28.2.17

LONGA TRAVESSIA - PARTE XXIX


Iam passar o Natal em casa de Tiago e Luísa. Teresa apresentara-os dois dias antes, quando foram buscar Martim. Claro que Rui conhecia perfeitamente Luísa, uma vez que era a sua secretária, o que não sabia é que ela e o marido, eram os padrinhos do seu filho, e que fora o casal que acolhera Teresa durante a gravidez, e nos primeiros anos de vida do seu filho, para que ela pudesse continuar a estudar. Tinham-na amado e protegido como se fosse uma irmã mais nova.
Emocionado, ele agradeceu-lhes, e ofereceu os seus préstimos para tudo o que o casal precisasse. E terminou dizendo:
-Só não vos ofereço a minha amizade, porque não sei se a amizade de um traste como eu, vos interessa.
A resposta foi um forte abraço e o convite para fazer parte da sua ceia de Natal, já que Teresa e o filho, costumavam passá-la com eles todos os anos. Aceitou, com o coração cheio de gratidão.
Depois jantaram em casa de Teresa, com Martim a falar pelos cotovelos, e a fazer inúmeras perguntas ao pai. E o pai emocionado, abraçando-o e brincando com ele. Quando foi para a cama, Martim fez questão de ser o pai a ir com ele, e a contar-lhe uma história.
 Para a noite ser perfeita, faltou pernoitar lá, mas compreendia que Teresa precisasse de algum tempo para assimilar a nova vida. Percebeu que se queria reconquistá-la, não podia nem devia forçá-la.
No dia seguinte, foram os três às compras. Presentes de Natal, e não só. Para eles e para Luísa, o marido e o filho. Depois foram para casa de Rui. Tê e o filho conheceram então a grande e luxuosa casa. Na sala de entrada, Rui pegou o filho ao colo e mostrou-lhe o retrato da mulher, que dominava o espaço, dizendo:
- Martim, esta era a tua avó. Uma grande mulher.
A criança olhava tudo com espanto. E com a curiosidade própria da idade, queria ver tudo. Na sala, em cima da mesinha estava o saco preto com os desenhos cinzentos, que guardava os ténis. Rui perguntou:
- Achas que servem ao Martim? Gostaria que ele os usasse se lhe servirem. Se ele os usar, é como se finalmente, eu os pudesse calçar.
- Sim. São muito bonitos, e ele nunca teve nada parecido. Vamos ver se lhe servem.
Serviam. A criança ficou encantada, e não parava quieta, só para ver as luzinhas nos ténis. Rui sorria feliz. Depois, pegando na mão de Teresa, perguntou.
-Gostas da casa? Se gostares, podemos ficar a morar aqui. Claro que poderás mudar a decoração, haverá coisas que não gostes. E quero que saibas que nunca trouxe nenhuma outra mulher a esta casa, - acrescentou fitando-a muito sério.
- Eu sei. Soube-o quando apresentaste a tua mãe ao Martim. Gosto da casa. Deveríamos mudar os sofás, ou forrá-los de novo. O branco é incompatível com crianças. Também não gosto dos reposteiros, são demasiado pesados. O resto está perfeito. Ah! E temos que fazer umas alterações num dos quartos. Decorá-lo mais de acordo com a idade do Martim.


21 comentários:

Odete Ferreira disse...

Já entrou no meu quotidiano, acompanhar este conto...
E tudo a enquadrar-se muito bem!
Bjinho :)

Cantinho da Gaiata disse...

Estou com medo Elvira, está tudo a correr muito depressa e bem, não quero apanhar um desgosto, please.
Faz uma história com final feliz.
Beijo e bom Carnaval.

Gaja Maria disse...

Gosto de histórias com final feliz. Gostei muito Elvira. ABraço e bom carnaval

AvoGi disse...

Está a ir bom demais.... Hummmmmm vai haver uma reviravolta...
As peças encaixam--se..
Kis :=}

Maria do Mundo disse...

Beijinho grande. Muito, muito talento por aqui.

✿ chica disse...

Estou adorando,cada vez melhor,Elvira!!! bjs, chica

Edumanes disse...

O amor orienta a vida,
no caminho da felicidade
acredito, não seja mentira
quando se ama de verdade!

Tenha uma boa noite, e um bom dia de Carnaval, amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Elisa Bernardo disse...

Bom Carnaval querida Elvira.
Beijinho grande

Rui disse...

:) ... Já começo é a ter pena de estar a acabar ! :))

Muito Bom, mesmo !

:)

Socorro Melo disse...


Perfeito, Elvira! Só faltou o emocionante encontro de pai e filho, confesso que esperava por isso, hehe

Beijos

Pedro Coimbra disse...

O sonho de toda a mulher é encontrar o homem perfeito.
E depois mudá-lo a seu gosto. :)))
Ela já começou pela decoração da sala.
Um abraço

Isa Sá disse...

A passar por cá para acompanhar a história e desejar um ótimo dia de carnaval!


Isabel Sá
Brilhos da Moda

Roaquim Rosa disse...

Bom dia
para alem de alguma discórdia que possa vir a existir em questões laborais , penso que vai tudo acabar como deve ser ou seja o amor vai superar todas as magoas de ambas as partes.
bom entrudo
JAFR

António Querido disse...

Espero que uma grande mulher e um homem rico, ajudem um grande amor!
Vou lendo e espero não chorar outra vez.

Tintinaine disse...

Aproxima-se o fim a passos largos.
Ou haverá ainda alguma surpresa que faça mudar as coisas?
Mais vale esperar para ler!

Os olhares da Gracinha! disse...

Tudo se ajeita ... com jeito!!!
Bj carnavalesco

O meu pensamento viaja disse...

Pressinto um final feliz!
Beijo

Silenciosamente ouvindo... disse...

Vou seguindo atentamente o que escreve.
Desejo-lhe uma boa terça-feira de Carnaval.
Bjs.
Irene Alves

Ailime disse...

Boa noite Elvira,
Muito bom o modo como o desfecho se está a desenrolar.
Bjs Ailime

Berço do Mundo disse...

Planos para o futuro. Adoro

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

Parabéns amiga por mais um lindo conto, repleto de emoção e amor.
Gostei muito.
Grande beijo em seu coração querida Elvira e já estou a espera do próximo.