2.7.16

PORQUE HOJE É SÁBADO...

                         Foto DAQUI





Louca Perigosa


Deixem-me ir para a rua
quero gritar
chorar
cantar.
Quero levantar bem alto
a bandeira
do desespero.

Quero rir-me de ti
de mim
de todos nós.
Quero que os bandidos
chorem
a dor
e a vergonha
de o serem.

Quero dar pão
A quem tem fome
e dar água aos sedentos.
Quero dar amor
carinho
ternura
a quem vive só.

Quero sofrer com o presidiário
e sorrir feliz com os noivos.
Quero dar um lar aos órfãos
E trabalho a quem o procura.
Quero que todos os políticos
unam esforços
numa aliança firme
por um mundo melhor.

Quero acabar com o terrorismo
e as penas de morte.
Quero acabar com a fome
a poluição,
e a guerra.

Deixem-me ir para a rua
Deixem-me erguer bem alto
a minha bandeira.
E escrevam depois nos jornais
Que anda por aí à solta
Uma louca perigosa.

Elvira Carvalho 

De férias a partir de hoje, espero que tenham um mês excelente. Até à minha volta.

1.7.16

MANEL DA LENHA. - Parte XCVII



Depois desta viagem, foram muitas as que o filho proporcionou aos pais. Todos os anos, no Verão fechava o aviário e partia com os pais.para S. Pedro. Ficavam aí uma semana, e depois seguiam para outros sítios. O Gerês, o vale do Douro, Santiago de Compostela, as Beiras,o Algarve  e o Alentejo.
Sempre que estavam de partida, o Manuel ficava numa felicidade que nem criança com brinquedo novo. A mulher pelo contrário ia sempre resmungando, porque é que não iam pai e filho e a deixavam em casa. Em casa é que se sentia bem, e" re-beu-beu , pardais ao ninho" como dizia o marido com uma certa graça. Às vezes o filho sabia de uma festa, como por exemplo as de Campo Maior,  e na altura tinha o aviário a funcionar. Ele pagava a alguém para ficar a cuidar dele durante dois ou três dias e levava os pais. Claro que a Gravelina, não conseguia andar mais do que meia dúzia de metros, mas a cadeira de rodas ia sempre com eles e ela nunca deixou de ver nada por não ter mobilidade suficiente. 
E Janeiro de 98 começa com a Vitória de Jorge Sampaio nas eleições presidenciais. Em Março é aprovada na Assembleia a amnistia das FP-25, Sampaio é empossado no cargo, e Marcelo Rebelo de Sousa chega à presidência do PSD, no primeiro congresso depois do suicídio no mês anterior de Alexandre Gouveia, fundador do partido. Em Julho, Almeida Santos substitui Jorge Sampaio que por motivos de doença se manterá afastado até 7 de Agosto.
A 13 de Agosto, morre o marechal Spínola, uma personagem controversa, para uns um herói, que contribuiu para a implantação do regime democrático, para outros um homem dúbio, com uma enorme sede de poder, cujo contributo se deveu apenas ao sonho de vir a ser o todo poderoso Presidente do País. O que ele não esperava, era que o movimento dos militares, estivesse tão bem estruturado e fosse tão firme. Só teve consciência disso no próprio dia 25 de Abril quando tentou tomar as rédeas da revolução e se propôs rever e alterar o programa do MFA . Victor Crespo enfrentou-o dizendo; "Os blindados e tropas ainda estão na rua, se for preciso, continua-se com o golpe"
Dias depois morre  a jornalista Vera Lagoa.
Em Outubro D. Ximenes Belo e Ramos Horta, recebem o Nobel da Paz e no Congresso do PCP em Dezembro, Álvaro Cunhal, abandona a liderança do partido e passa a simples militante.
O ano terminou e seguiu-lhe outro numa rotina de dias e horas, na vida do Manuel, cuja única mudança eram as queixas de dores, uns dias mais intensas que outros, o que nem é nada de original, pois elas sempre aparecem com o passar dos anos e Manuel fez nesse ano 80 anos, de vida pesada, sempre por muito trabalho, e pobreza

30.6.16

MANEL DA LENHA - PARTE XCVI


A mulher do Manuel, recuperou do acidente, mas durante um bom tempo fez fisioterapia para recuperar a relativa mobilidade que tinha antes. 
Passaram-se dois anos, estamos agora em 1995. Logo no mês de Janeiro, o país perde um grande vulto da nossa literatura com a morte de Miguel Torga. O génio que nos encantou com "os contos da Montanha" "Vindima" e "Os Bichos"e de tantas outras obras em prosa ou em verso, não mais voltaria a escrever.
Nessa época já o filho do Manuel, que continua a pensar que o pai leva uma vida de clausura por causa da mulher anda a pensar como fazer para proporcionar ao pai umas horas ou dias de alegria. Ele sabe que não pode arriscar de novo uma viagem com os pais numa carrinha. E depois de muito pensar resolve comprar uma auto caravana a fim de levar os pais a dar um passeio. Se bem o pensou melhor o fez. Depois de a comprar  alterou-a quase completamente. arrancou os sofás  na salinha que à noite se transformavam em cama, e colocou no local uma cama com colchão ortopédico, uma mesa de cabeceira, e uma porta para isolar o quarto e lhes dar privacidade. Desmanchou e ampliou a casa de banho para que a mãe se movimentasse sem problemas, dada a sua pouca mobilidade. Mas como fazer a mãe subir para o veiculo? Então fez uma placa elevatória, que descia até ao chão, colocava a mãe nela e fazia-a subir até à porta. 
Depois de todas estas alterações, já podia sair com os pais. A primeira viagem foi às Termas de S. Pedro do Sul, onde passaram uns dias, até seguirem para Carvalhais, a fim de assistirem às festas de Nossa Senhora das Chãs.
Desde que a mulher sofrera o AVC há quase 11 anos que o Manuel não ia à sua terra e estava radiante. A mulher pelo contrário, apesar de todo o conforto que o filho lhe dera, tentando aproximar o mais possível o espaço na caravana com com a casa deles, ela sentia que não era a mesma coisa, tinha um certo medo em se movimentar. E ia dizendo que para a próxima iam pai e filho sozinhos que ela ficava em casa. Sabendo que se ela não fosse o marido também não iria, ainda que a filha lhe dissesse que podia ir, que ela cuidaria da mãe.
Foram duas semanas que deram nova vida ao Manuel.
E nas eleições de 1 de Outubro António Guterres vence as eleições sucedendo no governo a Cavaco Silva.

29.6.16

MANEL DA LENHA - PARTE XCV




E chegámos ao ano de 1992, que começa como se devem lembrar com Portugal a assumir a presidência da União Europeia. Manuel era um homem do povo. E o povo, inocente e crédulo pensava que com esse facto a vida ia melhorar em Portugal. Tirando o facto de Portugal ter aderido nessa época ao Sistema Monetário Europeu, nada aconteceu de novo. E mesmo disso, o povo só soube a notícia, já que ainda iriam passar uns anos até que a diferença aparecesse nas suas carteiras.
Nesse mesmo ano, o Creoula sofreu mais algumas alterações na zona do meio do navio. Aproveitou-se uma das cobertas de 9 instruendos, para se criar um espaço que funciona como biblioteca e sala de aulas. Quando mais tarde ele teve aberto à visita da população, aproveitando um dia em que a mulher estava estava acompanhada pela empregada, Manuel foi ver o navio e claro veio espantado. Como estava diferente do navio que ele conheceu, e onde tanta vez fez pequenos trabalhos de reparação.
Desde que a mulher adoecera, e já ia fazer 8 anos, Manuel nunca mais saíra de casa, a não ser no dia em que a empregada lá estava. Nesses dias, se o filho tinha de se deslocar a algum lado, vinha buscar o pai e ele ia todo contente, por espairecer um pouco. Mas nunca mais fora à sua terra, ou às Termas em S. Pedro do Sul. Nesse Verão, o filho limpou os pavilhões do aviário e resolveu parar um mês, porque segundo ele, de vez em quando devia-se dar descanso aos mesmos, e ele há anos que não parava.  Como tinha uma carrinha, decidiu que ia levar os pais ao norte. Pediu à irmã, que estava de férias de os acompanhava, pois a mãe ia precisar da sua ajuda para a higiene, já que para onde iam não teria as condições que tinha em casa para se bastar sozinha. Porém, a caminho de Vila Franca, numa descida havia óleo derramado na estrada, o carro derrapou e apesar de todos os esforços do condutor,
o carro acabou por dar uma leve batida. Ninguém na carrinha sofreu nada a não ser a Gravelina, cujo corpo semi-paralisado escorregou, fazendo com que a perna esquerda, sem força, batesse no banco da frente, e partisse a perna. 
Chamada a ambulância trouxe-a para o hospital do Barreiro, acompanhada pela filha, enquanto o resto da família voltava para trás.
Dada a história de AVC da Gravelina, ela ficou no hospital todo o tempo de recuperação.
E em Outubro desse ano, chega a Portugal a TV privada, com a SiC de Francisco Balsemão, tendo como director de programas Emídio Rangel. 
Um mês depois, com poucos dias de Intervalo, Xanana Gusmão é preso em Dili, e a nossa moeda é desvalorizada 
em 5%.




À margem: 
Peço aos amigos, que me visitam, que se puderem (e quiserem claro) passem por AQUI. Muito Obrigada





28.6.16

PARABÉNS A VOCÊ...

Santo António já se acabou, o S. João também já lá vai. E o S. Pedro está-se a acabar. Mas para mim, hoje é dia de festa. O filhote faz 36 anos.  Na semana passada, a netinha, veio dizer como ela queria o bolo para o pai. Um pouco trabalhoso, na prática são dois bolos, de formato diferente. E aí eu disse-lhe; "vamos ver se a avó é capaz" 
Aí, esta manhã, mal se levantou, telefonou-me.  
-Avó, conseguiste fazer o bolo?
-Consegui  
-Eu sabia avó. Consegues sempre. És a maior.
Já lá vão umas horinhas e ainda estou a limpar a baba. Rsrsrs

27.6.16

MANEL DA LENHA - PARTE XCIV



Os  anos seguintes não trouxeram nada de especial à vida do Manuel. A filha empregou-se numa fábrica de cerâmica, a mulher viu ser-lhe cortado o acesso aos tratamentos de reabilitação, pois por uma lei da ministra da saúde, Leonor Beleza, só teriam direito a tratamentos de fisioterapia pelo SNS, os doentes com esperanças de reabilitação total, e segundo o médico, a Gravelina, dificilmente melhoraria mais do que aquilo que tinha melhorado até à data. Daí que ela, movimentava todos os dias, a perna e o braço, nos aparelhos que o marido improvisara, e o resto dos dias passava sentada no sofá em frente da TV.  Como a parte cerebral não tinha sido afectada, dirigia a casa, dizendo ao marido, o que fazer para o almoço e jantar, o que era preciso comprar para casa etc. E assim se passou o último ano da década de 80, que Manuel guardaria na memória, como o ano em que Portugal foi campeão mundial de júniores em futebol, em  Riade em Março.  A  manifestação sindical da Polícia no Terreiro do Paço, em Abril, o Massacre de Tianan
men a 4 de Junho, a queda do avião na  Jamba, com o filho de Mário Soares, em Setembro, a queda do muro de Berlim em Novembro, e a vitória de Jorge Sampaio em Lisboa em Dezembro, foram factos que ele lembraria mais tarde. No ano que se seguiu a vida continuou a sua rotina, e desse ano, o Manuel lembraria, a libertação de Nelson Mandela em Fevereiro, o campeonato de futebol que o "seu" Porto ganhou, e a eleição de Lech Walesa a Presidente da Polónia em Dezembro. Manuel era um homem que gostava muito de ler. Comprava todos os dias o jornal que lia praticamente de ponta a ponta. Por esses dias, eles falavam do passado de trabalhador de Lech Walesa e Manuel admirava-o muito.
O ano de 1991, começa com a campanha eleitoral para as eleições presidenciais, que reelegem Mário Soares. Na casa do Manuel, tudo está na mesma. A mulher levanta-se, faz a sua higiene, toma o pequeno almoço, que ele lhe preparou entretanto, faz os exercícios e vai para a sala assistir pela TV à sua missa.  A doença exacerbou a sua religiosidade. Assim assiste à missa aos domingos e grava essa missa que depois vê durante toda a semana. Enquanto isso, o Manel vai à praça, quando é preciso, e prepara o almoço para os dois. Depois do almoço, ambos se deitam um bocado, depois a Gravelina, faz mais uma hora de exercício, lancha e entretém-se com as telenovelas do dia anterior, (que deixara  a gravar, pois se deita muito cedo), até ao jantar. O Manuel lê o jornal, prepara o jantar, e vê um pouco de TV no quarto. E assim a vida do casal entrou numa rotina diária, que só é quebrada nos dias em que a mulher vem fazer as limpezas, ou quando os filhos os visitam. 

26.6.16

A LINHA QUE DEUS FEZ



Os amigos que me acompanham desde há anos sabem que o Sexta "é o meu blog" o que quer dizer que  não faço publicações de outras pessoas Excepção feita quando homenageio algum grande escritor/a, que sempre publico algo dele/a. Para além disso, apenas abri duas excepções para dois comentários que me foram deixados e que realmente mereciam destaque. Esta explicação, serve para introduzir este vídeo, que não se enquadra em nenhum dos dois itens anteriores, mas que entendi dar-vos a conhecer. 
Há dias encontrei num blog de um amigo, uma melodia de rara beleza. Aqua Luminae. E uma chamada de atenção para o autor C. N. Gil, que além de músico, tem uma excelente voz como podem ouvir através deste vídeo, é escritor, e dono do blogue  OQMDNT
Fui até ao You Tube e ouvi várias das suas músicas. E sinceramente pensei que seria egoísta se não partilhasse convosco. Assim se gostarem como eu  (e penso que vão gostar)  e quiserem mais, é só seguirem os links.
Para todos um bom Domingo