18.7.17

SINFONIA DA MEMÓRIA - PARTE VIII



Aquela semana, foi muito complicada para Helena. Desde logo porque não conseguia afastar da cabeça, o homem que socorrera, e que fisicamente melhorava de dia para dia, estando prestes a ter alta. Helena já tinha conversado com Sandra, a colega que chefiava a equipa de médicos que o tinha a seu cargo, e sabia que no final da semana lhe iam dar alta. Faltava uma semana para o Natal e por essa época todos os doentes que estejam em fase de recuperação, têm alta a fim de passarem a quadra com a família. É todos os anos assim. A equipa médica até tinha feito uma “vaquinha” para lhe comprarem alguma roupa, uma vez que aquela com que tinha entrado no hospital, estava imprestável e tinha sido incinerada. Também sabia que a polícia não descobrira nada sobre ele, que continuava com amnésia. Não conseguia deixar de pensar nele, o seu rosto povoava-lhe os sonhos. Tentava encontrar desculpa para o seu interesse nos sentimentos humanitários, que no fundo, talvez não  tivesse, se o paciente fosse outro, fosse mais velho, ou menos atraente. A verdade, é que tinha quase trinta e dois anos, estava no máximo da sua plenitude sexual e excetuando o caso breve com o pai do filho, não tinha tido outro relacionamento com homem algum. E o que estava a acontecer, é que se estava a apaixonar por aquele desconhecido misterioso..
Sabia que a polícia estava a tentar arranjar um sítio onde o acolher até ver se conseguiam descobrir a sua identidade, mas pretendia levá-lo para sua casa, pelo menos naquela quadra. Tinha dez dias de férias para desfrutar, a partir da próxima semana, esperava passá-los na aldeia com os pais, e podia perfeitamente levá-lo como se fosse um amigo. Pelo menos passaria o Natal em ambiente familiar, e depois se veria. Talvez até, quem sabe, ele recuperasse a memória, nesse espaço de tempo. De modo que estava resolvida a falar com a polícia e ficar responsável por ele. Não era uma decisão muito sensata, podia até ser perigosa, pensava.  É que ele tanto podia ser um cavalheiro como um psicopata, mas ela confiava nos seus instintos e eles diziam-lhe que não se tratava de um facínora. E demais se o fosse, a polícia não o teria já identificado? 
Preparou o quarto de hóspedes, já que ele teria alta no sábado e ela só seguia para a aldeia na segunda-feira, e depois conversou com o filho, para que o menino,  não estranhasse a situação. E assim naquela tarde de sábado, dirigiu-se ao hospital, a fim de o ver e convidá-lo a acompanhá-la.



Aviso aos leitores. 

Sexta-Feira vou de Férias.  Adiantarei um pouco esta história, hoje e amanhã, porque em Lagos não tenho internet, a não ser no Smartphone. A história ficará programada para sair um capitulo por dia .  Quando esta acabar, entrará automaticamente  "Dívida de jogo" da mesma maneira. Provavelmente só volto em Setembro. Entretanto sempre que der, tentarei visitar-vos.  




17 comentários:

AvoGi disse...

Atão? Agora que cheguei.
Já pus as leituras em dia desde a Rosa à Helena
Kis:=}
Boas férias

✿ chica disse...

Uma atitude arriscada levá-lo pra sua casa,ainda mais com o filho que terá que com ele conviver, mas ela deve saber o que faz e está seguindo seu coração! Vamos vendo! bjs praianos, chica

redonda disse...

Não será arriscado? Espero que não e é estranho também estar a começar a gostar de alguém que não sabe quem é...

um beijinho e boas férias


Gábi

Roaquim Rosa disse...

Bom dia
continuamos com a ansiedade de sempre para saber o que nos vai surpreender no próximo capitulo.
talvez seja o filho dela que lhe irá ajudar na sua recuperação .
JAFR

Tintinaine disse...

Então BOAS FÉRIAS!
Um dia há-de contar-me como se faz essa coisa de programar as publicações, pois nunca li nada sobre isso no Blogger.

Edumanes disse...

Sim senhora, Assim, sim! Uma doutora à maneira. Estará ela apaixonada pelo paciente que salvou da morte na estrada?

Tenha um bom dia amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

PS: Boas férias , mais de um mês em Lagos. Bons mergulhos se é que gosta de os dar na água salgada?

rendadebilros disse...

AH, que irá acontecer? Expectativa grande! ( Bem haja pela preocupação. Está tudo bem por aqui. Os Bombeiros que ainda estavam no quartel, visto que tantos tinham saído para essas aldeias vizinhas em perigo, acorreram rapidamente, porque é um perímetro ainda em zona urbana e há casas logo ali. Já há sete anos aconteceu o mesmo mas tomou maiores proporções, vieram os "canarinhos" de helicóptero. A população também reage rapidamente.) Boas férias. Bom descanso e bons passeios. Beijinhos.

maria disse...

A Helena é mesmo uma mulher determinada!

Gaja Maria disse...

Que sejam uma ótimas férias Elvira.
Beijinhos

Prof. Ms. João Paulo de Oliveira disse...

Prezada confrade Elvira.
Não me canso de enaltecer tua verve maravilhosa.
Tu fisgas o leitor de tal forma, com a trama bem urdida, deixando-o sôfrego a espera do próximo capítulo.
A Helena ainda não se deu conta que está perdidamente apaixonada pelo desmemoriado.
Suponho que seus entes queridos ficarão alarmados ao descobrirem que Helena
acolheu - na sua morada - um desconhecido desmemoriado.
Será que o desconhecido desmemoriado é dono de um antiquário localizado na capital do reino distante além-mar?
Caloroso abraço. Saudações inquiridoras.
Até breve...
João Paulo de Oliveira
Um ser vivente em busca do conhecimento e do bem viver, sem véus,sem ranços, com muita imaginação, autenticidade e gozo.

Prof. Ms. João Paulo de Oliveira disse...

PS - Desejo que tenhas ótimas férias.

Taty disse...

Aproveita bastante essas férias! Descanse!
Aguardando os próximos!
Bjus
Taty
Na Casa dos Abrantes
Canal

Smareis disse...

Helenas são forte e guerreiras.
Adorando a história.
Boas ferias!
Beijos!

Cantinho da Gaiata disse...

Apesar do amor que ela já sente, acho um pouco arriscado levar para casa um homem que nunca o viu e nem sabe nada sobre ele.
Boas férias.
Bjs

Odete Ferreira disse...

O desconhecido atiça a curiosidade e, nesse estado, não se consegue ser racional. O romance começa agora.
Bjinho, Elvira.
Também estou de férias mas vou dando uma espreitadela pelo tm. Bom descanso 😊

Rosemildo Sales Furtado disse...

Serão os ditames do coração? Espero que ela não venha a se arrepender no futuro pela decisão que está tomando. Aguardemos os acontecimentos.

Abraços,

Furtado

Berço do Mundo disse...

Que organizada, Elvira. Deixa o trabalho de casa feito. Boas férias