28.2.17

LONGA TRAVESSIA - PARTE XXX


 Epilogo

E tinha chegado a noite de Natal.
Agora ali estavam na acolhedora sala dos amigos, depois de partilharem, de uma ceia de Natal plena de alegria e amor.
As crianças brincavam juntas, encantadas com os presentes que o Pai Natal deixara debaixo da árvore, enquanto jantavam
Os adultos conversavam dos mais diversos temas. Rui continha, a vontade de chorar, mas os olhos brilhantes denunciavam a sua emoção. Nunca tivera uma noite de Natal assim. Às noites de sofrimento em criança, sucederam-se as noites de lobo solitário. E  aquelas pessoas aceitaram-no sem reservas e tratavam-no como se tivessem sido amigos, toda a vida. Nunca ninguém tinha sido tão generoso com ele.
A certa altura, André foi junto do pai e perguntou:
- Pai, o Martim pode ficar cá a dormir esta noite?
Os quatro olharam-se perplexos. Rui procurou o olhar de Teresa e o que viu encheu o seu coração de alegria.
- Por mim pode- respondeu Tiago. - Mas não sou eu quem decide, filho. São os pais do Martim quem tem que autorizar.
O garoto voltou-se para Rui.
- Claro que sim, - respondeu ante o olhar suplicante do menino.
Já passava da meia-noite quando os dois se despediram, prometendo voltar no dia seguinte, para o almoço.
Já no carro, Rui perguntou:
- E agora?
- Agora, vamos para a nossa casa.
Emocionado, pôs o carro a trabalhar.
E aquela noite de Natal, foi de facto uma noite mágica.
 Uma noite de reencontro de dois corpos que se conheciam, se desejavam e saboreavam numa entrega total, só possível em duas almas gémeas. Reconheciam-se em cada toque, em cada olhar em cada gemido. E quando assim é, o sexo perde identidade, atravessa a alma e explode numa bênção divina, a que se  chama amor.


………………………………………………………………………………
Casaram numa manhã fria de final de Janeiro. Faz hoje precisamente cinco anos. Agora, a “Tudilar” é a maior empresa do gênero em toda a Península Ibérica. Exporta mais de oitenta por cento da sua produção. Nestes cinco anos, Rui vendeu todos os seus negócios em Inglaterra, e decidiu investir no seu país. Fez sociedade com Tiago, e os dois fizeram parceria com uma conhecida marca de automóveis. E hoje, além da oficina de reparações e de um stand de vendas, têm uma fábrica de componentes para automóveis. É um homem feliz, e de bem com a vida. O filho Martim é já um garoto espigado  na pré adolescência. A filha, Sara, uma linda bonequita de cabelos encaracolados e cara de anjo, que com os seus três anos traz todos enfeitiçados. Naquele momento,  Rui pensava na longa travessia que foi a sua vida, até encontrar enfim, a porta de acesso à felicidade presente, quando Teresa se aproximou pela retaguarda, segurou-lhe o rosto entre as mãos e aproximando a boca do ouvido do marido perguntou:
- Gostas do número cinco?
- Porquê? – Perguntou pensando que se referia ao aniversário de casamento
- Porque dentro de alguns meses seremos cinco, - disse sorrindo.
Voltando-se Rui enlaçou-a e beijou-a apaixonadamente, demonstrando-lhe assim o quanto gostava do número... e dela!



Fim


Elvira Carvalho


29 comentários:

Edumanes disse...

Um fim feliz, de dois apaixonados corações, com sorrisos nos lábios de Teresa, enquanto Rui como os lábios lhe acariciava o pescoço. Enfim, são loucuras do amor louco!

Uma boa tarde de entrudo,
com o que mais deseja
em sua vida tenha de tudo
amiga Elvira,onde quer que esteja!

Um abraço.

esteban lob disse...

Lindo epílogo, Elvira, de una gran historia de amor.

Abrazo austral.

✿ chica disse...

Lindo e cheio de ternura esse final! Adorei ter acompanhado! Vale sempre te ler, capítulo por capítulo! beijos, tudo de bom,chica

Odete Ferreira disse...

Ao longo do conto, fui deixando o meu agrado pela trama e seu desenvolvimento.
Renovo os meus parabéns pelas qualidades de contista que revelas, Elvira.
Gostei dos remates finais.
Bjo, amiga :)

Tintinaine disse...

É o que se chama um fim em beleza. Ao jeito dos contos antigos que acabavam com a frase:
- E viveram felizes para sempre!

aluap Al disse...

Tudo acaba bem quando termina bem!

Venha agora o "casamento por procuração".

Beijinhos.

As Mulheres 4estacoes disse...

Um final feliz após tantos sofrimentos. O amor quando sincero, acolhe, perdoa e transforma.

Rui disse...

Maravilhoso, Elvira !

A minha Amiga tem uma enorme capacidade de "criação" de contos e ainda mais de a expressar por escrito, de uma forma que nos cativa e entusiasma, sempre esperando o capítulo seguinte, mantendo-nos na expectativa !
A Elvira é uma verdadeira escritora de contos !!!
Os meus sinceros parabéns, minha amiga !!!

Um grande abraço ! :)

Cantinho da Gaiata disse...

Belo conto Elvira, com um final feliz como eu gosto, levo um sorriso pela tua boa escrita capítulo a capítulo, valeu apena seguir cada.
Quero mais.... quero picar o ponto todos os dias aqui.
Beijinho muito grande e Parabéns.

Anete disse...

Final feliz e emocionante! Gostei muito!! O amor, quando cativado, torna-se belo!...
O meu carinho...

O meu pensamento viaja disse...

Gosto de finais felizes.
Beijo

Ana S. disse...

Olá Elvira.
Estive a ler os textos anteriores para acompanhar o resto da história. Ainda bem que a ambição desmedida não foi mais forte que o amor e tiveram os cinco, um final feliz.
Abraço

Gaja Maria disse...

Gostei tanto Elvira. Abraço e boa semana :)

Ailime disse...

Boa noite Elvira,
Muito bom o conto que terminou de forma brilhante.
Os meus Parabéns pela sua escrita.
Beijinhos,
Ailime

Rosemildo Sales Furtado disse...

Olá Elvira! Pelo final, com certeza a Travessia trata-se de uma bela história que, infelizmente, não tive como acompanhar, mas nada me impede de lê-la nos próximos dias. Lindo e feliz o final.

Abraços,

Furtado

AvoGi disse...

Adoro a frase:" e foram felizes para sempre".
Bonito enredo, actual e cheio de amor
Kis :=}

Majo Dutra disse...

Sou romanesca e adoro finais felizes.
Mais uma vez, parabéns pelo talento.
As suas fantasias de Carnaval estavam muito divertidas...
Lembro-me que contou que o seu pai gostava muito desta festa.
~~~ Abraço afetuoso, Elvira ~~~

Pedro Coimbra disse...

Um epílogo muito romântico e sexy.
Abraço

Berço do Mundo disse...

Oh que lindo. Adoro finais felizes. E estas personagens bem mereciam um.
Beijinho amiga Elvira, e obrigada pelos momentos que nos proporcionou com esta história.
Ruthia d'O Berço do Mundo

Roaquim Rosa disse...

Bom dia
acho que já não há muito a acrescentar em comentários, mas aproveito para dar os parabéns á autora por esta historia de amor que felizmente ainda vão resistindo neste mundo onde o amor cada vez anda mais distante dos nossos corações.
JAFR

Socorro Melo disse...


Só tenho a parabenizar-lhe, Elvira, por mais uma história tão cativante. O tema muito oportuno, e muito bem construída. O final feliz, e quem dera, todas as vítimas desse tipo de situações, tivessem a graça de terminarem assim seus dramas. Sou sua fã, portanto, suspeita para dizer mais que isso (risos).

Parabéns, amiga! E que Deus a ilumine cada vez mais, inspirando-lhe a novas e comoventes histórias.

© Piedade Araújo Sol disse...

acho que o final só podia ser este.
gostei e emocionei-me em muitos dos seus capítulos.
este conto é um que a Elvira não devia continuar(eu sei que este é o fim,claro), porque está tudo perfeito.
parabéns pela sua capacidade criativa e o talento que tem para a narrativa.
beijinhos
:)

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

Que delícia de final, querida Elvira!
repleto de amor, entrega e alegria.
Adorei!
Um abraço cara amiga e feliz resto de semana.

Diana Fonseca disse...

Um final, sem dúvida, maravilhoso. Amei a história. Parabéns!

maria disse...

Gostei... Uma familia feliz!!! Parabéns!

. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
. disse...

Gostei da simplicidade e humanidade da história.
Agradeço a partilha.

lourdes disse...

E chegou ao fim....
Tudo está bem quando acaba em bem, não é?
Sofreram muito os dois mas acabaram felizes....e ricos!
Gostei muito.
Bjs.

Vera Lúcia disse...


Olá Elvira,

Li os capítulos desde a minha última leitura e adorei este final romântico e feliz.
Toda a narrativa é digna de elogios. Você escreve muito bem, com objetividade e descrição dos detalhes na medida certa.
Enfim, excelente contista! Parabéns!

Beijo.