19.5.17

OS CAMINHOS DO DESTINO - PARTE XXX


A mulher continuava em coma. Já tinham passado dez dias e os médicos continuavam com prognóstico reservado. Era como se a mulher, não sentisse vontade de viver, e o seu subconsciente, não soubesse se devia partir ou ficar. 
O homem sentiu que alguma coisa se fragmentava no seu peito, com a ideia de que ela se deixasse ir. Sentiu que se tal acontecesse, o remorso ia persegui-lo toda a vida. E então fez aquilo que o seu coração lhe ordenava. Pegou-lhe na mão e suplicou:
- Volta! Não te deixes ir. Por favor, preciso que voltes!
Assustado consigo mesmo e com o que sentia, saiu dali jurando não voltar. Não entendia o que se passava com ele, não achava normal, aquela obsessão por uma mulher, que não lhe saía da cabeça, ao ponto de relegar a memória da falecida esposa. Tentou concentrar-se na sua vida e no sofrimento da sua filha, mas uma semana depois não resistiu a telefonar para o hospital e sentiu uma estranha alegria, quando lhe disseram que aquela jovem tinha saído do coma e que estava a recuperar. 
Convencido que o seu desejo de saber que estava bem, era apenas a vontade de libertar o remorso, pelo seu desejo inicial de vingança, pôs um ponto final naquela estória e dedicou-se de corpo e alma ao trabalho e à filha, que teve de tirar do infantário, pois com a morte da mãe, ela regredira imenso, tinha começado com pesadelos, voltara a fazer xixi na cama, fazia grandes birras e no infantário tornou-se agressiva com os coleguinhas. Com a ajuda da avó a criança ficou um pouco mais calma, mas os pesadelos persistiam.
O homem, quase tinha conseguido esquecer a imagem daquela mulher, quando uma das suas empregadas se despediu e ele pediu ao centro de emprego, candidatas para a substituição. E adivinha quem era, a primeira candidata a aparecer para a vaga.  Ele ficou impressionado. Como era possível, que entre centenas de mulheres inscritas no Centro de Emprego, logo lhe tinham mandado aquela?
Seria obra do destino? Ele não sabia. Mas vê-la ali, na sua frente, despoletou nele um imenso desejo de a conhecer melhor. Saber que tipo de pessoa era na realidade.  A avó da menina, esperava outros netos e tinha de se ausentar em breve. Ofereceu-lhe o lugar de ama da sua filha. Um mês decorrido a menina, deixara de ter pesadelos, e estava de novo feliz. E ele descobriu que ela era uma mulher maravilhosa e apaixonou-se por ela.
As lágrimas rolavam silenciosas pela face de Beatriz. A vida tem estórias que o mais louco dos romancistas não se atreveria a escrever.
Ele abraçou-a com carinho. Com os lábios secou as suas lágrimas, como se ela fosse uma criança.
- Pára de fugir e de te sentires culpada! Primeiro, porque não eras tu quem conduzia o carro naquele dia fatídico, segundo, porque perdeste infinitamente mais do que eu. Os caminhos do destino são sem dúvida misteriosos e eu acredito que os nossos tinham que se encontrar, para seguirem juntos daqui para a frente.


14 comentários:

maria disse...

Pois é... o destino foi mesmo incrível com César e Beatriz,primeiro "maltratou"mas depois "cuidou"... espero que tudo lhes corra bem e que vivam uma linda história de amor... que bom seria se na vida real, ele desse sempre um empurrãozinho e ajudasse a curar as dores e a solucionar as situações dramáticas que provoca (como foi o caso) parabéns amiga, mais uma vez, gostei muito!!!

Cantinho da Gaiata disse...

Maravilha, umas linhas a mais do habitual, obrigada!
Estou a gostar cada vez mais.
Agora há posso ir dormir....eheh.
Bj e bom fim de semana

✿ chica disse...

Que coisa como o destino traça linhas para as vidas@!Adorei! Coisas que parecem inacreditáveis, mas acontecem! Muito bom! bjs, chica

Edumanes disse...

A vingança que gerou o amor,
não adianta dizer não ao destino
há perfume nas pétalas duma flor
no amor há felicidade e carinho!

Tenha uma boa noite e um maravilhoso fim de semana amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Majo Dutra disse...

Acho que ninguém resiste ao encanto deste conto.
Eu gostei e muito.
Ótimo fim de semana.
Abraço
~~~

Tintinaine disse...

E acabou? Ou amanhã há mais?
Não posso imaginar qual seria o próximo episódio, mas deixo isso ao critério da escritora.
Bom fim de semana!

Roaquim Rosa disse...

Bom dia
Bem eu confesso que á muito tempo não lia uma historia assim que me fizessem surgir lagrimas nos olhos.
e não digo mais nada
JAFR

Olinda Melo disse...


Olá, Elvira

Tive de ir aos posts anteriores buscar o fio à meada.
Como sempre os seus contos trazem-nos histórias de
vida, situações que estão sempre a acontecer.

Desejo que a vida traga a estes dois tudo o que
anseiam, espelhando a vida real.

Bj

Olinda

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

Que maravilha querida Elvira!
Que desfecho fantástico você está a fazer, estou adorando amiga!
Bom final de semana e grata por sua doce visita, beijinhos.

Socorro Melo disse...

Bom dia, Elvira!

Ótimo desenrolar da história. Realmente, os romancistas são capazes de contar coisas incríveis, porém, a vida, sempre consegue surpreendê-los. Parabéns!

AC disse...

A Elvira e a sua inesgotável inspiração, fruto, porventura, duma vida bem vivida.
Parabéns, Elvira!

aluap Al disse...

Para completar:

"diga logo de uma vez
o que você quer de mim
não me torture mais
não me faça mais sofrer..."

Cantava há décadas Roberto Carlos.

Bom fim de semana Elvira.

Isa Sá disse...

A passar por cá para acompanhar a história e desejar um bom fim de semana!

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Continua bem interessante.
Um abraço e boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
Livros-Autografados