7.2.17

LONGA TRAVESSIA - PARTE IX


Mário ficou até tarde no escritório. Era seu hábito quando adquiria uma empresa, verificar todos os sectores, ver o que se produzia, ou se vendia mais, e o contrário. Verificar custos e margens de lucro, fazer novos planos de modo a que as empresas em pouco tempo estivessem no caminho do sucesso e claro a engrossar a sua conta bancária. Era o que pretendia fazer também nesse dia. Porém, o rever inesperadamente Teresa, e mais, saber que estava ali, sob as suas ordens, fazia com que não conseguisse concentrar-se no trabalho. Estava mais bonita que nunca. A jovenzinha de há dez anos atrás era hoje uma mulher capaz de fazer perder a cabeça a qualquer homem.
Teria casado? Não usava aliança. Mas será que isso queria dizer alguma coisa nos tempos atuais? De súbito lembrou-se. A ficha dos empregados. Rapidamente procurou a pasta. Leu-a avidamente.
Teresa Carvalho, trinta e um anos, solteira, licenciada em Gestão de Recursos Humanos. Seguia-se a morada e número de telefone.
Alegrou-se de saber que estava solteira, muito embora pensasse que isso não quereria dizer que estava livre.
Durante dois anos, viveram juntos, uma intensa relação de amor e nunca fora casada.
Abanou a cabeça, como se com isso conseguisse afugentar os pensamentos que lhe impediam a concentração.
Sentiu pena de si mesmo. Da sua solidão. De saber que chegava a casa, e a encontrava vazia.
Decididamente a idade mudava um homem. Noutros tempos quando se sentia só, ia até um qualquer bar e pouco depois estava em casa de alguma dama, ou num quarto de hotel. Na sua casa não. Na sua casa, jamais entrara uma mulher.
Ultimamente essas saídas, deixavam-lhe um travo amargo na boca.
Como se finalmente a sua alma acordasse de um longo sono e quisesse assumir o controlo da sua vida.
E ele, que sempre lutara para não lhe dar espaço, sentia-se impotente perante a sua revolta.
Desligou o computador, arrumou as duas pastas que tinha abertas na secretária e levantou-se decidido a ir-se embora.
Tinha fome, nem se dera conta das horas, era quase meia-noite.
Muito tarde para jantar. Comeria qualquer coisa em casa.
Antes porém escreveu numa folha de papel a seguinte mensagem.
“D. Luísa por favor, convoque uma reunião com todos os chefes de secção, para as onze horas, na sala de reuniões.
Mário”
Vestiu o casaco, guardou as chaves e o telemóvel, abriu a porta do escritório, e pousou sobre a mesa de Luísa a folha de papel.
Apagou as luzes e dirigiu-se à saída onde se cruzou com o segurança que efetuava a ronda de rotina.
Por fim saiu e dirigiu-se ao automóvel.
Os dias seguintes iam ser complicados.

27 comentários:

Isa Sá disse...

A passar para acompanhar a história.

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Tintinaine disse...

Não tardará muito estarão os dois apaixonados nos braços um do outro.
A minha esposa, com algumas limitações, já regressou à vida normal. Gemendo e andando que é o remédio!

Francisco Manuel Carrajola Oliveira disse...

Estou a acompanhar e a gostar e o Tintinaine tem razão, não tardará muito estarão os dois apaixonados nos braços um do outro.
Um abraço e boa semana.
Andarilhar || Dedais de Francisco e Idalisa || Livros-Autografados

Os olhares da Gracinha! disse...

Adivinham_se boas emoções... Bj

✿ chica disse...

Gostando e imaginando o enredo! bjs, chica

Roaquim Rosa disse...

bom dia
os próximos serão complicados mas melhores dias virão.
JAFR

Taty disse...

Intrigada para saber o que vai acontecer...
Bjus
Taty
Na Casa dos Abrantes
Canal

António Querido disse...

Estou a gostar de saber, que o rapaz está a sair do coma que tem vivido, (ou melhor, não vivido)! Vamos ver como corre a reaproximação.
O meu abraço

Odete Ferreira disse...

Tens razão, a idade é um alerta...
Reparo que, na trama, não descuras os pormenores. Parabéns.
Bjinho 😊

Anete disse...

Vendo os passos de hoje... Refletindo no que virá pela frente...
Um abraço e boas inspirações...

Rui disse...

Bom ! :))) ... Estou a ver o filme ! ...Creio que "a bola" vai passar para o lado da Teresa e esta vai enfrentar o "dilema do filho" de ambos ! Resistirá ?... Cederá ? ...
Por parte do Mário, parece-me adivinhar-lhe os "apetites", mais tarde ou mais cedo !

Abraço, Elvira :)

rendadebilros disse...

Que poderá suceder? Os desígnios dos corações também são insondáveis. ( Os chupa-chupas em destaque na foto de ontem serão, talvez, creio, árvores estilizadas, que se podem ver - outras - em frente e à direita do iglô numa foto de de dia 1 de Fevereiro, por exemplo. O iglô, é uma estrutura assim baptizada, que cobre um espaço para jogos e outras actividades e há árvores verdadeiras de um lado e outro, muito perto.) . Beijinhos.

Maria Teresa de Brum Fheliz Benedito disse...

Boa tarde Elvira!
Com certeza serão dias complicados e decisivos em sua vida.
Surpresas mil irão acontecer!
Gostando muito do conto, parabéns.
Um beijo no coração.

As Mulheres 4estacoes disse...

Já me coloquei a par da história e gostei do que li.
Volto para acompanhar o desenrolar dos fatos.

Bell disse...

Solidão é tão ruim.

bjokas =)

Prata da casa disse...

Adivinha-se um quente reencontro.
Bjn
Márcia

Emília Pinto disse...

Cá estou para acompanhar mais este caso interessantissimo, como já é habitual; fui ler todos os capitulos anteriores e o Mário vai ter trabalho para reconquistar a Teresa, mas no fim tudo vai dar certo. Esperemos, Elvira.!!! Espero que esteja tudo bem contigo e com os teus e, ...até ao próximo capitulo. Um beijinho
Emilia

Janita disse...

...para ele os dias vão ser complicados e nós ficamos a roer as unhas de inquietação e ansiedade!!

Um abraço, Elvira.

Êta, imaginação a sua!! :)

aluap Al disse...

Como dizia António Mourão na sua canção "Ó tempo volta para trás". É o que deve estar a pensar.

Beijinhos.

Edumanes disse...

Mário está pesando de que os dias seguintes vão ser complicados. Um homem cheio de "arame", para poder comprar tudo o que lhe apetece. Os dias só serão complicados se ele os complicar. Tem tudo para ser feliz. Não será feliz se o não quiser ser. Tem uma bonita mulher, à frente dos seus olhos, que o ama, e ele está apaixonado por ela! Só falta juntar os trapinhos e serem felizes para o resto das suas vidas!

Tenhas uma boa noite amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

Zé Povinho disse...

Por vezes o passado não se encontra enterrado...
Abraço do Zé

Berço do Mundo disse...

A história promete.... na expectativa do que acontecerá a seguir.
Beijinho
Ruthia d'O Berço do Mundo

Olivia disse...

Ui, ui, esta história vai dar que falar. Estou a gostar.

Odete Ferreira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro Coimbra disse...

O renascer de uma velha paixão anuncia-se.
Um abraço

maria disse...

Não vai ser nada fácil!!!

lua singular disse...

Oi Elvira
Como é bom lê-la. Você é demais.
Beijos no coração
Lua Singular