26.9.10

O ENFORCADO


Olha, ali!...
aquele corpo caído
dependurado
naquela arvore nua...


Parece que nos faz uma careta!


Deita-nos a língua de fora
como quando
jogávamos em criança.



Jogo
interessante
difícil
fazer rir!


Matou-se!

PALERMA!

Como se na morte
encontrasse
os ideais forjados.


o poema é meu embora já não seja recente.

A foto, é reprodução de um quadro de Pisanello.

2 comentários:

São disse...

Tudo bem?

Anda muito afastada, espero que não por motivos graves.

O poema ? Gostei.

Um abraço de saudades.

Zé Povinho disse...

Um pouco macabro, para mim que estou a tentar manter-me optimista apesar de tudo a que estamos a ser sujeitos.
Abraço do Zé