12.11.13

AGUARELA


Um barco apita ao longe...
Um galo canta...
Amanhece...
Ouvem-se os primeiros sons,
alguém que se levanta.
O dia começa...
Apressados os mais velhos seguem
preocupados para o trabalho.
Ás creches chegam os risos das crianças...
Trocam carícias os namorados...
um autocarro passa rápido...
Num banco de jardim, um velho, engole a solidão..
Ergue-se altiva a papoila,
humilde a roxa violeta...
Sai e entra gente nos mercados...
Apressada a dona de casa, descasca as batatas.
Chora o bebé na camita...
Brinca o menino na areia,
perante o olhar atento, do velho avô...
Desliza um barquito de à vela,
a lembrar aqueles de papel,
que fazíamos em criança.
Duma chaminé sai fumo...
Um cão ladra...
Um barco apita ao longe...

Elvira Carvalho

26 comentários:

✿ chica disse...

E com todo esse cenário lindo, nós nos encantamos aqui! LINDO! beijos,chica

Isamar disse...

O quotidiano de todos nós muito bem descrito por ti. Beijinho

Bell disse...

oi Elvira

Com toda a correria da vida, esquecemos destas pequenas coisas.


bjokas =)

Lúcia Bezerra de Paiva disse...

O cotidiano pintado em bela aquarela: um dia poético! Muito bom, Elvira!
Um abraço,
da Lúcia

António Querido disse...

OLÁ Elvira!
Saí da Figueira na sexta e atraquei no rio Coina na quarta, já li, gostei muito! É o cotidiano português muito bom,
aqui fica o meu obrigado pelas suas visitas e como sempre o meu abraço.

Paulo Cesar PC disse...

Olá Elvira, um beijo no seu coração. É as palavras expressando através da escrita o que sentimos.

Pérola disse...

A vida a expressar-se em todas as suas vertentes...

Beijinhos e obrigado pela poesia.

Vitor Chuva disse...

Olá, Elvira!

Bonita e inspirada descrição dum dia de vida, na vida de tanta gente.

Está um lindo poema; gostei muito!

Um abraço e bom fim de semana.
Vitor

Duarte disse...

Estou-me a habituar a esta narrativa tão tua, que quando entras na descrição bordas a cena: pintas uma aguarela... Bela!!!
Abrazos de vida

lidacoelho disse...

A corrida dos dias que não deixa tempo para viver na paz e no amor dos nossos e no nosso tempo.
Parece que todos estamos com pressa do fim do dia, do repouso,do dia seguinte e do fim do mês...
E todos os dias empresa mais do mesmo que nos cega e nos empurra por hábito ou talvez cegueira...

Silenciosamente ouvindo... disse...

E assim se cumpre a rotina da
vida.
Desejo que esteja a passar um
bom domingo.
Bj.
Irene Alves

lis disse...

Oi Elvira
Uma aquarela que vai se formando de acordo com as circunstâncias _ vamos salpicando águas coloridas sobre o papel em branco.
Linda poesia Elvira ,
transitas entre a prosa e o verso , esplendidamente.
deixo abraços

ᄊム尺goん disse...

Através de blogues amigos, vim
conhecer o teu e achei linda
a tua poesia.

Boa segunda, Poetisa!

abç

Karine disse...

oi Elvira, vim retribuir a sua visita.
A Aquarela é o nosso dia a dia que passa despercebido.
bjk

edumanes disse...

No mar, o barco apitava
Cantava o galo no poleiro
Assim o novo dia começava
Olhava para o relógio o manageiro.

Começava a folia
No campo a na cidade
Quando havia menos alegria
Também não havia liberdade!

Formidável amiga Elvira, você pôs toda a gente a bulir!

Boa segunda-feira,
um abraço.
Eduardo.

JAIRCLOPES disse...

Limerique

Um barco muito ao longe apita
Seus horários ele mesmo dita
Caleidoscópio na terra
Que muitas cores encerra
Que a poeta congela na escrita.

Nilson Barcelli disse...

Pintaste uma belíssima aguarela com as tuas palavras.
Gostei do teu poema, magnífico.
Elvira, tem uma boa semana.
Um beijo, minha querida amiga.

Dorli disse...

Oi Elvira.
Você é uma verdadeira poetisa
Adorei toda a poesia, ela me fez lembrar de uns bons anos que ficaram na memória.
Parabéns
Beijos
Lua Singular

LUZ disse...

Olá, estimada Elvira!

Uma aguarela muito bem pintada, porque reflete o mundo que a rodeia, que observa, que vê e que a inspira a fazer um poema.

Dias felizes.

Beijos, com amizade.

LUZ disse...

Elvira,

Sei que visitou o "Afetos e Cumplicidades", mas, mais uma vez, a atualização não apareceu, aqui.

Não sei o que se passa, nem como resolver a situação.

Beijos.

Lilá(s) disse...

Assim é o quotidiano da maioria de nós!
Bjs

AC disse...

Uma aguarela da vida em tons suaves, apaziguadores...
Uma eficaz paleta, Elvira!

Beijo :)

Luma Rosa disse...

Oi, Elvira!!
É a vida que segue o seu rítmo, independente se o dia está cinza ou se está cor-de-rosa :D
Boa semana!!
Beijus,

aflores disse...

Rotinas de uma vida, em tons de aguarela pintada.

Gostei, gostei muito!


Tudo de bom.

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

E com uma bela e simples poesia aqui retratas um dia comum da vida de cada um de nós. Um dia feliz, pois não se encontram aqui atropelos Aparece nessa aquarela algo de raro nos dias de hoje e que me encanta: o menino que brinca sob os olhares atentos do avô. Beleza quase totalmente apagada nas telas da vida de hoje. Foi trocadas pela tisteza de idosos abandonados na sua solidão, em bancos de jardim, nas suas próprias casas ou em lares. Mas...quem disse que nas aquarelas só aparecm as cores alegres e garridas? Não...todas as cores fazem parte do nosso quotidiano. Beijinhos, Elvira e parabéns! Gostei muito.
Emília

Joaninha Musical disse...

Super lindo que ficou o teu poema querida Elvira,gostei bastante de ler. Beijinhos fofinhos!!