18.5.17

OS CAMINHOS DO DESTINO - PARTE XXVIII







Sonhava que estava casada com César e estavam de férias os três, num local paradisíaco, onde César a fizera sentir-se mulher, em toda a plenitude da sua paixão. Acordou sobressaltada com a certeza de que estava irremediavelmente apaixonada. 
Tentando esquecer passara a manhã, nas limpezas. Depois tomara banho e almoçara. Arrumara a cozinha, e preparava-se para ir passar a ferro, a roupa da semana, quando a campainha tocou. Perguntou quem era. A resposta deixou-a desconcertada. Olhou para si. Tinha vestido umas calças de ganga justas, e um top azul sem mangas. O cabelo comprido, apanhado no alto da cabeça, e os pés descalços. Adorava andar descalça, e em casa durante o tempo quente, andava sempre assim. Não estava propriamente vestida para receber visitas, mas não podia deixá-los à espera enquanto se arranjava. Abriu a porta e ficou surpresa. Não esperava encontrar César sozinho.
-Olá. Posso entrar?
- E a Matilde?
-Ficou em casa da tia com os primos e a avó. Tenho que ir buscá-la para me deixares entrar?
- Entra – disse desviando-se para ele passar, - pensei que vinham os dois.
- Não me atendeste o telefone ontem. Disse-te que tínhamos de falar, e parece que não me levaste a sério. E como precisamos fazê-lo, prefiro assim, tu e eu sem interrupções.
Não respondeu. Voltou-lhe as costas e entrou na sala. Foi até à janela. Não queria olhar para ele. Tinha a certeza que estaria mais corada que pimentão maduro. Disse:
-Não há o que falar. Tu e eu, não temos nada em comum, a não ser o facto de sermos os dois viúvos, e o amor que temos pela Matilde.
Aproximou-se dela, rodeou-lhe a cintura e fez com que se virasse. Os olhos cinzentos mergulharam nos dela.
-És capaz de repetir isso, olhando-me assim? É claro que não, - disse quando ela desviou o olhar. Sei que te sentes tão atraída por mim, como eu por ti.
- Atração, não é amor. Os desejos do corpo, não são sentimentos. E não se pode pensar numa vida em comum baseado nisso.
- É claro que não. Mas a atração e o desejo, fazem parte do amor que sinto por ti.
-Não acredito, que se esqueça um grande amor, em tão pouco tempo. Berta, disse que amavas muito a tua mulher.
-É verdade. Amava, no passado. Laura está morta e o passado, enterrado com ela. Resta uma terna recordação, que me vai acompanhar toda a vida. E uma filha que muito amo. Tu e eu estamos vivos.
Inclinou-se para a beijar. E estava quase a fazê-lo quando ela colocou a mão espalmada entre os dois e disse quase num sussurro.
- Não pode ser! Eu sou culpada da morte dela!
E sem se poder conter, escondeu o rosto entre as mãos e deu livre curso às lágrimas.
O homem não pareceu surpreendido. Esperou em silêncio que se acalmasse. Depois pegou-lhe na mão e puxou-a para o sofá.



Quero agradecer a todos os amigos que vieram ao Sexta durante a minha ausência. Que acompanharam esta estória embora alguns já  se mostrem cansados, pelo que ver se me lembro de deixar as próximas estórias mais curtas. De qualquer modo a história está quase a acabar, estando prometida para amanhã uma surpresa.
Mais uma vez  Muito obrigada a todos


19 comentários:

Tintinaine disse...

Bom dia!
Parece que os viúvos estão praticamente casados de novo e nós já à espera da próxima. É como o Benfica, ainda agora ganhou o tetra e já só pensa no penta.
Qual será a surpresa para amanhã? Eu gosto de surpresas, desde que não sejam desagradáveis.

Filhos do Desespero disse...

Cansados? Homessa!

A ler cada palavra! :)

Bom dia Elvira :)

Os olhares da Gracinha! disse...

Desejando que eles fiquem juntos! Bj

Os olhares da Gracinha! disse...

Desejando que eles fiquem juntos! Bj

Os olhares da Gracinha! disse...

Desejando que eles fiquem juntos! Bj

Roaquim Rosa disse...

Bom dia
se ler as suas historias cansam , que dizer ao ouvir alguns programas televisivos que estão toda uma manhã a passar a mesma noticia !!!
vamos esperar pela surpresa e que seja agradável e venham mais historias lindas !!!
JAFR

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Continuo a acompanhar com interesse.
Um abraço e boa semana.

Andarilhar
Dedais de Francisco e Idalisa
Livros-Autografados

✿ chica disse...

Imaginava que ele já suspeitasse! Gostando muito,. leio com vontade e interesse sempre! bjs, chica

Rui disse...

Chegou a hora da verdade, ou, pelo menos, do esclarecimento do que cada um sabia do outro e quais as consequências e decisões futuras !
Aguardemos o próximo capítulo ! :)

Abraço, Elvira.

AvoGi disse...

Cansados? Porque dizes isso, oh mulher do demo?


Ontem não consegui entrar aqui no BLogue. Tardava e não abria mas hoje não.
Ah e não vou embarcar nem cruzeirar vou avionar.. à queima das fitas em Lisboa de uma sobrinha do marido e visitar uma sobrinha minha muito querida.
Kis :={

Gaja Maria disse...

Ummmm. Tudo se vai esclarecer entre eles até porque ele sempre soube de tudo não é? Mais uma estória com final feliz? Dessas é que nós gostamos

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

Eu não estou cansada de maneira alguma de ler sua estória, querida Elvira e estou adorando e muito curiosa com sua surpresa, rsrsrs.
Grata por sua visita em meus Blogues e volte sempre que puder, beijinhos e até amanhã.

Duarte disse...

Quando um relato ou romance está bem escrito, tem argumento e cria expectativas nunca cansa, o que faz criar adição.
Estou desejoso de saber como acaba esta excelente narrativa....
Abraços de vida, querida amiga

aluap Al disse...

Boa noite Elvira.
Volto amanhã para ver se o mistério vai ser desvendado ou não.

Um abraço de amizade.

Edumanes disse...

César pegou na mão de Beatriz, e puxou-a para o sofá. O calor está chegando, o corpo de ambos aquecendo. A água começando a ferver, o pão cortado em fatias já está na tigela, é só colocar a água a ferver por cima, temperar com azeite e dente d'alho! Está pronta a açorda, façam o favor de se servirem!...

Tenha uma boa noite amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Cantinho da Gaiata disse...

Cansada? Nunca, isto é o meu comprimido para dormir, adorava era ler muito mais.
Por favor escreve um livro.
Já estou esperando o próximo.
Bj

maria disse...

Que consequências terá a confissão de Beatriz!?

Odete Ferreira disse...

Muito curiosa para saber que rumo a narradora deu às hipóteses que levantei...
Bjinho, Elvira :)

Pedro Coimbra disse...

Afinal não foi uma bomba.
Ele já sabia.
Bfds