5.11.12

MANUEL OU A SOMBRA DE UM POVO - PARTE XLIX



Construção do Muro de Berlim
Foto do Google



 A proclamação da República Democrática Socialista de Cuba acontece nesse 1º de Maio de 1961. E três dias depois houve nova remodelação do governo português.
Dias depois o astronauta americano, A. B. Shepard efectua o primeiro voo espacial do seu país.
Em meados de Maio foi tornado público um programa comum da oposição elaborado sob a inspiração de Jaime Cortesão e Mário de Azevedo Gomes, para a democratização da República. Da equipa que elaborou o programa faziam parte Mário Soares, José Ribeiro Santos, Fernando Piteira Santos, Ramos Costa, Acácio Gouveia e Rui Cabeçadas entre outros. Na sequência da divulgação do programa, Acácio Gouveia, Mário Soares e Gustavo Soromenho são presos.
O troço da auto-estrada entre Lisboa e Vila Franca foi inaugurado a 28 desse mês. E no mesmo dia rebenta uma bomba na Estação do Cais do Sodré.
 No dia 30, o Benfica sagrou-se Campeão Europeu de Futebol, batendo na final em Berna, o Barcelona por 3-2. O Manuel não gosta do Benfica. Ele é portista desde menino. Mas quando o Benfica ia jogar no estrangeiro, ele torcia pelo Benfica. Costumava dizer que acima dos clubes estava o país e ele apoiaria sempre uma equipa portuguesa ainda que fosse o Cascalheira.
E se o mês começou com a proclamação da República de Cuba termina com a Implantação da República da África do Sul
A nível internacional o facto mais importante do mês de Junho foi a Cimeira de Viena entre os presidentes Khruchtchev e Kennedy a 3 e 4.
Por cá Venâncio Deslandes é nomeado Governador-geral de Angola e Comandante-chefe.
Em Espanha surge a Union de Fuerzas Democráticas, com o PSOE, PNV, e a Izquierda Demócrata Cristiana.
A 22 mais uma remodelação governamental.
No final do mês Salazar discursa em reunião extraordinária da Assembleia Nacional.
No Barracão Manuel está muito contente. Os dois filhos mais novos foram muito bem na escola. O catraio fez o exame da 4ª classe com distinção. Tinha onze anos e conseguira recuperar os anos perdidos no inicio por causa da fala. E a miúda a tirar o Curso Comercial na Escola Alfredo da Silva passara com altas notas.
Por outro lado a mais velha, faria em Setembro 14 anos e já poderia ir trabalhar para a Seca na próxima safra. Era uma ajuda. Depois a gaiata metera na cabeça que logo que fosse trabalhar para a Seca, se matricularia na mesma escola onde a irmã estudava para tirar um curso noturno.
Claro que ele não se importava com isso, até gostava que a gaiata estudasse. Afinal quem a queria ver feliz era a ler ou a escrever. E o diacho da cachopa escrevia coisas que ele até ficava a imaginar onde teria ido ela ido buscar aquilo.
O pior é que ele não acreditava que ela aguentasse. Ele sabia bem como era pesado o trabalho na Seca até para um adulto quanto mais para uma miúda. Depois o trabalho começava às 8 da manhã e terminava às 18 horas. Não dava tempo de acender o lume, aquecer a água para o banho, lavar-se e vestir-se, e ir até à Telha apanhar o autocarro para chegar à escola às 19 horas. Mas ele não queria cortar os sonhos à miúda. E até já tinha dito à mulher que estava disposto a fazer pela filha a última hora de serviço se o patrão aceitasse. Afinal de contas ele largava o trabalho às 17. O miúdo não iria estudar. Se por um lado ele não ganhava o suficiente para o pôr a estudar, por outro o miúdo também não mostrava qualquer interesse pelos estudos. Também não podia ir trabalhar. Ainda não tinha idade para isso.
Em Julho o Senegal e a Indonésia cortam relações com Portugal.
 É assinado acordo de associação entre a CEE e a Grécia.
No primeiro dia de Agosto o pequeno enclave português do forte de S. João Batista de Ajudá, situado na República do Daomé, é atacado e invadido. O representante português incendeia as instalações antes da retirada. 
No dia 4 desse mês de Agosto, nasce aquele que muitos anos mais tarde irá fazer história, ao ser eleito o primeiro presidente negro da história dos Estados Unidos da América.
Por esses dias o PAIGC solidariza-se com o MPLA e proclama a passagem à ação direta. Por essa altura a Dinamarca e o Reino Unido pedem adesão à CEE.
É também nessa altura que nasce o Movimento Nacional Feminino. Movimento de apoio ao esforço de guerra levado a cabo pelo Estado Novo. Os estatutos são aprovados ministerialmente neste dia. Célebre pela instituição dos modelos das madrinhas de guerra e dos aerogramas.
Nesse mesmo mês, na noite de 12 para 13 é erguida uma barreira de arame farpado em Berlim, separando as zonas leste e oeste. Dias depois, mais concretamente a 17 começa a construção do Muro de Berlim.
O governo sueco hesita em aderir ao Mercado Comum, invocando a política de neutralidade sueca.
No dia 25 Jânio Quadros renuncia à Presidência do Brasil, sendo substituído pelo Vice-Presidente João Goulart do PTB. O congresso brasileiro regressa ao parlamentarismo. E o mês chega ao fim com o regresso da URSS às experiências nucleares na atmosfera.


24 comentários:

Luís Coelho disse...

Mais uma parte da nossa história que viemos na juventude. Recordo alguns factos mas parece que só tardiamente ouviamos falar deles.
As coisas eram muito camufladas e aqueles que se mostravam mais espertos ou eram os informadores ou então podiam ser presos.
As dificuldades dos estudos eram muitas.. A maioria não podia estudar.

António Jesus Batalha disse...

Meu nome é António Batalha, estive a ver e ler algumas coisas de seu blog, achei-o muito bom, e espero vir aqui mais vezes. Meu desejo é que continue a fazer o seu melhor, dando-nos boas mensagens.
Tenho um blog Peregrino e servo, se desejar visitar ia deixar-me muito honrado.
Ps. Se desejar seguir meu blog será uma honra ter voce entre meus amigos virtuais, decerto irei retribuir com muito prazer. Siga de forma que possa encontrar o seu blog.
Deixo a minha benção e a paz de Jesus.

Paulo Cesar PC disse...

Essa narrativa, acho que já disse isso aqui, tem como um dos ingredientes, essa retrospectiva através da história e de fatos que marcaram a humanidade. É de uma inteligência admirável introduzir esses fatos dentro das narrativas. Muito bom. Parabéns. Um grande abraço.

Nilson Barcelli disse...

Começavam os tempos áureos do Benfica...
É tão agradável ler os teus textos...
Elvira, querida amiga, tem uma boa semana.
Beijinhos.

Nilson Barcelli disse...

Começavam os tempos áureos do Benfica...
É tão agradável ler os teus textos...
Elvira, querida amiga, tem uma boa semana.
Beijinhos.

Duarte disse...

Não desejo ser reiterativo, mas só vejo esta forma de o poder expressar: excelente trabalho jornalístico. Ademais vai bem para refrescar a memória.
Parabéns e um grande abraço

isa disse...

Continua a prender a atenção esta narrativa.
Muito interessante e,claro,fiel à História.
Beijo.
isa.

Andre Mansim disse...

Amiga Elvira...
Normalmente você pesquisa muito pra contar a história do Manuel, mas dessa vez deve ter "suado a camisa" pra correr atrás de tanta informação!
Parabens!

FireHead disse...

O Mário Soares devia ter continuado preso. O Salazar sabia perfeitamente que esse tipo de gente não podia usufruir da liberdade. Ainda estamos hoje em dia a ouvir baboseiras do Soares...

Destaco também a primeira conquista europeia por parte de um clube português, o Benfica. Eram outros tempos. O futebol era de longe mais bonito, pois era jogado com paixão, sem os milhões que movimentam o desporto como hoje em dia. Como benfiquista, espero que o Benfica possa representar a esses tempos áureos. Afinal de contas, a esperança é que nos ajuda a viver.

Beijinhos.

lis disse...

Oi Elvira
O muro de Berlim _ foi um fato marcante e relembrar as consequências e o que acontecia àquela época é muito significativo e interessante.
Desejo que tenha bons dia Elvira
e deixo abraços
* não está dando muito para acompanhar mas vir aqui já é um prazer enorme.
espero que goste da minha presença mesmo nao podendo interagir como gostaria.rs
abraços

Fátima Pereira Stocker disse...

Sei que me ides matar. Disparai, cobardes, porque estais simplesmente a matar um homem." Foram estas as últimas palavras de Che Guevara, segundo a revista "Time". Quanto a mim, gosto de o recordar vivo, de acordo com o retrato que dele nos traça Carlos Puebla, no belo poema "Hasta Siempre Comandante"

"Aprendimos a quererte
desde la histórica altura
donde el sol de tu bravura
le puso cerco a la muerte.

Aquí se queda la clara,
la entrañable transparencia,
de tu querida presencia
Comandante Che Guevara." (...)
____
Elvira:

Desculpe este comentário tão arredio daquilo que é meu costume. Talvez seja porque a revolução cubana tem poucos dias de vida a mais do que eu, motivo que me levará a olhá-la com olhos de bem-querer.

Foi muito bom ler sobre os sucessos da família que continua a mourejar na Seca.

Beijos

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

Naqueles tempos não havia tanta informação e a que havia era muito censurada. Aqui pelos teus relatos vamos recordando alguns e ficando a conhecer outros. Muito obrigada por essa oportunidade, Elvira. O Manuel é como o meu marido; é benfiquista, mas se o Porto estiver a jogar com um estrangeiro é pelo Porto que torce. Beijinhos, amiga e mais uma vez parabéns e obrigada! Fica bem!
Emília

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

É sempre bom passar aqui e relembrar tempos antigos, ainda bem que alguém os escreve para não serem esquecidos.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Kim disse...

Minha querida amiga
Esta nova foto da Elvira é uma maravilha. Linda!
Do post, comò benfiquista, realço esse marco agora tão arredio do meu Benfica.
Da história, não podia deixar de abominar esse crime horrendo chamado Muro da Vergonha e também acho que Mário Soares devia ter mais tento na língua, já que a sua qualidade de resistente, há muito que deixou de ser verdade. Venha o luxo e a riqueza, que esse é o reino de sua majestade.
Beijinhos

Mariangela disse...

Oi Elvira!
Quantos fatos importantes, e como sempre, tão bem descritos!
Abraços com carinho!
Mariangela

Mar Arável disse...

Sempre um prazer visistar o seu espaço

edumanes disse...

Um muro foi construído
Para famílias separar
Por causa de um doido varrido
Que pensou o mundo poder conquistar!

Outra doida apareceu
Que nos está a tramar
Sua ideologia aprendeu
Pensa na Europa mandar!

Boa quarta-feira para você,
amiga Elvira,
um abraço
Eduardo.

Lilá(s) disse...

Nestes relatos vou conhecendo algumas histórias antigas e recordando outras que são já do meu tempo.
Obrigada pela interessante pesquisa.
Bjs

São disse...

Já lhe disse que gosto muito desta nova foto , que já usara, aliás , há tempos?


Lembro-me perfeitamente das pessoas a saltaren pelas janelas e do muro, que faz agora anos de ser derrubado, a crescer...

Bons sonhos

MARILENE disse...

Quantos acontecimentos! Nem sempre paramos para relembrá-los, como a tristeza do Muro de Berlim.
O futebol, sempre a animar os povos. E essa atitude de torcer pelo time adversário, quando a disputa é com outro país, permanece.
Acompanho sua narrativa com prazer. Bjs.

Zé do Cão disse...

Minha Amiga
Tantas, tantas recordações
No fundo é a continuidade da vida e recordar é viver.


Tenho lá um texto. O Zé não acordou,
aconteceu-lhe novo percalço.
abraço

Maria disse...

E a Saga continua. A do Manuel e a do mundo.
Continuo à espera do resto.
Abraço grande
Maria

Vitor Chuva disse...

Olá, Elvira!

Tempos difíceis aqueles, para grandes e e pequenos; onde estudar não era para todos, e bem mais difícil à noite.

Desse jogo lembro-me bem, visto na única televisão pública da aldeia; e não sendo, tal como o Manuel, do Benfica, ainda assim foi uma imensa alegria num país tão cinzento e tristonho.

Um prazer ler; e cá fico à espera de mais.

Boa semana; abraço.
Vitor

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

Voltei de minha viagem, passando direto para esta postagem sobre o Manuel e tudo em volta de sua saga. Quantos acontecimentos mundiais relembrados. Continuo acompanhando.
Um abraço!