10.12.16

LENDA DA MISSA DO GALO





A Missa do Galo é um costume religioso, com expressão nos países de tradição católica, que consiste na realização de uma missa, na noite de 24 para 25 de Dezembro, mais precisamente à meia-noite, hora em que, segundo diz o costume, teria nascido o menino Jesus. É denominada “do Galo” porque, de acordo com lenda, teria sido na noite de Natal a única altura em que os galos cantaram à meia-noite. É claro que o nome tem mais a ver com o acto de anunciação da própria missa, em que os sinos repicam à meia-noite para chamar as pessoas, tal como os galos chamam as pessoas para acordarem ainda antes do sol nascer. Diz-se ainda, de modo humorístico, que a missa tem este nome porque demora tanto tempo que quando acaba já está o galo a cantar para anunciar a madrugada. Sendo a Missa do Galo celebrada à meia-noite, em Portugal criou-se a tradição de se levar velas acesas a caminho da igreja; algo que não nasceu tanto da simbologia natalícia mas da própria necessidade que as pessoas tinham, numa altura em que não existia eletricidade, de iluminar o caminho durante a noite. Isso deu origem às procissões da meia-noite das velas do advento, para se ir assistir à Missa do Galo; tradição ainda respeitada nalgumas vilas do interior português, apesar de haver hoje iluminação de ruas. Sobre a procissão de velas da Missa do Galo conta-se a seguinte lenda: Conta-se que um jovem pastor passou todo o dia a apascentar as suas ovelhas na véspera de Natal e aconteceu uma delas perder-se. Como o jovem pastor não quis voltar para casa sem a ovelha perdida passou muito tempo à sua procura. Quando finalmente a encontrou já era muito tarde, tanto que acabou por se atrasar e perdeu o tocar dos sinos da igreja a chamar para a Missa do Galo. Sem os sinos a indicar o caminho o jovem pastor acabou por se perder ficando à mercê dos lobos, do frio do inverno e dos restantes perigos da noite. Já sem esperanças de encontrar o caminho, eis que o pastor vê ao longe uma procissão de luzes a iluminar a noite. Era a aldeia inteira que interrompera a missa, pegara nas velas da igreja e saíra pela noite para o procurar. Encontrado o jovem pastor, são e salvo, a aldeia retomou a sua marcha para a igreja onde foi retomada a missa. E a partir desse dia passou-se a levar uma vela acesa a caminho da Missa do Galo para que ninguém se perdesse na noite de Natal


Da tradição oral portuguesa no Livro Contos de Natal Portugueses da Luso-Livros

14 comentários:

Edumanes disse...

Acontecimentos que deram origem a lendas. Podem não se ter passado bem da maneira como são contadas. Mas, algo terá acontecido para que elas existam?

Tenha um bom fim de semana amiga Elvira, um abraço,
Eduardo.

aluap Al disse...

Bem, não é completamente certo Jesus ter nascido no dia 25 de Dezembro, mas é certo que se diz que esta missa era/é celebrada à meia-noite em ponto, porque é a hora que também se diz que Jesus terá nascido e porque há a teoria ou a lenda que conta que o galo foi o primeiro animal a presenciar o nascimento Deste, por isso ficou com a missão de anunciar ao mundo o nascimento de Cristo através do seu canto.
A lenda do pastor não conhecia, mas agora já conheço :-))
Bom fim de semana.
Beijinhos.

Emília Pinto disse...

Lindo, Elvira! Não conhecia a lenda, mas gostei muito. Hoje muita gente nem sabe o que é a Missa do Galo; a ceia de consoada faz-se tarde e depois é aquela correria para ver os presentes e lá se vai a missa. Confesso, há muito não assisto a essa cerimónia, pois tenho de fazer a ceia e depois não vou deixar as pessoas para ir à vmissa. Como sabes, vivi muitos anos no Brasil e lá, apesar do povo ser muito religioso, nunca ouvi falar dessa tradição. O Brasil é imenso e pode ser que esse costume exista em algum estado brasileiro. Obrigada, querida amiga e desejo que a alegria que se manifesta por todo o lado esteja presente no teu coração, não só agora, mas sempre. Beijinhos
Emilia

António Querido disse...

Lembro-me de ficar muito chateado com a minha mãe, porque me obrigou a ir assistir à missa do galo, eu a meio da missa já estava cheio de sono e já só pedia para ir para casa, ficando chateado porque estava convencido que ia ouvir um galo cantar à meia noite! Era uma criança a sonhar.
Feliz Natal

Rui Espírito Santo disse...

Muito interessante este tema das lendas de Natal, Elvira.
Até agora, não conhecia nenhuma ! :) ... Esta curiosamente com muita razão de ser e gostei particularmente daquele momento solidário para com o pastor perdido até ser encontrado e do respectivo retorno à missa ! :))

Abraço ! :)

O meu pensamento viaja disse...

Muito interessante!
Bom fim de semana.

AC disse...

O que vale é que, em noite tão fria, quando se saía da Missa do Galo havia (quase) sempre um madeiro a crepitar para aquecer as gentes.

Um bom final de semana, Elvira :)

maria disse...

Muito interessante!

Isa Sá disse...

Estou a aprender uma lendas por aqui!
Bom domingo!

Isabel Sá
Brilhos da Moda

Tintinaine disse...

Lendas e realidades! Quando era miúdo, depois de ter feito a primeira comunhão, era obrigado a ir à comunhão todas as primeiras sextas, primeiros sábados e domingos do mês, na missa das 6.30 horas. Luz eléctrica não havia, pública muito menos e o caminho era um autêntico rio no inverno. Para alumiar o caminho levávamos uma lumieira feita de palha de centeio para passar nos pontos mais difíceis sem molhar os pés.

Os olhares da Gracinha! disse...

Já conhecia mas foi bom recordar!!!
Gosto de lendas!bj

Vieira Calado disse...

Olá, amiga, como está? Tanto há a dizer sobre o Natal E agora veja o que eu digo, hoje. - https://vieiracalado-poesia.blogspot.pt/2016/12/natal-dos-sem-abrigo.html Saudações natalícias!.

André Lobo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
André Lobo disse...

Só para recordar que o livro "Contos de Natal Portugueses" de luso-livros.net encontra-se em:
https://www.luso-livros.net/Livro/contos-de-natal-portugueses/