30.8.07

CERTIFICADO


Foi-me atribuído este certificado, pelo reporter do Blog"Pó de Ser", pela dina "Coisas Simples"e pela Franky do "Conversas de café". Aos três agradeço com o maior carinho, mas sinceramente
penso que são prémios a mais. Não quero ver-me outra vez na contingência de fazer escolhas.
A quem me nomeou peço compreensão.
Aos outros bloguistas que fazem parte da minha lista, sintam-se todos nomeados. Na verdade se não os considerasse bons, não passaria tanto tempo convosco.

28.8.07

DIÁRIO DE UM CÃO

1ª Semana:
-Hoje completei uma semana de vida. Que alegria ter chegado a este mundo!

1º Mês:
-Minha mamãe cuida muito bem de mim. É uma mãe exemplar!

2º Mês:
-Hoje me separaram de minha mamãe. Ela estava muito inquieta e, com o seu olhar, disse-me adeus. Espero que a minha nova "família humana" cuide tão bem de mim como ela o fez.

4º Mês:
- Cresci rápido; tudo me chama a atenção. Há várias crianças na casa, e para mim são como "irmãozinhos". Somos muito brincalhões, eles me puxam o rabo, e eu os mordo de brincadeira.

5º Mês:
- Hoje me deram uma bronca. Minha dona se incomodou porque fiz "pipi"dentro de casa. Mas nunca me haviam dito onde deveria fazê-lo. Além de que, durmo no hall de entrada. Não deu para aguentar.

8º Mês:
- Sou um cão feliz!Tenho o calor de um lar; sinto-me tão seguro, tão protegido... Acho que a minha família humana me ama, e me consente muitas coisas. O pátio é todinho para mim, e, ás vezes me excedo, cavando na terra como os meus antepassados , os lobos, quando escondiam a comida. Nunca me educam. Deve ser correcto tudo o que faço!

12 Meses:
- Hoje completo 1 ano de idade. Sou um cão adulto. Meus donos dizem que cresci mais do que o esperado. Que orgulho devem ter de mim!

13 Meses:
-Hoje me acorrentaram e fico quase sem poder movimentar-me até onde tem um raio de sol, ou quando quero alguma sombra. Dizem que sou um ingrato. Não compreendo nada do que está acontecendo.

15 Meses:
-Já nada é igual... Vivo na varanda. Sinto-me muito só. Minha família já não me quer. Ás vezes esquecem que tenho fome e sede. Quando chove, não tenho tecto que me abrigue...

16 Meses:
-Hoje me desceram da varanda. Estou certo de que a minha família me perdoou. Fiquei tão contente, que pulava com gosto. O meu rabo parecia um ventilador. Além disso, vão levar-me a passear na sua companhia. Fomos em direcção á rodoviária. De repente, pararam o automóvel, e abriram a porta. E eu saltei feliz, pensando que iamos passar o dia no campo. Não compreendo porque fecharam a porta e se foram. "Oiçam, esperem" lati... se esqueceram de mim... Corri atrás do carro com todas as minhas forças.
Minha angústia crescia ao perceber que quase perdia o fôlego, e eles não paravam. Tinham-me esquecido.

17 Meses:
-Procurei em vão achar o caminho de casa. Estou e sinto-me perdido! No meu caminho existem pessoas de bom coração, que me olham com tristeza, e me dão algum alimento. Eu gostaria que me adoptassem: Seria leal como ninguém. Mas sómente dizem " pobre cãozinho, deve ter-se perdido."

18 Meses:
- Há dias eu passei perto de uma escola, e vi muitas crianças e jovens como meus "irmãozinhos". Aproximei-me e um grupo deles, rindo, me atirou uma chuva de pedras, "para ver quem tinha melhor pontaria". Uma dessas pedras feriu-me o olho, e desde então, não enxergo com ele.

19 Meses:
-Parece mentira. Quando estava mais bonito, tinham compaixão de mim. Já estou muito fraco; meu aspecto mudou.
Perdi o meu olho e as pessoas me mostram a vassoura, quando pretendo deitar-me numa pequena sombra.

20 Meses:
-Quase não posso mover-me! Hoje, ao tentar atravessar a rua por onde passam os carros, um deles me atropelou! Eu estava no lugar seguro chamado "calçada", mas nunca esquecerei o olhar de satisfação do condutor, que até se vanglorizou por me ter atropelado.
Quizera que me tivesse matado! Mas só me deslocou as cadeiras! A dor é terrível! Minhas patas trazeiras não me obdecem, e com dificuldade arrastei-me até á relva na beira do caminho...
Faz dez dias, que estou embaixo do sol, chuva ou frio, sem comer. Já não posso mexer-me. A dor é insuportável! Sinto-me muito mal; fiquei num lugar húmido, e parece que até o pêlo me está caindo...
Algumas pessoas passam e nem me vêem. Outras dizem "não chegue perto". Estou quase inconsciente; mas alguma força estranha me faz abrir os olhos. A doçura da sua voz me fez reagir. "Pobre cãozinho, olha como te deixaram", dizia... junto com ela estava um senhor de avental branco. Começou a tocar-me e disse:
"Sinto muito senhora, mas este cão, já não tem remédio. É melhor que pare de sofrer."
A gentil dama, com as lágrimas no rosto concordou: Como pude mexi o rabo, e olhei-a agradecendo. Apenas senti a picada da injecção, e adormeci para sempre, pensando em porque tive de nascer, se ninguém me queria...

(autor desconhecido)

Porque acabei de ouvir nas notícias que este ano foram mais os animais abandonados no mês de Agosto, do que em anos anteriores... lembrei-me desta estória que alguém me mandou.

26.8.07

ADEUS JULIETA...

Foi com imensa tristeza que recebi hoje a notícia da sua morte. Julieta era a minha sogra. Uma excelente pessoa, amiga de toda a gente. Que ao longo de 40 anos sempre me tratou com todo o respeito e com imenso carinho. Até sempre amiga.

25.8.07

ENTREGA DE PRÉMIOS



Acabei de receber este prémio das mãos do capitão Garfio do blog La Ortiga. Confesso que fiquei emocionada. Este é um prémio que vou a partilhar convosco.

E assim sendo passo a chamar os premiados para a entrega do prémio.


J.G. do blog " O Sino da Aldeia", ninguém merece mais do que o Jorge um prémio de solidariedade. Pelos seus posts que são autênticas aulas para quem como eu não pôde estudar.

O que eu tenho aprendido com ele. Mas também pela sua simpatia, e pelos comentários sempre bem humorados. Eu sei que ele é contra estas coisas de prémios...mas vou fingir que não sei.


O Repórter do blog "Pó de Ser". Sempre pronto também a partilhar os seus conhecimentos.

Também com ele tenho aprendido muito.


Dina do blog "Coisas Simples e Pequenas" Os seus posts são autenticas reportagens diárias , cheias de humor e ironia.


Azul do blog "Cheiros de Verão". Os seus posts são autenticos hinos de alegria. Sempre bem disposta, é difícil não pensar nela como amiga mesmo não a conhecendo.


La Morocha do blog "Catarsis" Ás voltas com os preparativos para um casamento em breve, os seus posts, são como ora cheios de ilusão, ora cheios de dúvidas. Mas é uma jovem com mt força de vontade e que vejam só resolveu aprender portugês. Sim que ela é do Uruguai.


Mar , do blog "Eclipse de Luna " Timida, romantica, sensível- a definição é da própria. Os seus posts são na maioria lendas maravilhosas, com um fundo de moral que nos encantam.


Daniel, do blog "Mi Mundo, Mi Escape" Pelos seus posts, pela partilha que faz dos seus conhecimentos da música latina, e pela sua maravilhosa escrita.


A Pitanga do blog "A Pitanga Doce". Porque penso que através dos seus posts, tem contribuido para aproximar dois mundos.


Finalmente uma breve explicação. Gostaria imenso de dar este prémio ao Vicente do blog " Ecos de Verdade" Ninguém é tão solidário quanto ele. Não conheço ninguém capaz de voltar atrás numa decisão apenas por solidariedade como ele o fez. Vicente, é o AMIGO, aquele que sofre as nossas dores, e vive os nossos problemas. O ombro amigo sempre pronto a carregar as dores do mundo e sempre pugnando por um mundo melhor. Não sei se ele vai ler este post, nem como vai reagir. Mas sei que lhe devo um enorme OBRIGADO.


Também gostaria de dizer que entregaria este prémio ao "AUTOXIRO" se alguém não o tivesse feito antes.


E pronto. É tudo Parabéns a todos.

24.8.07

A PROPÓSITO DE...


Moro numa rua que só tem prédios de um dos lados, como pode ver-se pela foto. No extenso campo em frente que vai até ás margens do Coina, afluente do rio Tejo, acampam vários circos por ano. De Maio até ao Natal. Neste momento tenho um aqui em frente. Não tenho nada contra as pessoas que gostam de circo. Eu mesma gosto dos trapezistas e equilibristas. O que eu não suporto são os números com animais, e os circos que os utilizam.
Pois este, chama-se Montecarlo e tem imensos animais. Não se vêem as jaulas porque a foto foi tirada da minha varanda, e o outdor não deixa ver.
Mas acho verdadeiramente deprimente que os animais ali estejam metidos em jaulas, para gáudio de miúdos e graúdos que quase acampam em frente ás jaulas.
Sou contra toda a espécie de clausura, seja humana ou animal. Acho que é uma tortura, e me espanta que os homens pugnem tanto por liberdade e depois torturem os animais.
Penso que em parte é o público o culpado. Se ninguém fosse aos espectáculos com animais, será que os circos continuavam a ter animais?

23.8.07

PARABÉNS A VOCÊ...

Para uma princesa, que hoje está aniversariando este bouquêt com os desejos de muitas felicidades, e que a vida te dê tudo o que desejas, mesmo que isso englobe o campeonato para o Benfica...eheheheheh.

Aproveito a ocasião para felicitar outras 2 princesas. Uma aniversariou em 15/8, a outra a 21/8.
Por razões várias não pude felicitar na altura neste cantinho, mas ás 2 desejo as maiores felicidades.
Para as 3 Um grande beijo.

19.8.07

U M PRÉMIO...

Bom, acabei de ser agraciada com 1 prémio. Ou serão 2 ? Eu explico. Fui nomeada para este prémio pela Dina do blog "Coisas simples" e pela Azul do blog "Cheiros de Verão". Agora mandam as regras que tenho que nomear outros 5 blogs. E vamos a ver se dou conta do recado.

O Sino da Aldeia
pela alegria e pelo sentido de humor .

Pó de Ser
pela simpatia, e pela disponibilidade.

A Fada Guerreira
pela amizade e pela comunicação.

TatY Ferreira por ela mesma
porque é uma garota cheia de alegria e de sonhos.

Autoxiro
porque com as suas fotos e observações, tem contribuído para uma ligação entre bloguistas de várias nações.

E pronto: Creio que me safei. Não tenho mt prática destas coisas. Quero só agradecer a todos pelo carinho e em especial á Dina e á Azul. Mtº Obrigada.








16.8.07

POEMA DO NOSSO AMOR NASCIDO

Ainda me recordo do tempo de solidão
quando na estação do meu desejo
embarquei ao encontro de ti.
Era Primavera? Não. Era ainda Inverno.
Mas o tempo não contava. Era um montão
de horas encerradas
na penitenciária do passado.
E foi justamente nessa altura
que te encontrei.
Trazias a noite agonizante
em teus cabelos,
enquanto nos teus olhos dourados
raiava a aurora.
Nunca te tinha visto e no entanto
soube logo que eras tu. No teu sorriso
- branco malmequer que desfolhaste,
me perdi. Com a força do desespero
que agoniza em silêncio,
o nosso amor nasceu. Depois...
bem, depois, não estava previsto
-mas aconteceu...a maçã do saber
adormeceu em nós.
A cidade, o rio, as gentes,
a vida e até a própria morte
deixaram de nos importar.
Há alguma coisa mais importante que
um homem e uma mulher que se amam?...
Lembras-te? Era o tempo dos beijos
a saber a pôr-do-sol,
das madrugadas amanhecendo
nos sorrisos sem palavras.
Era o tempo em que os nossos corpos,
prenhes de Amor, cavalgavam
pelas montanhas da Ilusão.

Escrevi este poema para dedicar ao meu marido quando fizemos 10 anos de casados. Já se passaram 3 décadas desde então. Mas como hoje estamos festejando o nosso aniversário de casamento, e eu continuo a sentir o mesmo, não mudo uma virgula sequer.
So quero acrescentar um enorme obrigada pelo teu amor.

1.8.07

FÉRIAS - LAGOS

Avisam-se os amigos, os inimigos, e os indiferentes. Vou de férias hoje. A todos desejo que sejam felizes. Estou de volta dia 16. Um abraço a todos e obrigada pelo vosso carinho.