22.11.17

ARMADILHAS DO DESTINO - PARTE XXV





Levantou-se e foi até á janela. Por momentos o silêncio pesou sobre eles. Depois Luísa levantou-se e foi até ele. Pôs-lhe a mão no ombro.
- Olha para mim, Nuno. Olha-me bem nos olhos e diz-me o que vês? É por acaso compaixão? Eu olho para ti e vejo o homem maravilhoso que sempre foste. Um homem bom, um idealista que pôs toda a sua vida ao serviço dos outros, salvando dezenas ou centenas de vidas. Um excelente médico que ainda há pouco tempo salvou a vida dos meus alunos. Um homem que apesar de tudo ainda me olha com amor. Isto é o que vejo, e será o que qualquer pessoa verá. A prótese? É mais um testemunho da excelente pessoa que és.
-É fácil falar assim. Estás a ver-me vestido, e graças a Deus que me adaptei bem, nem sequer claudico, ninguém imagina que não estou inteiro. Mas já me imaginaste na intimidade, quando formos para a cama? Já te imaginaste a fazer amor com um aleijado?
- Parece-me que o aleijão está mais na tua cabeça do que na perna. Imagino que o teu orgulho, não te deixou ter acompanhamento psicológico. Desde quando um homem é, ou deixa de ser inteiro, por uma perna ou um braço amputado? Se tivesses uma doença mental, que não fosses capaz de reconhecer o bem do mal, que fosses incapaz de sentir qualquer sentimento, aí sim, dir-se-ia que não estavas inteiro. Tens medo de ir para a cama comigo? Acaso pensas que eu também não tenho medo? Que eu não penso se tudo o que passei não me tornou numa mulher frígida? Disseste há pouco que o amor que nos uniu, ainda está latente entre nós. Eu sei que sempre te amei, embora tivesse perdido as esperanças de algum dia voltar a encontrar-te. Mas a vida se encarregou de nos conduzir a esta encruzilhada, e só vejo dois caminhos a seguir. Ou  damos uma hipótese, ao amor que ainda nos une, fazendo renascer os sonhos que tivemos em comum, de sermos felizes, ou nos recolhemos cada um à sua toca e levamos o resto da vida a lamber as próprias feridas.  
Calou-se. Ficaram assim frente a frente, fitando-se, olho no olho, durante largos minutos.
- Tens coragem para arriscar? – Perguntou ele com voz rouca
- Pensas que te abriria o coração desta maneira se assim não fosse? Mas não se trata apenas de mim. Nem tu, nem eu sabemos como vou reagir na intimidade. Tu também tens muito a arriscar.  Agora é melhor que te vás. Pensa em tudo o que falámos, aqui, esta noite. Esquece os teus complexos. Interroga o teu coração e a tua mente, e vê se tens coragem para arriscar a única hipótese que ainda temos de ser felizes. E quando tiveres a certeza do que queres, sabes que estou sempre aqui.
Ele não respondeu. Encaminhou-se para a porta. Aí chegado, rodeou-lhe a cintura com um braço e puxou-a para si. Lentamente baixou a cabeça, e aprisionou a boca feminina, num beijo  que ele desejava fosse uma terna despedida, mas que se tornou intenso e apaixonado ao encontrar correspondência.
Subitamente largou-a, e saiu batendo a porta.




21 comentários:

Isa Sá disse...

A passar por cá para acompanhar a história!


Isabel Sá
Brilhos da Moda

✿ chica disse...

Puxa, fugiu do beijo?

Pena! me faz pensar e continuar torcendo! bjs, chica

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

A história está a ficar interessante.
Continuação de uma boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
O prazer dos livros

António Querido disse...

Mas que lindo, que ternurenta história tão cheia de amor! Mas que ao mesmo tempo está a assustar os dois, eu digo: Vale sempre a pena arriscar!

O meu abraço.

Larissa Santos disse...

Bom dia Elvira. O Preconceito que ele tem. Beijaram-se intensamente, é um principio.Tenho a certeza que tudo irá acabar como desejam apesar dele ter saído "disparado" kkkkkkkk Adorei.. Venha mais.

Hoje: "" O coração não mente, mas sente""

Bjos
Feliz Quarta-Feira

noname disse...

A coisa dá-se. Não acredito que a Elvira, não faça render o peixe, mas a coisa, dá-se :-))

Bom dia

Lucia Silva disse...

Adorei esse capítulo! O diálogo é a chave para tudo dá certo, para acabar com os temores, o preconceito, enfim, tudo. Ele, a gente percebe, está fugindo do renascer desse amor.
Beijos carinhosos!

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

Hum!
Ele está certo,não era o momento de estreitar a intimidade.
Ambos tem muito a refletir, mas claro que ficarão juntos e felizes para sempre.
Bjs.

Anete disse...

Caramba, tantas atrocidades na vida dos dois! As conversas estão desvendando assuntos escondidos e trazendo novas chances...
Difícil recomeço, mas há esperanças para um grande amor... Passo a passo reconstruirão uma outra história... A vida com as suas contradições!
Suspense e romance bem construídos... Bj

Roaquim Rosa disse...

boas
esta historia tem mesmo muitas situações que nos dá que pensar. A vida é sem sombra de duvidas uma caixinha de surpresas.
JAFR

Janita disse...

Estive a ler os últimos capítulos desde o início do jantar.
Mesmo sabendo que tudo isto é ficção, as lágrimas correm-me pelas faces, coloco-me, sempre, no lugar das personagens que leio...sofro e rio...Quem sabe me sinta tocada pelo mesmo infortúnio, embora muito diferente?
A felicidade é sempre maior e mais apreciada, depois de se ter sofrido...
O destino tem as suas armadilhas!..Tomara que o sofrimento destes dois, fique por aqui!!!

Um abraço.

lis disse...

Está perto de acontecer o romance Elvira
Mais uns encontro e vao arriscar rs
Muiito bom,amiga
Gostando imensamente.
Um abraço grande

Cantinho da Gaiata disse...

Hahaha, deu um beijo e fugiu, faz-me lembrar alguém quando apanhou o primeiro beijo...hahahaha!
Bom estamos no bom caminho da história, tudo vai terminar como eu gosto nada de turbulência, não é amiga Elvira ?
Beijinho grande.

Gaja Maria disse...

O amor deles é enorme, vão conseguir entender-se :)

A Casa Madeira disse...

Está esperando o momento certo, k.
Boa continuação de semana.

AC disse...

A Elvira, por mais que escreva, apresenta sempre um incrível leque de argumentos para dar credibilidade à história.
Muito bem!

Abraço :)

Edumanes disse...

Hoje saiu, amanhã volta a entrar.
está mais do que visto,
que os trapinhos irão juntar
é nisso, mesmo, que eu acredito!

Tenha uma boa noite amiga Elvira.

Tintinaine disse...

Andei todo o dia na boa-vai-ela, mas ainda cheguei a tempo de ver o desastre de jogo que o Benfica fez, em Moscovo, e deixar aqui o meu comentário. Falta apenas um passo para os pombinhos se meterem debaixo dos lençóis e depois tudo ficará consertado.

Os olhares da Gracinha! disse...

É um QUERER ... e não QUERER!!!
mas vai superar esse não QUERER!!!
bj

Manu disse...

Gostei de ler estes momentos de indecisão e ao mesmo tempo deste diálogo tão lúcido e emocionante.
E pergunto-me: Será que os dois vão resolver os traumas e partir para uma relação que tem tudo para dar certo?

Abraço

Rosemildo Sales Furtado disse...

O beijo foi como uma pequena dose para abrir o apetite, depois eles retornam com mais fome. Rsrs.

Abraços,

Furtado