8.2.17

LONGA TRAVESSIA - PARTE X


Quando naquela manhã, Teresa chegou a casa de Luísa, a amiga viu logo que a noite não tinha sido benévola para ela.
Teresa, saudou Tiago e entregou-lhe o filho, de quem se despediu com um beijo e as habituais recomendações. 
Depois entrou no carro da amiga, que já a esperava para seguirem para o emprego.
- Estás pálida. Não conseguiste dormir?
Teresa que apertava o cinto de segurança, retorquiu:
- Tu dormirias se estivesses no meu lugar? Hoje mesmo vou começar a procurar emprego. Não será fácil, mas não posso continuar na “Tudilar”
- Porquê? Amaste-o tanto que ainda mexe contigo passados todos estes anos?
- Nem devias perguntar isso. Tu, melhor que ninguém, sabes que o amei mais do que tudo no mundo. Sofri muito. Não foi só o seu abandono, foi a falta de uma qualquer explicação, o que implica uma rejeição total ao meu amor e à minha pessoa. Tenho medo de não ser, suficientemente forte, para que não se reacendam sentimentos antigos. E não quero voltar a passar pelo mesmo.
- Já pensaste que pode ter casado?
- Não. Não acredito que alguém o tivesse interessado a esse ponto. Teria que ter mudado muito.
- Chegamos. Vamos lá a ver como corre o dia. Almoçamos juntas?
- Claro.
Separaram-se à porta do escritório. Teresa seguiu para o seu gabinete no outro extremo da empresa. Tirara o casaco e preparava-se para o pendurar quando o telefone interno tocou.
- Teresa? – Era a voz de Luísa
- Já tinha saudades de te ouvir – disse rindo. Até ela chegou o riso da amiga. Depois…
- Tê, ele deixou uma nota em cima da minha secretária. - Não precisava nomear quem deixara. As duas sabiam-no. - Quer todos os chefes de secção na sala de reuniões às 11 horas. Estou nervosa. Será que vai haver despedimentos?
- Não fiques. Logo se verá. Já avisaste mais alguém?
- Não. Vou fazê-lo agora. Até logo.
Desligou e ficou pensativa. Que quereria ele? Todos sabiam que a firma  estava quase na falência. Será que ele ia despedir pessoal?
Trabalhava naquela empresa, há quase seis anos. Quando lá entrou, a situação era bem diferente do que estava hoje. Havia muitas encomendas, exportavam muito, mas também vendiam bem para o mercado nacional. Depois veio a crise, as encomendas começaram a diminuir, o preço dos o materiais subiram, e a situação começou a deteriorar-se.


20 comentários:

Roaquim Rosa disse...

bom dia
como sempre suspense !!!!!
JAFR

✿ chica disse...

As coisas acontecendo e nós te acompanhando! bjs,chica

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Está interessante e continuo a acompanhar.
Um abraço e boa semana.
Andarilhar || Dedais de Francisco e Idalisa || Livros-Autografados

Isa Sá disse...

A passar por cá para acompanhar a história.

Isabel Sá
Brilhos da Moda

António Querido disse...

Vamos ver mas a reunião não deve ser para subir os salários aos trabalhadores!
Esse patrão não se chama Nabeiro de Rio Maior.

O meu abraço.

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

Bom dia amiga!
Quanto suspense, estou cada vez mais curiosa para o desenrolar da estória.
Até amanhã, beijos.

Olivia disse...

Será que ele era capaz de a despedir? Nããão.

Taty disse...

Aiaiai... sempre me deixando ansiosa para saber mais...
Bjus
Taty
Na Casa dos Abrantes
Canal

Os olhares da Gracinha! disse...

E a vida pode mudar ... bj

Odete Ferreira disse...

Neste conto há ingredientes atuais e pertinentes que o fazem parecer verosímil.
Quanto ao sentir de Teresa, sobre o abandono, nada pior que não ter havido uma explicação para tal. Gostei muito dessa parte da narrativa.
BJ, amiga 😊
(Sobre o problema que referi, mantém-se em relação ao tm. Já editei mas não alterou nada, pois vim ao teu blogue e fiz a experiência, comentei, cliquei e foi, na mesma, dar a uma conta sem link. Depois eliminei o comentário.
Não me vou preocupar; quem quiser visitar o meu espaço, usará o link, como eu faço, tu e os amigos assíduos.)

Luiza Maciel Nogueira disse...

Gostei muito da história, transportas o leitor a uma situação única, de encontro, de amizade, de amor.

Muito especial mesmo!

Beijo

Edumanes disse...

Teresa não quer que o tempo volte para trás. Mesmo que quisesse, o tempo não volta para trás, não! Bem como todo o tempo perdido jamais será recuperado. Todavia, tem à sua disposição tudo o que é necessário para começar uma nova vida que lhe dará tudo o que ela deseja ter?

Tenha uma boa tarde amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Prata da casa disse...

Mal posso esperar pelo próximo episódio. Está muito interessante.
Bjn
Márcia

José Lopes disse...

O suspense para se saber o que vai ser comunicado...
Cumps

Cantinho da Gaiata disse...

Estive a colocar a leitura em dia, já me tinha atrasado, estou a adorar, só espero que tenha um final feliz.
Fico ansiosa dos próximos capítulos.
Beijinho grande.

Rogerio G. V. Pereira disse...

Bem contextualizado
Houve reunião?
Então...
...aguardo

Pedro Coimbra disse...

A reunião é só um pretexto para um reencontro...
Abraço

Dorli Ramos disse...

Oi Elvira
O que será que vai acontecer? Esse é o suspense.Adoro
Até amanhã
Beijos
Minicontista2

Gaja Maria disse...

Estou muito curiosa com o desenrolar da história, que será que vai acontecer?
Abraço Elvira

Berço do Mundo disse...

Voltei para saber os desenvolvimentos...