23.7.17

SINFONIA DA MEMÓRIA - PARTE XIII




Jantaram na cozinha. Helena, ia pôr a mesa na sala, mas Fernando pediu para o fazerem ali, e ela acedeu. Afinal tinha-lhe dito que sempre o fazia com o filho, insistir em comer na sala, seria tratá-lo como uma visita, e ela queria que ele se sentisse o mais possível integrado na família. Pensava que isso poderia contribuir, para que a memória voltasse. O menino comeu apenas duas ou três colheres de sopa, dizendo que estava muito cheio, e a mãe não insistiu, não sabia o que ele tinha comido na festa, e não queria que ele ficasse mal disposto. Então saiu da mesa, foi buscar um carrinho e sentou-se no chão a brincar. Eles comeram em silêncio, cada um imerso nos seus pensamentos. Terminada a refeição, e enquanto ela fazia os cafés ele levantou a loiça da mesa, passou os pratos por água e meteu-os na máquina. coisa que fez com grande à-vontade, o que levou Helena a pensar que devia estar habituado a fazê-lo. “Provavelmente, é casado, está habituado a partilhar as tarefas com a esposa, ou pelo menos com a namorada” pensou e sem saber porquê sentiu que o coração se entristecera com aquele pensamento. Por outro lado, se ele fosse casado, a esposa não participaria o desaparecimento dele? Se ele fosse seu marido ela revolveria céus e terras para o encontrar. Sentiu que corava, com aqueles pensamentos. Debruçou-se para levantar o filho do chão.
- Vamos filho, são horas de ir para a cama.
- O “tio” Fernando podia ler-me a história hoje? – Perguntou a criança.
- Se a tua mãe deixar.
- Deixas, não deixas, mamã?
- Está bem. Mas primeiro temos que ir lavar os dentes.
O menino seguiu para a casa de banho com os dois adultos atrás.
Pouco depois, já deitado, a mãe aconchegou-lhe a roupa. Fernando abriu o livro que estava em cima da mesa-de-cabeceira e começou a ler a história de Pedro e o Lobo. Não tardou que a criança adormecesse, e depois de um beijo de boas noites, saíram fechando a porta e dirigiram-se para a sala.
- Estou espantada com o Diogo. Regra geral é tímido com os desconhecidos. A própria educadora, se queixa disso. E contigo, foi como se te conhecesse desde sempre.
-Fico contente que tenha gostado de mim. Talvez sinta a falta de uma figura paterna. O pai não vem vê-lo?
- Não.
- Morreu? Desculpa, não tens que responder, se isso te aborrece.
- Não. Eu era muito inexperiente, quando conheci o pai dele. Deslumbrada, apaixonei-me loucamente,  mas para ele era apenas mais uma aventura. Já tínhamos acabado quando soube que estava grávida, e entendi que um filho não mudaria nada dos seus sentimentos por mim, nem acabaria com a minha desilusão. Não lhe contei Tinha a certeza de que se o fizesse, ele quereria que eu abortasse.  Bom, estou cansada. Vou-me deitar. Boa noite.
- Boa noite, doutora! Dorme bem!



11 comentários:

Tintinaine disse...

Ora muito bom dia! Já vi que são todos mais dorminhocos que eu!
O romance está a nascer entre os dois e não há ninguém que o impeça.
Bom domingo de verão (sem vento, se possível).

Isa Sá disse...

a passar por cá para acompanhar a história e desejar um bom domingo!

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Roaquim Rosa disse...

Bom dia
para não variar continua tudo em suspense embora comece realmente a acontecer algo entre eles. haver vamos.
continuação de um bom fim de semana.
JAFR

✿ chica disse...

A coisa entre eles está desenvolvendo..Gostando! bjs, chica

Edumanes disse...

Vai ou não haver romance,
é isso que eu quero saber
de que antes não me canse
para todos os capítulos ler!

Tenha amiga Elvira, um bom dia de domingo com essas suas requintadas férias. Um abraço,
Eduardo.

Gaja Maria disse...

Curiosa com o desenrolar da história. O que irá isto dar?

AC disse...

A Elvira tem uma imaginação inesgotável, recheando sempre cada cena com pormenores credíveis.
Cá fico à espera do que se segue.

Abraço

Cantinho da Gaiata disse...

Bom, vamos com calma que isto vai aos poucos.
Bjs

Os olhares da Gracinha! disse...

A pouco e pouco vou percebendo a história!
Bj

redonda disse...

Parece que ele fica mesmo bem na família dela...

Rosemildo Sales Furtado disse...

A porta do quarto fica trancada ou na base do sejas bem-vindo. Rsrs. A coisa tá esquentando.

Abraços,

Furtado