3.2.17

LONGA TRAVESSIA - PARTE V






O homem acordou a tremer. Esticou o braço e acendeu a luz.
Quatro da madrugada. Passou a mão tremente pela testa. Há um bom tempo que não sonhava com aquilo. Será que não ia apagar nunca aquela cena da sua memória? Será que o fantasma do passado o ia atormentar toda a vida? Fugira da terra, do país, deixara para trás a vida de miséria, era um homem rico e bem-sucedido, temido no mundo dos negócios, mas onde quer que estivesse, de vez em quando o passado batia-lhe à porta para o atormentar.
Lembrava-se daquela noite como se a estivesse a viver agora. Do momento em que a vizinha entrou em casa depois de ter telefonado à polícia, da história que a mãe contou, da retirada do corpo do pai, do momento em que a mãe algemada partiu com a polícia, de ter ficado dois dias na casa da vizinha, até que os tios o foram buscar, do tempo que viveu com eles, até a mãe ser libertada, após o julgamento por ter dado como provado que não houve intenção de matar, apenas se tratara de uma acidente, provocado por um gesto de legitima defesa. Apesar disso, e porque eles não tinham dinheiro para um bom advogado, a mãe tinha aguardado julgamento em prisão preventiva durante quase três anos.
Foi nessa altura que ele jurara a si próprio que havia de ser um homem muito rico, nem que para isso tivesse que passar por cima dos seus próprios sentimentos.
Trabalhou de dia, estudou de noite. À medida que ia progredindo nos estudos, ia melhorando no emprego. Vivia com a mãe, que depois da prisão nunca mais foi a mesma. Estava sempre apática, ausente, como se a vida à sua volta tivesse deixado de ter importância. Ele sentia-se responsável pela mãe. Acreditava que era o único culpado, do seu sofrimento. Devia ter dito a todo o mundo que fora ele quem matara o pai. 
Tinha vinte anos quando a mãe morreu, Pouco depois conseguiu emprego num banco, o ordenado aumentou e passou a frequentar a Universidade à noite. Queria ser economista. E consegui-o. Ia de casa para o trabalho, do trabalho para a Universidade. Não tinha amigos, não frequentava festas. Não parou após ter-se formado.
Voltou a matricular-se e desta vez em Letras. Inglês e Alemão, eram o seu objetivo. Que ele concretizou à custa de muitas horas de sono roubadas ao corpo. E da abstenção de outros prazeres, próprios da juventude. 
Quando conheceu Teresa, tinha vinte e nove anos e um pequeno pecúlio amealhado, não só graças ao bom ordenado no banco, como ao que auferia de uma conhecida editora, pela tradução para português de obras estrangeiras, e ainda por algumas aplicações na bolsa, bem sucedidas.
Dois anos depois, pensou ter o suficiente para se lançar no mundo dos negócios, e escolheu para começar uma nova vida a Inglaterra.


Aqui termina por agora a apresentação do personagem masculino. Um homem com uma vontade de ferro para atingir os seus objetivos, mas que guarda lembranças que são feridas abertas na sua alma. Presente na sua memória a lembrança de Teresa, que através dele, vos vem acompanhando.
Curiosos? Quem voltar amanhã, conhecê-la-á. 
Bom fim de semana

22 comentários:

Roaquim Rosa disse...

bom dia
até amanhã se DEUS quiser
JAFR

✿ chica disse...

Um homem bem complicado esse! Tô gostando! Vamos te acompanhando! bjs, chica

Tintinaine disse...

Quero ver se a Teresa é merecedora de ... disso tudo que a autora nos faz adivinhar.

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

Um homem bem sucedido, porém infeliz e atormentado pelo passado.
Vamos lá então amanhã conhecer a Teresa.
Bom final de semana, querida Elvira, bjs.

Odete Ferreira disse...

Uma forma de alienação, o trabalho, o estudo...
O sentimento de culpa nunca o abandoná...
BJ

Socorro Melo disse...


Bom dia, amiga!

Uma tremenda história. Imagino o inferno interior em que vive esse homem... Mas, penso que o amor cura tudo, se ele consegui amar, se doar, a vida vira de ponta cabeça, e ele alcança a paz almejada.

Beijos

Edumanes disse...

Homem de ferro,
com pêlos de aço
sonha em desespero
com o seu passado!

Tenha uma boa tarde amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Isa Sá disse...

a passar para acompanhar a história...

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Os olhares da Gracinha! disse...

Uma personagem que vai à luta!
bj
https://mgpl1957.blogspot.pt/

Odete Ferreira disse...

Vim verificar se o comentário, feito pelo TM, tinha entrado. Ainda bem que o fiz; corrijo: abandonará (em vez de abondá)

São disse...

Até breve e que tudo corra bem

Besos

António Querido disse...

Amanhã venho de fato e gravata, para conhecer Teresa! Até amanhã.

Abraço

Rui disse...

Estranho (fico na expectativa da causa) que tudo indica que Mário e Rui sejam a mesma pessoa .(?)... Porque teria mudado de nome ?... Uma tentativa de esquecimento daquele nefasto episódio ?... Claro que poderia chamar-se Mário Rui e em pequeno ter sido tratado por Rui e em adulto, por Mário.
Mas não nos adiantemos ! :)) ... Aguardemos !

Abraço, Elvira. :)

Beatriz Pin disse...

Boa tarde Elvira. Moi boas historias nos deixa por aquí. Eu vou lendo a saltinhos porque co temporal falla internet e mesmo o suministro eléctrico. Gosto do que escrive, de como situa o texto nos momentos históricos e dos temas de actualidade que trata. Maestría nos temas amorosos e no que acontece arredor de nós. Gran traballo e moita tenacidade e constancia. Non sei como ten tempo para visitarme, cousa que valoro e agradezo. Bo fin de semana.

Janita disse...

Tudo leva a crer que Rui e o Mário sejam uma e a mesma pessoa.
Não admira, agora, a sua grande força de vontade e empenho em quer ser rico, culto e poderoso. Lá valor tem ele, quis e conseguiu!!
Aguardemos para ficar a conhecer a personagem Teresa.

O seu amigo António Querido, já pensou na fatiota e tudo.

Um abraço, bom fim de semana.

Anete disse...

Acompanhei os últimos capítulos e, realmente, um passado difícil que precisa ser esclarecido p que ele se sinta leve e livre... Foi um trauma forte, mas que pode ser revertido, trazendo novas experiências... Marcas sempre ficam/sequelas, porém poderá vir um novo tempo!
Veremos o que acontecerá nos pxs capítulos... Essas travessias são cruéis!...
Bom fim de semana, Elvira... Meu abraço...

O meu pensamento viaja disse...

Pena que essas memórias persistam!
Bom fim de semana
Beijo

rendadebilros disse...

Mesmo quando se atingem certos objectivos na vida, os fantasmas ou as ilusões? voltam a cada passo. Para nos assombrarem ou para nos consolarem? A persistência e a ambição bastarão para se ser feliz? Ou falta sempre um carinho? Beijinhos. Bom fim-de-semana.

Prata da casa disse...

Um homem sofrido, mas que faz da adversidade a chave do seu sucesso ( pelo menos o sucesso material).
Bjn
Márcia

Gaja Maria disse...

Pois parece então que tudo está se explicando. Ele não será um bicho papão :)

lua singular disse...

Oi Elvira,
Um homem de sucesso, mas infeliz. Não é fácil sair dessa.
Vamos aguardar
Beijos

maria disse...

Estou muito curiosa!