25.5.09

POEMA BREVE


Pairam no ar
fumos de tragédia
nos papéis rasgados
corpos mutilados
almas ceifadas
como searas maduras.

foto retirada daqui

Lembro que poderão continuar a votar no vídeo do Iago aqui.
A votação encerra a 30 de Junho.
Um enorme obrigada a todos.

21.5.09

AUTISMO

AMIGOS, hoje vou falar-vos do Iago. Iago é um menino autista. Suponho que conheçam a doença, o cinema já se debruçou várias vezes sobre o tema, e todos se devem lembrar de Dustin Hoffman em "Ray Man".
Pois El Consejo General de la Abogacía Española, está a efectuar um concurso de videos sobre os direitos das crianças. Iago e sua familia, apresentam a concurso este filme, que defende os direitos das crianças diferentes. Neste caso o autista.
Os prémios são materiais didácticos, mas o autor do filme mais votado poderá fazer um filme com um realizador espanhol, sobre si, e isso poderá ser muito útil para pais e professores de outras crianças autistas. Votar neste filme é pois muito importante. Vamos então todos votar nele, e esperar que o filme de Iago seja o mais votado. Podem ver o filme e votar em

http://www.yotambientengoderechos.com/ver_videos/ver_escuchar_hablar_amar

Agradeço desde já a vossa adesão. Muito obrigada a todos.
E BOM FIM DE SEMANA

18.5.09

PENSO EM TI



Penso em ti
Na solidão
angustiada
dos dias
que dançam
em ondas de agonia
no oceano
do meu corpo
esquecido.

Penso em ti
Nos labirintos
do sonho
perdida.
Como barco
sem rumo
nem norte
em mar de
tempestade.

Penso em ti
Na escuridão
silenciosa
da minha noite
que cavalga
o tempo sem fim
do meu corpo
ondulante
de desejo.

5.5.09

FLOR ENTRE FLORES


Flor entre flores

Porquê sendo tu tão pequenina
És o maior de todos os meus amores
Talvez que ao ver-te me torne menina
Como mais uma flor entre flores.

És qual boneca de porcelana fina
que inocente o mundo vês de mil cores
e eu quisera que sempre o visses menina
mesmo quando mulher já tu fores.

Que os teus olhos de estranha doçura
onde brilha um universo de ternura
Não tenham nunca uma expressão magoada.

Que nunca, nunca os lábios teus
ao elevarem uma prece a Deus
Digam que da vida estás cansada


PARA OS QUE PERGUNTARAM PELO CONTINUAÇÃO DO CONTO, TALVEZ ESTA SEMANA SEJA PUBLICADO UM NOVO CAPITULO. COMO DEVEM CALCULAR, TEM SIDO DIFÍCIL CONTINUAR A HISTÓRIA DO MANUEL, DEPOIS DA SUA PARTIDA

3.5.09

FELIZ DIA DAS MÃES


Para Sempre


Por que Deus permite
que as mães vão-se embora?
Mãe não tem limite,
é tempo sem hora,
luz que não apaga
quando sopra o vento
e chuva desaba,
veludo escondido
na pele enrugada,
água pura, ar puro,
puro pensamento.


Morrer acontece
com o que é breve e passa
sem deixar vestígio.
Mãe, na sua graça,
é eternidade.
Por que Deus se lembra
- mistério profundo -
de tirá-la um dia?
Fosse eu Rei do Mundo,
baixava uma lei:
Mãe não morre nunca,
mãe ficará sempre
junto de seu filho
e ele, velho embora,
será pequenino
feito grão de milho.

Carlos Drummond de Andrade
A TODOS OS QUE POR AQUI PASSEM, DESEJO-VOS UM DIA FELIZ, SEJAM MÃES, OU PAIS, FILHOS OU NETOS. PORQUE O QUE A HUMANIDADE PRECISA É SER FELIZ.
BOM DOMINGO

1.5.09

1º DE MAIO - DIA DO TRABALHADOR

foto da net

O ano passado , fiz um post sobre as origens deste dia, e incluí o poema MEU MAIO de Vladimir Maiakovski.
Este ano porém a inspiração tem-me faltado. Talvez devido a factos pessoais que me têm tornado difíceis os últimos tempos, talvez porque o pobre trabalhador tem cada dia menos razões para comemorar qualquer coisa. Infelizmente , aquilo que devia ser um direito de todos, - o trabalho - transformou-se num artigo de luxo a que cada vez menos gente tem acesso. Os ex-trabalhadores perdem-se em longas filas no centro de emprego, os filhos vão para a escola sem comer, e até correm o risco de perder as casas por não conseguirem pagar as prestações.
E o dia que devia ser uma comemoração de direitos adquiridos, é cada dia mais uma jornada de luta, por direitos sonegados em nome de uma crise, que não é para todos.
Deixo-vos um poema meu. Postado o ano passado no "Coisas Minhas", alguns de vós já conhecereis, mas é o que me ocorre.

HOJE COMO ONTEM

Hoje como ontem companheiro
queremos encontrar a verdade,
a saída para esta angústia
que grassa
as nossas feridas ainda mal cicatrizadas.

Hoje como ontem companheiro
os homens não são homens.
São brancos, pretos, amarelos
são ricos, remediados e mendigos,
são exploradores ou explorados
são chineses e ciganos
polícias e ladrões
mas não são homens...

Hoje como ontem companheiro
temos que encontrar o caminho
que há lobos esfaimados à nossa volta
esperando implacáveis o momento
de nos destruir.

Mas hoje como ontem companheiro
as nossas mãos unidas hão-de gritar
a nossa força.
Ainda que o medo sele os nossos lábios
ainda que a raiva cegue os nossos olhos
ainda que nos queiram algemar o pensamento
as nossas mãos unidas
ninguém há-de separar.

elvira carvalho