Fico aguardando o que se vai seguir!!!
beijo amiga

Andre Mansim disse...

Oi Elvirinha! Que bom que esta de volta! Fico feliz porque vc faz muita falta!

AC disse...

Gostei muito das descrições, Elvira, revelam talento.

Beijo :)

LUZ disse...

Olá, estimada Elvira!

Bem, temos a chegada de Pedro à casa da tia Palmira, a receção que lhe foi prestada, a falta de fome ao jantar, e depois o passeio, para desanuviar.

Beijos, com estima.

Duarte disse...

fazes-me retroceder no tempo aquele, no qual fui recolhendo dados para o meu primeiro livro "Recordar é viver".
Gosto daquilo que escreves, possui realidade.
Vamos começar, na minha aula de cultura portuguesa, a leitura e tradução do teu romance "PAULA". Já te contaria como vai tudo.
Abraços de vida, querida amiga.

rendadebilros disse...

A atenção aos pormenores ... na vida real e nas fotos que retratam um momento. O nosso olhar cruza-se e lê as mensagens de uma forma muito parecida...Beijos.